Faça O Que Você Ama E Seja Pobre O Resto Da Sua Vida

Faca O Que Você AmaAcredito que uma das perguntas chaves – e uma a qual já recebi diversas vezes aqui no Empreendedor Digital – é quando a pessoa não tem certeza em que área quer trabalhar por ou não ter certeza do que realmente gosta de fazer ou porque acredita que não tem nenhuma habilidade boa o suficiente para criar e desenvolver um empreendimento em cima desta, pergunta:

“Mas que mercado devo atuar? Onde devo trabalhar?”

Ou até o mais clássico e sublime:

“Mas que diabos eu tenho que fazer!?”

A boa notícia é que você NÃO precisa ser completamente apaixonado pelo que faz para ter um negócio de sucesso – sim você precisa de paixão em algo que lhe faça levantar todos dias cedo e que você não consiga parar de pensar, mas isto não precisa ser necessariamente as tarefas exatas que você faz no seu dia-a-dia (ou você acha que o Murilo Ferreira AMA minério de ferro?). De fato, acredito que um dos maiores dogmas que eu vejo sendo clamado para todos ouvirem nos 4 cantos do mundo (e desde quando mundo tem canto!?) é o famoso:

“Faça o que você ama.”

Aha Cláudia, senta lá.

Eu amo jogar futebol e comer churrasco – mas se eu fizesse isso dia após dia simplesmente por estar “fazendo o que eu amo“, eu provavelmente acabaria como um gordinho jogador de futebol pobre!!

Esta frase de fazer o que você ama é um pouco perigosa e acredito que você não deve levá-la ao pé da letra. Sim, ela tem seus fundamentos e eu se você perguntar se eu faço o que amo, a resposta não é tão simples.

Não me entenda errado: sim, eu AMO a minha área de atuação e tudo mais o que envolve nela. Agora, não, eu não amo ter que por exemplo editar e revisar um PDF que estou escrevendo para entregar um melhor produto. Assim como eu não amo criar sites para outras pessoas, mas hey, eu sei fazer, me gera uma boa renda e me gera contatos – por que não? E sim, eu gosto destas atividades como parte de um todo.

Mas isto é só a ponta do iceberg.

O que eu quero dizer é que sim, tente, de prefência, trabalhar e se envolver em uma área que você ame e tenha interesse pois isso vai facilitar (e MUITO!) todo o resto – MAS ao mesmo tempo, não feche os olhos para outras oportunidades fora de áreas que você “ama” ou até para tarefas e oportunidades dentro de sua área que podem vir a virar um produto e/ou serviço de qualidade e e útil para seus clientes.

Olha, já estou a um tempo online trabalhando e neste tempo já tive sites sobre os mais variados assuntos: microondas, doenças, fitness, academias, LEGO e a lista segue. Até, já vi gente que começou a faculdade e agora está em dúvida se para ela ou não pois começou a perceber que não era bem aquilo o que queria e o que antes era puro “amor”, agora já não é mais bem assim …

Por que? Por que eu amava alguns destes assuntos? Por que eu ia durmir e acordava pensando em microondas e nas suas últimas tecnologias e escrevendo dissertações e teses do porquê você não deve colocar um gato no microondas!?

Claro que não!

O que acontecia é que todos esses nichos mostravam um potencial de lucro ou potencial para estudos e eu tinha interesse em ver o quanto conseguiria ganhar com estes mercados. Não eu não amava escrever diversos artigos sobre estes assuntos, mas ei, estes artigos é o que me davam liberdade de horário, local e tudo mais, poder trabalhar onde eu quiser e quando eu quiser – o que eu realmente AMO.

Se você parar para pensar as mais diversas empresas que existem hoje, você verá que dificilmente o seu fundador AMAVA a área de atuação escolhida (afinal, não é muito fácil ser apaixonado por máquinas de lavar roupa ou apaixonado por válvulas de escape não?) O mais provável é que seus fundadores (e também os futuros CEOs e funcionários que trabalharam nestas empresas) provavemente identificaram uma necessidade dentro de um nicho de mercado e resolveram que ele(s) era a pessoa certa para fornecer a resposta a esta necessidade.

