1,000 Fãs Verdadeiros

A versão original deste artigo pode ser encontrada no seguinte endereço: 1,000 True Fans – Kevin Kelly

Explicações

Decidi traduzir este artigo e colocar aqui em meu blog pois considero um artigo importantíssimo para todos aqueles que desejam desenvolver um empreendimento digital.

Kevin Kelly é um renomado marqueteiro americano e neste artigo ele faz um belo trabalho em resumir o que seria o trabalha com mercados de nicho. Também no artigo ele demonstra como todos nós podemos nos beneficiar da escolha dum mercado que não chega a ser tão alto (e difícil) como o sonhado estrelato, mas também não tão obscuro a ponto de existirem poucas pessoas interessadas.

No artigo ele menciona sobre a cauda longa e como podemos usá-la em nossos negócios. A cauda longa é um termo bastante conhecido por parte daqueles que trabalham com SEO. Basicamente são os nichos dentro de diversos mercados. Acredito que com um exemplo fica mais fácil:

  • Futebol: a chamada cauda curta. Basicamente aqui a competição enorme porque o mercado em si é enorme. Aqueles que alcançam o estrelato são pagos justamente por se destacarem num mercado tão competitivo. O estrelato (cauda curta) não é o nosso objetivo;
  • Futebol – pessoas interessadas em subir da série C para a série B do Campeonato Brasileiro localizados na cidade de Pindamonhangaba: aqui seria um exemplo (exagerado) de uma cauda longa. Apesar de a competição para este ‘mercado’ talvez não ser muito grande, você provavelmente não teria um público suficiente para conseguir ter um sustento através de seu trabalho. Agora vamos para o que o artigo prega …
  • Futebol – jovens interessados em conseguir uma vaga num grande clube de série A: aqui o foco, apesar de ainda estar dentro do mercado de futebol, já é bem menor MAS não tão pequeno (cauda longa) que não possamos criar um negócio sustentável e fazer deste o nosso ganha-pão.

Isto é a ideia por trás dos 1,000 Fãs Verdadeiros. Este meio termo entre o estrelato e a obscuridade.

Mas vamos deixar o autor explicar melhor como funciona.

Nota: tentei preservar ao máximo o estilo de escrita do autor quando traduzi o artigo. Quem acompanha aqui o blog e minha newsletter sabe que meu estilo de escrita é BEM diferente.

1,000 Fãs Verdadeiros

A cauda longa é uma famosa boa notícia para duas classes de pessoas: alguns agregadores de sorte, como Amazon e Netflix, e para 6 bilhões de consumidores. Destes dois grupos, acredito que são os consumidores que podem ter o maior benefício dos diversos tesouros escondidos numa infinidade de nichos e sub-nichos.

Mas a cauda longa é com certeza ao mesmo tempo uma benção e uma maldição para criadores. Artistas individuais, produtores, inventores e criadores são quase que desconsiderados na equação. A cauda longa não aumenta muito necessariamente as vendas dos criadores, mas em compensação acaba por adicionar uma competição enorme e uma pressão decrescente constantes nos preços. Se algum artista não se tornar um grande agregador de trabalhos de outros artistas, a cauda longa não será suficiente para oferecer uma saída e alternativa para um baixo volume de vendas.

Então, ao invés de mirar no estrelato, tapetes vermelhos e lugares que poucos conseguem alcançar, o que pode o artista fazer para escapar da cauda longa?

Uma das soluções é encontrar os seus 1,000 Fãs Verdadeiros. Ao mesmo tempo que alguns artistas descobriram e já usam essa alternativa sem necessariamente chamar por este nome, eu acredito que seja uma tentativa válida em tentar formalizar tal movimento. A premissa básica por trás dos 1,000 Fãs Verdadeiros pode ser descrita desta maneira:

Um criador como um artista, música, fotógrafo, ator, animador, designer, designer de jogos, editor de vídeos ou autor – ou em outras palavras, qualquer pessoa que estiver produzindo alguma forma de arte – precisa adquirir somente cerca de 1,000 Fãs Verdadeiros para conseguir (sobre)viver do seu trabalho.

