Armadilha Mental Onde “Fugimos no Tempo” Ao Invés de Resolver a Situação Atual

Você foge no tempo para não encarar a realidade?

Muita gente faz isso. Mas é bem perigoso.

Saiba porque e como resolver.

Armadilha Mental Onde “Fugimos no Tempo” Ao Invés de Resolver a Situação Atual

Opa! Bruno Picinini por aqui, autor e fundador do projeto Férias Sem Fim. Neste belo vídeo de hoje quero falar um pouco mais sobre uma questão e te perguntar sobre “em qual tempo você vive?”

Isso já vai fazer sentido. Você entenderá o porquê. Isso é muito importante para o desenvolvimento pessoal e para os acontecimentos das nossas vidas.

Estou em Cuba, como você pode ver ali atrás. Acho que uma das coisas mais interessantes do país não é a beleza natural. Sinceramente, Havana não é uma cidade super bonita. O centro histórico é bacana. Tem os bares onde Ernest Hemingway tomava os seus daiquiris e seus mojitos.

Têm algumas coisas interessantes, mas não é isso o que eu acho o mais interessante aqui de Cuba. O mais interessante aqui do país é a questão do socialismo. As pessoas têm um estilo de vida e uma maneira de encarar a vida muito diferente do que nós estamos acostumados.

Quando digo “nós” estamos dizendo o mundo capitalista, ocidental, como é a maior parte dos países da América, Europa e boa parte do Oriente. Qual é a diferença que isso faz na hora de fazer as escolhas mais importantes da sua vida?

Mais especificamente, eu falei no vídeo anterior que um médico aqui em Cuba ganha cerca de 40 a 60 pesos cubanos convertíveis. Isso daria mais ou menos uns mil pesos cubanos. Eles ganham isso do governo e convertem para os conversíveis, que é a moeda que a maior parte das lojas aqui usam.

Imagine só você, como médico, depois de estudar sei lá quantos anos, ganhar no fim do mês de 40 a 60 para pagar todas suas contas e sustentar sua família. Aqui é um sistema socialista, então você ganha uma ajuda do governo com comida e outras coisas – mas isso nem de perto é o suficiente para se viver uma vida boa ou nem mesmo o mínimo necessário para se sobrevier.

Então, as pessoas acabam tendo que fazer outras coisas para se sustentarem. Um dos caras, que estava atuando como guia na fábrica de charutos na qual fomos visitar (Partagás), me explicou que ganhava mais como guia do que a mulher dele que era médica formada, por causa do jeito pelo qual o sistema é construído aqui.

O que isso tem a ver com a lição de hoje? Eu e minha namorada ficamos conversando sobre isso. O cara sabe que vai ficar estudando não sei quantos anos para depois de tantos anos para ganhar somente 40 pesos cubanos convertíveis. Qual é a motivação que a pessoa tem para fazer isso?

Por que que sabendo que ganhará tão pouco assim, a pessoa consegue se motivar e passar por todos os perrengues de estudar, fazer provas… Não sei como funciona o sistema de ensino aqui, mas imagino que seja um esforço grande para se formar como médico.

Qual é a motivação dessa pessoa? No Brasil a pessoa terá o status. Imagino que o status de médico ainda exista aqui. Mas pelo salário, não. Esse cara, cuja mulher trabalhava como médica… Ela disse que a motivação principal é a esperança de que o país mude.

De repente, ela possa ser um dos médicos cubanos que vão para o Brasil. Ganhar mais do que aqui não é difícil. Aí eles teriam a esperança de fazer algo melhor com toda educação e ensino.

Eu li sobre isso em outro livro. O que fazemos como estratégia para fugir quando a nossa situação atual é muito ruim… A gente foge no tempo. O que isso quer dizer? Fugimos para o passado ou para o futuro.

Se a nossa situação atual é muito ruim, a gente foge para o passado… “Nos meus tempos de ouro era assim. A vida era muito melhor.” Ou a gente foge para o futuro, porque há esperança de um dia as coisas melhorarem e serem muito melhores num tempo que está por vir.

O problema principal disso – talvez você tenha percebido – é que tanto o passado quanto o futuro nada mais são do que coisas das nossas cabeças. São coisas inventadas. Não existem. O futuro não existe e o passado também não. O passado já aconteceu e só existe uma memória daquilo.