O amor e a paixão estavam em desenvolver e gerenciar um negócio, criando-o do zero – e não no produto ou nas tarefas necessárias para cumprir este objetivo.

Se você conseguiu entender que o melhor é você tentar se envolver em uma área que você ama e tomar cuidado porque somente ‘fazer aquilo que você ama‘ pode não ser a resposta, então podemos prosseguir …

Mas qual é o caminho então?

O que eu quero propor aqui é uma ideia diferente de como se escolher o seu nicho de mercado que você irá atuar e como você deve prestar mais atenção em suas paixões e seus sonhos do que exatamente “o que você ama.”

Mas antes disso, temos que ver que esta não é uma simples questão de saber qual de dois caminhos diferentes o levará mais cedo a seu resultado – também temos que levar em conta a sua personalidade, o seu conhecimento, as suas paixões, frustrações, etc.

Deixe-me esclarecer alguns conceitos antes de continuarmos …

Começando por uma análise fria e calculista (como todo bom assassino!) de quais os mercados tem maior potencial de lucro e que envolvem mais dinheiro, esta pergunta não seria tão difícil responder. Aqui vão alguns diretamente da minha cabeça sem eu precisar pesquisar muito, somente do que eu sei que há bastante movimentação financeira envolvida e portanto, lucro:

  1. Educação Online;
  2. Seguros;
  3. Finanças;
  4. Fitness;
  5. Viagem;
  6. Hobbies;
  7. Eletrônicos;
  8. Fashion;
  9. Sexo;

E a lista segue …

Como pode ver estes mercados se caracterizam por suas empresas e pessoas atuantes no mercado se envolverem com largas quantias de dinheiro e portanto a possibilidade de lucro é mais alta.

Agora, isto significa que você deva necessariamente entrar neste mercado?

Com certeza não. Como falei acima, escolher o seu nicho envolve bem mais que simplesmente “Qual mercado é o mais lucrativo?” ou “Faça o que você ama!”

Então como fazemos para escolher nosso mercado de atuação?

Para melhor escolhermos o mercado que queremos atuar, a primeira coisa que devemos fazer é esquecer do dinheiro. Sim, esquecer do dinheiro e não, não é “faça o que você ama“.

O que eu quero que você foque primeiro são necessidades que você consegue identificar em algum mercado que você deseje trabalhar. Este pode ser um mercado totalmente novo para você ou um mercado que você já trabalha – ambas opções são válidas.

Você provavelmente já leu da história do médico que virou investidor financeiro, ou do arquiteto que abriu uma faculdade ou tantas diversas outras. Para exemplificar ainda melhor o porquê eu quero que você olhe mais para as necessidades do mercado do que para o seu desejo (egoísta) de ganhar e ganhar dinheiro, me responda qual é o mais provável:

EuAmoPregos.com.br

Quando João Gerdau comprou  e começou a operar sua primeira fábrica de pregos aqui em Porto Alegre, você acha que ele pensou

  • Meu Deus! Como eu amo pregos! Sim, pregos! Depois do pão-fatiado, pregos são com certeza meu maior amor! Quantos tamanhos, tipos e texturas!

ou

  • Hummm … acredito que este país está crescendo e precisarão de pregos para diversas atividades e no momento não há uma boa empresa fornecendo pregos de qualidade

Eu não tenho dúvidas sobre como ocorreu.

Os motivos por trás se era sucesso, provir sustentação a sua família ou o simples desafio, só o senhor João Gerdau mesmo poderia nos responder – mas aqui o que começou foi a percepção de uma necessidade do mercado que ele poderia preencher.

E você acha que deu certo? Eu tenho certeza que sim.