Um fã verdadeiro é definido como alguém que irá comprar basicamente tudo o que você produzir. Eles vão dirigir mais de 300 quilômetros só para ver você cantar. Eles vão comprar a versão hiper deluxe remasterizada de algum produto seu … mesmo que eles já tenham a versão de baixa resolução. Eles vão setar um Google Alerta com o seu nome. Eles vão salvar uma página de vendas no eBay com a esperança de conseguir aquele seu produto que já saiu de linha 7 anos atrás. Eles irão aos eventos que você participar. Eles vão querer seu autógrafo. Eles vão comprar a sua camiseta, e a caneca, e o boné personalizado. Eles vão quase morrer de ansiedade somente esperando pelo seu próximo trabalho. Eles são os seus verdadeiros fãs.

1000 fas verdadeiros

Para escapar do marasmo da cauda longa, você precisa se conectar com seus Fãs Verdadeiros diretamente. Outro jeito de dizer isto é que, o que você precisa fazer, é converter mil pseudo-fãs para mil Fãs Verdadeiros.

Vamos supor, conservativamente, que cada um dos seus Fãs Verdadeiros irá dedicar o dinheiro que ganha em um dia de trabalho por ano em alguma forma de colaboração e apoio com o seu trabalho – basicamente comprando algo que você produziu. Um gasto de “um dia de trabalho por ano” é uma estimativa bem conservadora porque a verdade é que seus fãs mais-do-que-verdadeiros irão gastar bem mais que isso. Vamos então supor que, por ano, cada um dos seus Fãs Verdadeiros irá gastar cerca de $100 por ano. Se você tiver 1,000 Fãs Verdadeiros isso já dá $100,000 por ano o que, com gastos e custos moderados, já lhe proveria com um belo estilo de vida e totalmente financiado pelo seu trabalho.

Mil Fãs Verdadeiros é um número aceitável. Você conseguiria facilmente contar até 1,000. Se você, por exemplo, conseguiu um Fã Verdadeiro por dia, demoraria somente 3 anos para alcançar seu objetivo. Construir sua base de Fãs Verdadeiros é com certeza alcançável. Agradar um fã verdadeiro é agradável, e inspirador. Isto recompensa o artista de tal maneira a se manter verdadeiro com ele mesmo e com os aspectos únicos do seu trabalho, qualidades que Fãs Verdadeiros apreciam.

O Desafio Principal

O desafio principal disto é manter contato direto com os seus 1,000 Fãs Verdadeiros. Eles estão lhe dando suporte diretamente. Talvez eles frequentarão os seus espetáculos, ou talvez eles estejam comprando os seus DVDs do seu website, ou encomendando posters do seu trabalho. Quanto mais você conseguir reter esse suporte, melhor. Você também se beneficiará do feedback direto que irá receber e do amor que será compartilhado entre você e seus Fãs Verdadeiros.

As novas tecnologias para conexão e a fabricação de produtos e outros em tempos recordes possibilitam a criação e manutenção deste círculo. Blogs e feeds RSS espalham as notícias, próximos eventos e novos trabalhos. Web sites podem se tornar galerias de seus trabalhos anteriores, arquivos de informações biográficas e catálogo de tudo mais o que você imaginar. Duplicação de CDS, fotocópias quase que instantâneas, Tumblr, Facebook e todo o mundo digital conspira para duplicar e disseminar, mesmo quantidades pequenas, rápido, barato e fácil. Você não precisa de um milhão de fãs para justificar a produção de algo novo. Mil já bastam.

Este pequeno círculos de seus melhores fãs, que poderão lhe prover os meios para financiar o seu estilo de vida, está rodeado por círculos de pseudo-fãs. Estes não irão comprar tudo o que você produz, e talvez nem estejam interessados em contato direto, mas mesmo assim eles irão comprar boa parte do que você criar. Os processos que você criar para cuidar dos seus Fãs Verdadeiros também servirá para cuidar dos seus pseudo-fãs. E conforme você for adquirindo novos Fãs Verdadeiros, você pode também adicionar novos pseudo-fãs. Continuando nessa direção você pode acabar com milhões de fãs e acabar produzindo um sucesso mundial. Eu não conheço nenhum tipo de criador que não se interessaria em ter um milhão de fãs.

