3 Dicas Práticas Pra Aumentar Suas Vendas na Web

3 dicas diretas e práticas para você aumentar suas vendas na internet.

Veja… aprenda… e coloque-as em prática hoje mesmo!

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

3 Dicas Práticas Pra Aumentar Suas Vendas na Web

Opa! Bruno Picinini por aqui, autor e fundador do projeto Férias Sem Fim. No vídeo de hoje eu quero passar três dicas para você de como você pode vender mais dos seus produtos, seja online ou offline – mas é claro que eu me especializo mais em negócios online. É o que eu gosto de ensinar e passar adiante pelas vantagens que se tem por poder trabalhar de onde e quando quiser.

Essas três dicas são mais específicas para copywriting. Copywriting é a arte de vender através de palavras, seja o que você coloca no vídeo, seja o que você coloca no seu email, seja o que você coloca numa carta de vendas. Não é somente um texto para ser lido, mas um texto que causa uma ação (geralmente, uma venda).

As três dicas de como você pode vender mais são as seguintes:

A primeira delas é algo que vejo muita gente fazendo. Muitas pessoas acham que, só porque a promessa é boa, isso vai vender. Ter uma boa promessa ou oferta é só o primeiro passo.

É lógico que precisa ser uma oferta boa. Se a oferta não for algo que a pessoa realmente deseja, não vai adiantar. Tem que ser algo bom. Só que não adianta você fazer uma oferta muito boa sem provar que você pode entregar aquilo.

Vou criar uma oferta agora: “Como ganhar 1 milhão de reais em 50 segundos.” A oferta está ótima. Quem não gostaria de 1 milhão de reais em 50 segundos? Mas só porque eu falei, não significa que as pessoas vão acreditar e não significa que as pessoas pagarão por isso. Eu preciso provar que isso é possível.

Mantenha como uma regra na sua cabeça que tudo o que você disser que você pode entregar tem que ser provado. “O dólar vai disparar” – você tem como provar isso? Se não, daria para falar qualquer coisa.

Se você já construiu sua autoridade, talvez precise de menos provas. Mas, sinceramente, é melhor pensar que você está falando com uma pessoa do zero. Tudo o que você falar de benefício ou promessa, você tem que provar que isso já aconteceu ou que pode acontecer pelos fatores X, Y e Z – seja com depoimentos, seja com outras pessoas falando, seja com autoridades, seja com estudos científicos, seja com aparições na mídia.

Sempre prove tudo aquilo que você estiver incluindo no seu vídeo, na sua carta e no seu email porque é só assim que as pessoas vão acreditar. Mesmo que você já tenha clientes que confiam em você, só porque você falou algo não significa que as pessoas acreditarão de cara. Então, prove o que você está dizendo.

A segunda dica que eu queria passar é que muitas pessoas criam argumentos de venda nas suas cartas, emails e vídeos que são extremamente genéricos e usam bastante adjetivos. Tome muito cuidado todas as vezes que você usar um adjetivo ou um advérbio. Eles são muito perigosos.

Como regra básica para seu copywriting, releie seu texto, procure os adjetivos e advérbios e, se possível, corte-os. Eles quase não fazem diferença. Sei que isso pode soar estranho, mas foi explicar o porquê agora.

Vamos supor que eu diga: “Isso é uma oferta fantástica!” O que significa “fantástica”? Pode ser bom para uma pessoa, ruim para outra. Ou seja, é totalmente genérico e vago. Não tem nem como acreditar porque é vago. “Uma oportunidade incrível!” O que é “incrível”? Não faz sentido.

Sempre que você achar um adjetivo ou um advérbio, tente traduzir aquilo para algo específico. Por que sua oferta é “incrível”? Ela é realmente incrível ou você não sabe o que está fazendo? Não, ela é uma oferta incrível porque a pessoa pode ganhar 16.000 reais em apenas 30 dias, ela tem uma garantia de 1 ano, existem vários depoimentos, a pessoa terá apoio, suporte e comunidade.