Mas eu não gosto de pregos! O que você me recomenda então?

Recomendo que para escolher o seu mercado de atuação você comece olhando:

  • Necessidades do mercado: como explicado acima, fique de olhos e ouvidos abertos para perceber se há algum espaço ou alguma necessidade que você poderia fornecer uma solução adequada para o mercado. Isto não significa que você precista inventar o novo iPhone ou iPad; pode ser simplesmente fazer e/ou fornecer um serviço/produto já existente mas melhor!
  • Interesse pelo mercado: apesar de não ser um pré-requisito, o ideal seria que você tenha interesse pelo mercado pois envolverá bastante trabalho e  você provavelmente passará umas boas horas em cima. Se conseguir identificar uma necessidade de mercado em um nicho de mercado@@ que você tem interesse e conhece, melhor!
  • Alie PAIXÃO + UTLIDADE: novamente o exemplo do futebol+churrasco: eu amo fazer isso, mas somente assim não é útil para ninguém Se eu por exemplo tivesse conhecimento (ou fosse atrás deste) e desenvolvesse um manual de como treinar para futebol, dietas ou até os melhores clubes para participar das chamadas “peneiras” ou até um serviço online onde as pessoas poderiam postar vídeos jogando e por base de voto estilo 9GAG os vídeos subiriam ou desceriam atraindo “talvez” olheiros, então ai você já tem algo mais concreto e de valor para o mercado.

Ao tentar conciliar algo que você goste e tenha paixão MAIS utilidade para outras pessoas, você estará olhando para uma definição que chama-se “convergência” que foi difundida por um dos grandes nomes do mundo internet marketing online, Chris Guillebeau (pode ouvir a uma boa entrevista com ele neste link):

Paixão + Utilidade

Convergência é o segredo do sucesso!

É exatamente no meio termo entre os dois onde você pode achar o seu nicho!

Outras dicas para se escolher o seu mercado de atuação, é fazer uma lista com diversos itens sobre cada um dos tópicos abaixo:

  • Medos;
  • Hobbies;
  • Problemas;
  • Paixões;

Por que cito estes tópicos? Simples. Pense assim:

Você por acaso tem medo/fobia de aranhas? E o que fez para resolver? Pesquisou algo? Acha que poderia escrever algo que poderia ajudar as pessoas a perder este medo/fobia?

Strike! - escreva um e-book.

Teve algum relacionamento que acabou mal? Sofreu muito? O que fez para passar? Achar que poderia ajudar alguém com conselhos e dicas do que você fez para resolver este seu problema?

Strike 2!

Você gosta de tricotar/desenhar/costurar/criar? É um hobby que lhe atrai e sabe que há mais pessoas interessadas? Acha que poderia vender algum de seus produtos finalizados e/ou ensinar a pessoas a fazer o mesmo que você faz?

Strike 3!

E assim vai …

O que quero dizer é: “esqueça a ideia do “mas eu não sei fazer nada!

Se você VIVEU, você provavelmente tem algo há oferecer neste mundo (filosofias a parte) Analise com cuidado que tenho certeza que você achará algo.

Outra alternativa é olhar para mercados “laterais“. As vezes não é tão claro ao utilizar esta técnica, mas um exemplo seria se você trabalha na área de RH, talvez você tenha ótimas habilidades de comunicação pessoal e simplesmente não sabia. Pode ter certeza que há MILHARES de pessoas com este problema.

E se eu já tenho o meu produto e/ou serviço?

Se você já tem seu produto ou serviço, bom daí é uma outra história pois aí você não está mais procurando somente o seu nicho de atuação e sim está querendo somente expandir o seu negócio para ter uma presença na Web e expandir tanto em nível de escala como alcance através da internet.

Para estes casos toda a decisão de “que nicho devo atuar” é menos importante. O que passa a ser mais importante são perguntas como: “Onde meus potenciais clientes estão na Web? Consigo ajudá-los de alguma maneira? Como ter certeza que possíveis leitores/consumidores conheçam minha marca? Qual é a maneira eficaz para isso?”