Você não precisa do estrelato

Mas o foco desta estratégia é, na verdade, para dizer que você não precisa de um sucesso estrelar para sobreviver. Você não precisa tentar se tornar o best-seller para conseguir escapar da irrelevância da cauda longa. Há um lugar no meio do caminho, não muito longe do estrelato e do topo, onde você pode conseguir ter momentum suficiente para viver dos rendimentos e frutos do seu trabalho. Este pequeno pedaço no caminho ao paraíso é o que chamo de 1,000 Fãs Verdadeiros. É um destino alternativo para artistas focarem os seus esforços.

Artistas jovens iniciando hoje neste mundo moderado e comentado mundialmente através da internet, possuem um outro caminho para seguir ao invés do estrelato; um caminho feito possível pela mesma tecnologia que criou a cauda longa. Ao invés de tentar alcançar o estrelato, best-sellers e status de celebridade, eles podem se concentrar em se comunicar com seus 1,000 Fãs Verdadeiros. É um caminho muito mais sã e seguro a se seguir. Você talvez não ganhe uma fortuna fazendo isso, mas ganhará em troca a chance de viver dos frutos do seu trabalho – aquele trabalho que você ama fazer. Você não estará cercado por rumores e boatos, mas sim por Fãs Verdadeiros. E a sua chance de realmente chegar lá será infinitamente maior.

Há porém algumas observações a serem feitas sobre esta estratégia. Esta fórmula – mil Fãs Verdadeiros – é designada para o uso por somente uma pessoa – o artista individual. O que acontece se você trabalha como uma dupla, quarteto ou até uma equipe inteira de produção para um filme? Obviamente você precisará de mais fãs. Mas os fãs adicionais que você precisará conquistar irão aumentar em uma proporção geométrica diretamente ligado ao aumento do seu grupo. Em outras palavras, se você aumentar seu grupo em 33%, você só precisa de mais 33% de fãs.

Esse crescimento linear está em contraste com o crescimento exponencial que a maioria dos negócios digitais experiencia. Eu não ficaria surpreso se o valor de seus Fãs Verdadeiros seguisse as regras de efeitos de rede comuns que dita que seu alcance aumenta ao quadrado do aumento da sua base. Ao passo que seus Fãs Verdadeiros se conectam um com os outros, eles muito provavelmente aumentarão os gastos médios com seus produtos. Então enquanto o aumento no número de artistas envolvidos na criação aumenta o número de Fãs Verdadeiros necessários, este aumento não foge do controle, mas sim aumenta gentilmente e em proporção.

Um aviso importante: não são todos artistas que se encaixam – ou até que desejam – construir e manter uma base de fãs. Diversos músicos só desejam tocar sua música; fotógrafos só querem fotografar; artistas pintar; e eles muitas vezes não querem lidar com fãs, especialmente Fãs Verdadeiros. Para estes tipos de artistas, eles precisam de um mediador, um gerente, um facilitador, um agente – alguém para gerenciar seus fãs. Ainda assim eles podem aspirar a este destino dos 1,000 Fãs Verdadeiros. Eles só irão precisar trabalhar em duplas.

Terceira distinção. Fãs diretos são os melhores. O número de Fãs Verdadeiros necessários para se sustentar (financeiramente falando) indiretamente infla rápido, mas não infinitamente. Vamos pegar blogs por exemplo. Devido ao fato de que o suporte de seus fãs em seu blog irá provir indiretamente de cliques em anúncios ou modalidades parecidas, mais fãs são necessários para um blogueiro para ele poder se sustentar. Mas ao mesmo tempo que este movimento nos move mais para o lado esquerdo na curva da cauda longa, ainda está bem longe do estrelato. O mesmo se aplica com a publicação de livros. Quando você tiver corporações tentando assegurar a maior parte do lucro do seu trabalho, então você irá precisar de muito mais Fãs Verdadeiros para lhe sustentar. Quanto maior for o contato direto do autor com seus fãs, menor será o número necessários destes.