Quem garante que o futuro realmente vai existir? É uma esperança nossa de que aquilo vai existir. O único tempo que existe de verdade é o presente – ou seja, aquele exato segundo em que estamos vivendo. Esse é o único tempo que existe e sobre o qual podemos fazer alguma coisa a respeito.

Acho que vale a pena a gente estudar isso. Aqui as pessoas se encontram numa situação da qual elas, infelizmente, não conseguem sair. Literalmente e metaforicamente. Literalmente porque elas não podem pegar um passaporte e ir para outro país. Foi o que o cara me falou… Vou até verificar melhor e, se alguém souber mais, me corrija. Mas eles têm que ser convidados… Passar por um processo burocrático grande e não é fácil.

E metaforicamente porque um médico trabalha, ganha de 40 a 60 dólares e isso não é o suficiente. Como a pessoa consegue lidar com isso psicologicamente para não enlouquecer é fugindo para um dos tempos.

Ou no passado quando a vida era maravilhosa e tudo ia bem… Temos uma tendência de lembrar do passado e ignorar as coisas ruins. Isso é fácil de se provar com um relacionamento que acabou. Às vezes a pessoa começa a ter ideias de voltar com o relacionamento com a outra pessoa porque só lembra das coisas boas e se esquece das coisas ruins.

Mas quando eles voltam a estar juntos, todas as coisas ruins que levaram eles a terminar o relacionamento voltam a aparecer. Se elas não lidaram com elas na primeira vez, elas voltarão com tudo.

Então, a pessoa ou foge para o passado num tempo em que era tudo ideal – que geralmente não era tão ideal assim, é só nossas cabeças distorcendo os fatos – ou foge para o futuro… “Estou me ferrando agora, está tudo péssimo, mas, no futuro, há uma chance de eu conseguir fazer algo bom.”

É claro que às vezes temos que fazer isso. Eu, como empreendedor, quando vou investir no meu negócio, eu tenho a esperança de chegar no próximo ponto. Mas, ao mesmo tempo, eu não deixo de viver o que acontece agora.

É o único tempo que existe de verdade: o exato segundo no qual estou vivendo. Se esse exato segundo não vale a pena, e eu ficar só na esperança de fugir para o passado ou para o futuro, isso será só uma armadilha mental que me faz pensar que eu vou me satisfazer fugindo para um desses tempos enquanto a vida agora é uma droga. Isso não é bom.

Então, em resumo: muito cuidado para não fugir para o passado ou para o futuro. O único tempo que existe agora é o presente. Você deve fazer planos para o futuro, ter objetivos, mirar em conquistar uma vida muito melhor do que você tem agora. Esse não é o problema.

Mas não fique sempre na esperança de que somente quando você chegar nesse ponto no futuro que tudo vai se resolver e você será feliz. Isso é uma grande mentira. Não vai mudar muita coisa.

Se você não é feliz com o que você tem agora, você provavelmente não será depois. Eu perguntei para um cubano se ele sairia se pudesse sair com a família dele. Ele disse que sim e que 70% dos cubanos também se mandaria do país.

Mas, ainda assim, eles são muito mais felizes do que muitas pessoas em outros lugares que têm mais condições, que podem viajar, que ganham dinheiro. Eles são privados de várias coisas e ainda assim conseguem levar uma vida boa até um certo ponto. Mas eu imagino que existam horas que a realidade realmente chegue batendo.

É por isso que eu gosto de viajar e me colocar nessas realidades completamente diferentes. Isso nos faz comparar as nossas realidades. Nós aprendemos algo e tomamos como lição, como essa de fugir para o passado ou para o futuro.

Essa era a dica do vídeo de hoje. Se você gostou, pode clicar no joinha que tem logo abaixo. Ou se inscreva no canal para receber uma notificação de todos os próximos vídeos que eu postar. Depois eu recomendo que você visite FeriasSemFim.com. Lá eu vou mostrar no presente como você pode criar um negócio online para que no futuro você possa trabalhar de onde e como quiser.

Agora vou aproveitar um dos charutos que eu comprei aqui. Afinal, estando em Havana, eu precisava comprar um. Eu nem fumo, mas já fumei charutos para ver se eu noto alguma diferença. Vou aproveitar o resto do dia. Tem algumas mesas ali e dá para pedir uma bela cerveja. O charuto cubano original é feito à mão, já que tem um sabor melhor e conserva as folhas. Foi isso que vimos na fábrica hoje de manhã.

Vou ficando por aqui. Um grande abraço e até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+