E daí diversas outras perguntas e estratégias desenrolam e não está no escopo deste post, mas no futuro com certeza será abordado. Até porque ter um produto é só parte da equação; o marketing é fundamental (afinal, quem nunca viu um produto muito ruim sendo vendido como água no deserto!?)

Sei que agora pode parecer difícil saber exatamente o que fazer já que aquilo que você sempre ouviu sobre “Faça aquilo que você ama!” foi acabado de jogar pela janela! Eu entendo completamente como pode parecer difícil no início, mas lhe garanto que há alternativas e justamente para ajudá-lo é que criei o Manual do Empreendedor Digital.

Nele (e em outros reports especiais reservados exclusivamente para os assinantes de minha newsletter) eu dou diversas dicas de como começar o seu próprio empreendimento.

Se tiver interesse em saber mais, basta colocar o seu e-mail abaixo e você estará recebendo agora mesmo o manual:

Coloque seu e-mail abaixo e receba agora mesmo o
Manual do Empreendedor Digital!

Bruno Picinini

Trocando MBAs por viagens e usando seu diploma como apoio para o pé da mesa, trabalha com empreendedorismo digital enquanto explora o mundo em busca do cálice sagrado perdido – entretanto se contenta com qualquer boa cerveja. Também é autor do Manual do Empreendedor Digital, manual gratuito que já ajudou milhares de pessoas a dar seu primeiro passo no mundo online.

Inscreva-se no canal oficial de Bruno Picinini - O Empreendedor Digital

15 Responses to “Faça O Que Você Ama E Seja Pobre O Resto Da Sua Vida”

Read below or add a comment...

  1. Felipe says:

    Olá Bruno,
    Mais um artigo de qualidade rapaz e muito interessante. Como você sabe eu tenho a oportunidade de juntar o tema que amo ao meu projeto, inclusive citado por você neste artigo como um nicho interessante e lucrativo. Bom só gostaria de deixar aqui nos comentários meu agradecimento à você, por você ser diferente na forma que trata seus negócios e seus leitores. Parabéns e continue com esse belo trabalho.

    • Bruno says:

      Grande Felipe!

      Valeu pelos elogios ;)

      Sim, as vezes é possível conseguirmos fazer EXATAMENTE aquilo que amamos. Na verdade o post é mais para um “cuidado” com a famosa “faça o que você ama” que as vezes as pessoas tendem a seguir sem muita ponderação.

      Que bom que consegue aliar o que ama com o seu negócio. Isso é com certeza importantíssimo!

      Novamente obrigado e volte sempre ;)

  2. Matheus says:

    Dale Pixno!

    Meus parabéns de novo meu irmão!
    Acho que tu conseguiu colocar muito bem essa armadilha do ‘faça o que você ama’. Acho que essa ideia está gerando uma frustração que na minha área de comércio exterior pessoal sempre pensa: ‘ eu amo viajar, vou fazer comércio exterior’ e o resultado é a frustração.

    Forte abç

    Matheus

    • Bruno says:

      Grande irmão!

      É verdade, sei como é. O conselho de simplesmente “faça o que você ama” já virou quase clichê e as pessoas acabam usando em qualquer lugar sem levar em consideração diversos outros fatores. Até numa entrevista que li fizeram uma pesquisa do conselho que mais PREJUDICOU empreendedores, e o “conselho” “faça o que você ama” ficou em primeiro lugar!

      Volte sempre e fique a vontade para mandar perguntas ;)

      Abraços!

  3. LUIS FRADERA says:

    Parabéns, Bruno, pela maneira inteligente de abordar um tema que já virou refrão: “Faça o que voce ama.”. Muito inteligente a sua forma de escrever, pois apesar de longa, nos prende a ler até o fim, de tão interessante que é. E eu amo o que faço, que é procurar novas formas de se expressar, de viver , de ganhar dinheiro, etc. Meus sinceros parabéns, novamente!