Você pode precisar mais ou menos que 1,000 Fãs

Por último, o número preciso pode variar dependendo da mídia. Talvez seja 500 Fãs Verdadeiros para um pintor e 5,000 Fãs Verdadeiros para um produto de vídeos. Os números com certeza irão variar ao redor do mundo. Mas o número em si não é o fator mais importante porque este não pode ser determinado corretamente se não por tentativa e erro. Uma vez atingido este modo, o número certo ficará evidente. Este será o número de Fãs Verdadeiros certo para você. Minha fórmula talvez esteja errada por alguma dezena ou centena, mas com certeza é muito menos que um milhão.

Eu estive procurando na atual literatura para qualquer referência ao número certo de Fãs Verdadeiros. O cofundador da Suck.com[10], Carl Steadman, tem uma teoria sobre microcelebridades. De acordo com a sua conta, uma microcelebridade era alguém famoso para 1,500 pessoas. Então estes 1,500 seriam aqueles que lhe apoiariam de todas maneiras possíveis. Como citado por Danny O’Brien, “Uma pessoa em cada cidade do Reino Unido gosta da sua história em quadrinhos online. Isso é mais do que suficiente para pagar por suas cervejas o ano inteiro.”

Outros chamam este modelo de microcelebridade de micro-patronagem, ou patronagem distribuída.

Em 1999 John Kelsey e Bruce Schneier publicaram um artigo sobre isto no First Monday, um jornal online. Eles chamaram-no de Protocolo de Performance de Rua [11].

“Usando a lógica de um artista de rua, o autor se comunica diretamente com seus leitores antes mesmo de o livro ser publicado; talvez até antes mesmo de o livro ser escrito. O autor não precisa mais necessariamente de uma editora e simplesmente faz um anúncio público parecido com: “Quando eu receber $ 100,000 em doações, eu vou lançar o próximo livro da série.”

Leitores podem visitar o site do autor, verificar quanto dinheiro ele já recebeu e doarem dinheiro para a causa para que o próximo livro seja publicado. Note que o autor não se preocupa com quem está pagando para a publicação do seu próximo livro; também não lhe importa quantas pessoas vão ler que não doaram. Só o que importa para ele é que ele alcance seus $ 100,000. Quando isto acontecer, ele publica seu próximo livro. Neste caso, “publicar” simplesmente significa “tornar disponível”, e não “formatar e distribuir através de livrarias.” O livro torna-se disponível, totalmente gratuito, para todos: para aqueles que doaram e para aqueles que não.”

Em 2004 o autor Lawrence Watt-Evans[12] usou este modelo para lançar seu novo livro. Ele pediu para que seus Fãs Verdadeiros pagassem coletivamente $100 por mês. Quando ele recebia os $100, ele publicava o próximo capítulo do livro. O livro inteiro foi publicado online para seus Fãs Verdadeiros, e depois impresso para todos seus fãs. Ele está agora escrevendo um segundo livro usando este mesmo método. Ele consegue se sustentar com somente 200 Fãs Verdadeiros porque ele também publica pela maneira tradicional – fazendo uso de uma editora que por sua vez é apoiada por pseudo-fãs. Outros autores que usam fãs diretamente para apoiar seu trabalho são Diane Duane [13], Sharon Lee and Steve Miller [14], and Don Sakers [15]. O designer de jogos, Greg Stolze [16] , usou um modelo similar de Fãs Verdadeiros para lançar dois jogos pré-financiados [17]. 50 de seus Fãs Verdadeiros contribuíram doando para arcar com seus custos de desenvolvimento.

A genialidade do modelo de Fãs Verdadeiros está no fato de que fãs são capazes de mover um artista longe do precipício da cauda longa de maneira que nem o artista espera. Eles podem fazer isto de três maneiras: comprando mais, comprando diretamente para que assim o criador mantenha maior parte do lucro e criando novos modos de suporte.

Novos modelos de suporte incluem a micro-patronagem. Outro modelo é o pré-financiamento de custos de startup. A tecnologia digital proporciona que esse suporte de fãs tome muitas formas. O site Fundable [18] é um projeto baseado na web que permite que qualquer um possa arrecadar uma determinada quantia para seu projeto, enquanto que você garante que o projeto irá realmente acontecer. A Fundable guarda o dinheiro até que toda quantia seja arrecadada. Eles devolvem o dinheiro caso o mínimo não seja atingido.