Sim, isso é uma oferta incrível. Você foi específico. Você disse exatamente o que vai estar na sua oferta.

Sempre que tiver um adjetivo ou advérbio tente cortá-los e substituí-los por coisas específicas, tangíveis e que podem ser medidas. Assim, as pessoas entenderão qual é a oferta. É muito melhor dizer “me dê mil reais para ganhar meu curso e aprender X, Y e Z”. A pessoa entenderá que a oferta é incrível se ela for realmente incrível. Você colocar um adjetivo lá não significará nada.

A mesma coisa acontece com os advérbios. “Você ganhará muito dinheiro”. “Você encontrará sua parceira ideal”. “Você perderá 21 quilos rapidamente”. O que é “rapidamente”? “Você vai perder 21 quilos em 36 dias!” Aí já é muito mais específico. Assim já dá para ver, medir e marcar no calendário.

Então, sempre que tiver advérbio ou adjetivo, tente substituir por coisas mais específicas, mais tangíveis e mais diretamente relacionadas a o que você oferece. Só por ser mais específico, já é uma espécie de prova. Isso mostra que você sabe do que está falando. Você não estará jogando no ar “você vai ganhar dinheiro” sem nem saber um valor.

Não é à toa que no Férias Sem Fim (FeriasSemFim.com) eu falo de como ganhar de 3 a 20 mil reais. Não é um número que tirei do nada. É o resultado que eu tive com um desafio que eu criei. Acho que no terceiro mês ele gerou 3.589 e no quinto mês 19.989,75. É algo específico. Não é um número aleatório. Ninguém acreditará se for aleatório.

Depois que você provou seus argumentos, cortou os adjetivos e advérbios (para ser mais específico) e chegar na hora da oferta em si… E você for falar “sua inscrição custa X” a melhor maneira de fazer com que esse preço pareça ser “ridículo” (de tão barato que é) é dividir o valor por mês, semanas ou dias.

Se você já oferece ele parcelado, já está assim. Mas vamos supor que a pessoa terá resultados em um ano. Divida o valor por 365 e veja quanto dá esse valor por dia. Assim, você conseguirá fazer as comparações que vemos em vários lugares: “Esse produto não custará nem um café por dia. Não vale a pena ter todos esses resultados por menos de um café por dia?” “Quanto vale você se sentir bem consigo mesmo por ter perdido 26 quilos?” “Quanto vale ter finalmente achado a parceira ideal se você estava sozinho por tantos anos?” “Quanto você vai economizar sem precisar ir para festas e baladas?” “Todos esses benefícios não valem um café por dia?”

Se você fez seu trabalho certo, usando promessas específicas, provadas que são possíveis, tirando os adjetivos e advérbios para deixar algo bem tangível, será mais fácil para a pessoa fazer essa comparação.

Vou dar uma dica extra. Se você fizer algo simples como “não vale o preço de um café?”, talvez você implante na cabeça da pessoa essa comparação. Daí, toda vez que ela for tomar um café e não resolveu as coisas que você prometeu, ela pense no seu vídeo na internet. Não vou dizer que ela compraria só por conta disso. Mas, se ela lembrar de você, tem mais chances de ela abrir seu email, de clicar num anúncio seu, ver um vídeo seu e comprar alguma hora no futuro.

Essas eram as três dicas que eu queria passar para você hoje. Elas são mais relacionadas a copywriting e oferta em si. Se você gostou, recomendo que você visite o FeriasSemFim.com. Lá eu dou mais dicas e ofereço um treinamento online gratuito para você participar e aprender mais sobre como criar um negócio online do zero.

Depois, você pode clicar aqui embaixo para dar um joinha. Você também pode deixar uma pergunta ou sugestão de conteúdo para os próximos vídeos. Também clique no botão para se inscrever no canal e receber uma notificação de todos os próximos vídeos que eu postar.

Esse vídeo vai ficando por aqui. A gente se vê no próximo vídeo. Um grande abraço e até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+