    • Bruno says:

      Ola Luis! Obrigado pelos elogios ;) Pois é, até foi um pouco complexo escrever o post porque, como falei, eu AMO o que faço, mas não todas as atividades especificas que tenho que fazer para fazer o que amo .. o que pode confundir muita gente.

      Acho que muita gente sai falando “Faça o q vc ama” até com uma certa falta de responsabilidade porque sem uma analise mais profunda, esse simples “conselho” pode mais prejudicar do que ajudar ..

      Valeu pela visita e volte sempre!

  4. Rafael says:

    Parabéns pelo artigo, ganhou mais um leitor assíduo! Me orientou tremendamente bem em relação a escolher um nicho de site para trabalhar, espero que continue com esse site e essa maneira de explicar.
    Abraço

  5. Fermino says:

    Tentei me inscrever p/Manual do Empreendedor Digital. Só que abriu tudo em ingles. Conformar em ingles.Perguntas e suestões em ingles. Pq.não em portugues .Eu nao falo em ingles! Este Manual é impotante p/todos ou não?
    Abraço

    • Olá amigo,

      olha na verdade era pra ser só a mensagem de confirmação de interesse que seria inglês. Todo o resto em português :) Até essa parte que é em inglês só é assim porque eu NÃO CONSIGO, infelizmente, trocar :(

      Se puder mandar onde você viu todas essas informaçòes em ingles eu do uma olhada :)

      Abraços!

  6. ezio says:

    parabéns Bruno, fico feliz por vc responder email po email, sinal que vc tem uma atenção especial em relacionamento com seus clientes

  7. José Carlos says:

    Olá Bruno.

    Nao estranhe meu linguajar , meu perfil que posso demonstrar , mas ja tenho 63 anos e só trabalhei e trabalho na minha vida muitas horas por dia incansavelmente ( ate 12 horas por dia ).
    Derrepente comecei a me interessar com seus assuntos ( caiu no meu colo) , e TUDO é muito estranho neste mundo informatizado , pois pouco sei , apesar de seu linguajar técnico ser aparentemente fácil, para mim nao é ,a pouca familiaridade com o mundo dos blogs , e- mails , etc etc .
    Porque relato tudo isso ?
    Tenho medo de me tornar ridículo diante de minhas duvidas e questionamentos , entende ?
    Mas vai lá :
    Se tenho uma GRANDE idéia sobre um produto que penso ser necessidade de uma grande parcela da sociedade e exponho dessa maneira que vc explica e ensina , e esse produto precisa ser fabricado , como farei isso se nao sou produtor desse produto mas sim o criador ?
    Deu para entender ?
    Exemplo …sei que a grande massa tem necessidade de um tônico que faz nascer cabelo ( esse é só um exemplo ) e eu tenho a formula , jogo isso na internet e milhões de pessoas querem comprar- lo e eu só consigo produzir 100 frascos , como poderia resolver essa situação ?
    Me desculpe se estou sendo “ridículo” , eu lhe avise do meu perfil .
    Grande abraço .
    José Carlosi

  8. Ithza Veiga says:

    Olá Bruno.

    Gostei muito do assunto abordado, tenho me questionado muito sobre o que fazer, pois quero trabalhar por conta própria, porém sempre me esbarro na mesma pergunta: o que fazer? Não sei fazer nada de específico? Adoro várias coisas, mas será que elas são possíveis de serem utilizadas? E de que forma?
    Enfim, fico pensando, pensando, pensando, e não consigo enxergar como usar o que tenho de experiência vinculado com a necessidade do mercado.
    Mas agradeço a você, sua matéria foi bem exclarecedora.
    Abraço,
    Ithza Veiga

Não se acanhe .. deixe o seu comentário!

*