Fundable

Aqui um exemplo de um projeto no Fundable:

“Amelia, uma cantora de soprano de 20 anos, realizou uma pré-venda seu primeiro CD mesmo antes de pisar num estúdio de gravação. ‘Se eu conseguir $400 em vendas antecipadas, será possível para mim para pagar o resto [dos custos do estúdio]’, como ela relatou para potenciais contribuidores. O modelo de ‘ou tudo, ou nada’ do Fundable assegurou que nenhum de seus clientes perderia dinheiro caso ela não conseguisse arrecadar o suficiente. No final ela conseguiu vender cerca de $940 em sua pré-venda.”

Mil dólares não serão suficiente para alimentar um artista por muito tempo, mas levando este tipo de projeto a sério, um artista dedicado pode conseguir muito mais com seus Fãs Verdadeiros. Jill Sobule [19], uma artista que conseguiu amadurecer uma boa base de Fãs Verdadeiros ao longo dos anos onde fazia turnês e gravava, está indo muito bem dependendo de seus Fãs Verdadeiros. Recentemente ela resolveu pedir a seus fãs para financiar seus custos de produção necessários para seu próximo álbum – aproximadamente $ 5,000. Ela já conseguiu cerca de $50,000. Através do suporte direto via patronagem, os seus fãs ganham intimidade com seu artista. De acordo com a Associated Press [20]:

“Contribuidores podem escolher diferentes níveis de colaboração desde $10 que lhes dá direito ao download digital do seu disco quando este for lançado, até $10,000 onde ela promete ‘você pode até cantar junto comigo em meu CD. Não se preocupe se você não sabe cantar – nós podemos consertar isto por aqui.’ Para uma contribuição de $5,000, Sobule promete que ela fará um show particular na casa de quem fizer tal doação. Os níveis mais baixos são mais populares, onde doadores podem ganhar por exemplo uma cópia antecipada do CD, uma menção nos créditos ou até uma camiseta lhes identificando como “Produtor Executivo Júnior” de seu CD.”

A alternativa mais usual ao uso do modelo de Fãs Verdadeiros é a pobreza. Um estudo recente analisando dados desde 1995, concluiu que o preço aceitável para ser um artista era grande. A sociologista Ruth Towse fez uma pesquisa com diversos artistas do Reino Unido e concluiu que a maioria ganha menos do que valores mínimos para sobrevivência.

O que eu estou sugerindo aqui é que há um lar para criadores criativos entre a pobreza e o estrelato. Algum lugar abaixo do super-estrelato de best-sellers, mas um pouco mais alto do que a obscuridade da cauda longa. Eu não sei o número preciso, mas eu acredito que um artista dedicado poderia cultivar 1,000 Fãs Verdadeiros, e através de seu suporte direto usando tecnologia moderna, ter um bom sustento. Eu adoraria ouvir outras histórias de pessoas que trilharam este caminho.

Updates:

Um artista que depende parcialmente de seus Fãs Verdadeiros respondeu com relatos abertos de suas finanças: A Realidade de Depender de Fãs Verdadeiros [21]

Aqui também demonstro o resultado de minha pesquisa com artistas sustentados por seus Fãs Verdadeiros: O Argumento Contra os 1,000 Fãs Verdadeiros [22]

10. http://en.wikipedia.org/wiki/Suck.com

11. http://www.firstmonday.org/issues/issue4_6/kelsey/

12. http://www.ethshar.com/thesprigganexperiment0.html

13. http://www.the-big-meow.com/

14. http://www.korval.com/fledgling/

15. http://www.readersadvice.com/mmeade/scatwlds/sponsor.html

16. http://www.gregstolze.com/ransom.html

17. http://www.danielsolis.com/meatbot/ransom.html

18. http://www.fundable.org/

19. http://www.jillsobule.com/jetpackintro.html

20. http://news.yahoo.com/s/ap/20080303/ap_en_mu/music_making_jill_s_cd

21. http://www.kk.org/thetechnium/archives/2008/04/the_reality_of.php

22. http://www.kk.org/thetechnium/archives/2008/04/the_case_agains.php

Gostou desse artigo?

Se você gostou desse artigo, recomendo que se inscreva em minha lista para receber mais artigos como esse e de cara já baixar o manual do Empreendedor Digital. Este é o manual que lhe mostrará como é possível que você possa começar seu empreendimento na web HOJE MESMO:

Clique no botão abaixo e receba agora mesmo o
Manual do Empreendedor Digital!

Bruno Empreendedor Digital

Bruno Picinini é conhecido como o maior especialista em empreendedorismo digital focado em infoprodutos e serviços. Criador de diversos negócios online de sucesso, suas empresas faturam hoje mais de 7 dígitos por ano. Também é autor do Manual do Empreendedor Digital, manual gratuito que já ajudou milhares de pessoas a dar seu primeiro passo no mundo online.

Inscreva-se no canal oficial de Bruno Picinini - O Empreendedor Digital

30 Responses to “1,000 Fãs Verdadeiros”

Read below or add a comment...

  1. Arlindo Armando says:

    Olá Bruno, achei simplesmente fantástico esse artigo, obrigado por traduzir ele =)

    Eu nunca tinha pensado nesse conceito de “Fans verdadeiros”, mas achei simplesmente espetacular. Acredito que quando temos um projeto, os fans verdadeiros são os que temos na lista, que, apesar de estarem misturados a pseudo-fans, compram grande parte das coisas que anunciamos.

    Abraços, Arlindo Armando

  2. Dival Siqueira Filho says:

    Excelente conteúdo Bruno! O mais interessante, é que é algo factível e possível de ser atingido, utilizando as técnicas corretas e principalmente conteúdo relevante e de qualidade. É comprovado que você não precisa ser uma celebridade com milhões de fãs e exposição na mídia, para atingir os seus objetivos e ganhar dinheiro online de forma honesta e recorrente.

  3. Vanessa says:

    Bruno, parabéns! Ótimo tema!

  4. Eudes says:

    Eu conheci esse formato de fãs verdadeiros, através de captação junto ao Facebook, com o nome de Avatares. No Facebook você tem dua modalidades de visitantes, um se chama “amigos” e o outro de “fãs”, são o que interagem contigo com finalidades comerciais.

    • Eudes, acredito que o conceito de Avatares é diferente do conceito de Fãs Verdadeiros. No meu manual do Mail Log falo sobre o uso de avatares. Avatares seriam mais usados numa tentativa de identificarmos, entendermos e digamos “padronizarmos” uma multidão numa pessoa só (o avatar) para que assim possamos nos comunicar melhor.

      Fãs Verdadeiros não são avatares e sim pessoas que você conhece de cima abaixo; nome, interesses, histórias. São aqueles que você tem uma conexão direta. Eles PODEM se encaixar num tipo de avatar, mas isto não é obrigatório.

  5. Trustvainer says:

    Fantástico este artigo!

  6. paulo césar félix cassiano says:

    Oi Bruno, mais um excelente texto, realmente fãs verdadeiros é uma abordagem diferente, eu sou orientador pessoal e Coach, penso em buscar um caminho semelhante a esse do exemplo, o artigo esta muito bom, bem traduzido, sempre publique algo semelhantes que só nos acrescenta na estrada para sermos empreendedores digitais com fãs de carteirinha, digamos assim, falta só montar a estratégia da cauda longa e ter fãs, abraços!

  7. Eudes says:

    Olá Bruno. Obrigado pelas suas observações acima sobre Avatares. Na verdade a lição que aprendi também com outro coach foi a seguinte: AVATAR é a linguagem da pessoa que adere a sua lista segmentada por tipo de produto. Com isso, eu espero aprender contigo como captar esa lista segmentada no Twitter ou no Facebook. Abçs.

  8. Rafael says:

    Bruno, obrigado por trazer este artigo para nós.
    Não só o trouxe para nós, mas teve o trabalho de traduzí-lo.
    E eu já trabalhei com tradução de filme, sei o quanto de tempo consome.
    Mais uma vez obrigado

  9. Romário Silva says:

    Super hiper mega excelente post ! eu me vi nesse post, é sempre bom transmitirmos aos fãs que temos um bom domínio sobre uma determinada área, e como seu artigo diz, tudo que você vender eles não vão hesitar em comprar porque já sabem que os seus produtos são ótimos, Valeu pela dica Bruno, você é como um mentor,( li em um site não sei onde, que todos nós precisamos de mentores, por mais que sejamos inteligentes), cara muito obrigado mesmo!!!! ; )

  10. Romário Silva says:

    Mais uma vez, excelente post Bruno ! valeu pelas dicas brother,
    muito sucesso pra você

  11. João Pedro Alves says:

    Excelente artigo Bruno! Como a maioria dos seus, sempre abrindo portas para minha mente!

  12. Wesley Vaz says:

    Excelente artigo, ele me deu uma visão sobre o assunto que não tinha pensado ainda, na verdade eu lê – lo, relê – lo pois, e um ótimo aprendizado e eu não quero deixar nada passar. Parabéns pela iniciativa de traduzi -lo, tradução que ficou ótima por sinal, parabéns.

  13. francisco says:

    Genial nunca tinha visto a coisa por esse angulo. Faz muito sentido isso!

  14. Ailton Pereira says:

    Muito Bom!

    Realmente é só ir fazendo o trabalho bem feito e resolvendo os problemas das pessoas que elas vão seguir o artista. Genial, as vezes eu passo por um comércio e fico vendo que ali não tem ninguém e as vezes vejo os vendedores todos na frente, aquilo deve ser muito mal para o comerciante. Mas algumas destas lojas conseguem os seus mil fans e até montam filiais e se conseguirem manter o padrão de atendimento formam até uma grande rede.

    Muito bom o seu trabalho. assinei o seu curso Marketing Digital com Resultados e o Empreendimentos Altamente Lucrativos e estou gostando muito do profissionalismo e da atenção dispensada, realmente é de um bom gosto extremo e é nestas bases que eu quero construir a minha base de mil fans. Fico feliz em ver tanto profissionalismo que um camarada tão jovem

    Assim que abrir o empreendedor Efetivo eu quero poder comprar também. Creio que em primeiro lugar deve-se criar um mercado que acreditem que nos estamos falando a verdade e que queremos ajudar e depois receberemos o dinheiro.

    Parabéns e sucesso!

    Que deus te abençoe e que você tenha um 2014 espetacular!

    Jé estou patinando a muito tempo por falta de tempo e de cursos que realmente passe as informações completas. Estou feliz e creio que poderei ajudar as pessoas a conseguirem o que elas querem.

  15. nalberto says:

    Meu caro Bruno:
    Você é um sujeito iluminado, que tem o cheiro do que é importante à sua audiência.
    Esse artigo que você traduziu abre as portas até para quem não quer ter um produto lançado na internet.
    A micro-patronagem é um recurso fantástico para pequenos artistas, que poderão ter seu sonho realizado, caso resolva envolver seus familiares, amigos e fãs.
    Muito grato por mais esse serviço brilhante que presta a todos nós.
    Deus o preserve sempre asssim!
    Um forte abraço
    Nalberto

  16. Mari says:

    Olá Bruno, Parabéns pela tradução do artigo! Excelente tema.
    Um outro nome para esse conceito poderia ser crowdfunding? É a economia peer to peer.

    Estou fazendo o EDAL e gostando muito. Você é muito bom, Bruno!

    Abs

  17. Anderson says:

    Olá Bruno!

    Sou um grande admirador de seu trabalho, tenho gostado muito de seus artigos o que são verdadeiras perolas para nossas vidas empreendedoras.

  18. Alejandro Salinas says:

    Realmente muito legal o artigo! Só agora encontrei ele e o conceito dos 1000 fãs é algo mais “real” para os que começamos nesse mundo digital!
    Parabêns pela tradução!

  19. Heike Tika says:

    Muito bom, brunO!

Não se acanhe .. deixe o seu comentário!

*