Como Planejar Uma Campanha de Marketing Nova

Começar e planejar uma campanha de marketing do zero nem sempre é fácil.

Seja porque não tem ideia de como criar um marketing estratégico ou porque não entende muito bem seu público alvo e o que desejam de verdade.

A questão é que sem uma campanha de marketing digital sólida e que se destaca…

…você pode estar deixando de faturar alto.

É por isso que um planejamento estratégico com cuidado é essencial.

Há algumas estratégias e modelos que são comprovados que funcionam.

Modelos que vão além do que seus concorrentes estão fazendo.

Siga eles e suas chances de sucesso aumentam.

No vídeo de hoje passo uma maneira DIFERENTE de planejar uma campanha de marketing partindo do zero.

Você pode também escutar esse vídeo no Podcast oficial do Empreendedor Digital:

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

Como Planejar Uma Campanha de Marketing Nova

Opa! Bruno Picinini por aqui. No vídeo de hoje quero passar uma dica. Não sei se é uma dica mais avançada ou não. Mas é uma maneira de planejar novas campanhas para seu produto ou negócio.

Seja campanhas na hora de criar um novo produto, oferta ou na parte de criar os anúncios em si (Facebook, Taboola, Adwords, ou o que for).

Não que seja um erro. Mas a maioria das pessoas quando começam não têm a mínima ideia do que falar. Elas falam coisas sem sentido, nada específico e não chamam atenção das pessoas certas.

Aí elas começam a avançar um pouco no negócio e a fazer o que elas precisam fazer. Se elas participaram do Férias Sem Fim, elas vão saber o que é o marketing direto, como funciona, como criar uma oferta de alta conversão… Eu mostro o passo a passo de uma oferta de alta conversão.

Aí as pessoas começam a trabalhar com benefícios diretos. Por exemplo, no meu mercado, o mais direto (e mais fácil) seria simplesmente falar, “Como ganhar 5 mil reais em 20 dias”. No mercado de emagrecimento seria, “Como perder tantos quilos em tantos dias.”

Benefícios diretos, na cara, que não têm erro. Eles funcionam e funcionam muito bem – até um certo ponto.

O Brasil é um mercado relativamente novo… Até acho engraçado as pessoas falarem que já está tudo lotado e, “Será que ainda tenho chance de começar meu negócio online?” Isso é um absurdo!

Eu consumo bastante material dos Estados Unidos. É um absurdo o quanto eles estão avançados em relação a nós. Ainda temos muito para crescer. Tem muito espaço ainda. Não falo só da boca para fora, mas sim porque é verdade.

Como eles já estão há mais tempo nisso… Não só no online, mas também no off-line, eles têm um marketing mais apurado. As pessoas lá já são mais céticas com as promessas diretas.

Um cara lá na pré-história falou pela primeira vez: “como perder peso.” Talvez o cara nem soubesse que estava anunciando. Só de falar isso, as pessoas que queriam perder falaram, “Eu quero perder peso! Isso é para mim.”

Isso funcionava porque não havia competição. A pessoa não tinha porque tsr suspeita. Era a primeira vez.

Mas logo começou a lotar. Aí as pessoas começaram a fazer um segundo nível mais específico, do tipo: “Como perder X quilos em tantos dias.” Isso também parou de funcionar. Para conseguir fugir disso, as pessoas foram para o próximo nível.

Elas começaram a exagerar ainda mais as ofertas: “Como perder 100 quilos em 2 dias vendo televisão e comendo batatinha no sofá!” As coisas ficaram cada vez mais exageradas para chamar cada vez mais atenção.

Até que chegou um ponto que bateu no absurdo e as pessoas simplesmente pararam de acreditar.

Vou fazer uns parênteses rápido. Isso que estou falando é de um cara chamado Eugene Schwartz. Ele criou um dos melhores livros de copywriting da história. É um dos grandes mentores de todos os grandes copywriters. Eles sempre citam esse cara. Ele é muito prático e metódico.

Ele mostra os cinco níveis nos quais uma oferta está na cabeça da pessoa. Estou resumindo por cima para você. Você não precisa saber os cinco níveis agora. Depois, se você quiser, procure o livro dele. O livro se chama “Breakthrough Advertising”.

Acho que só tem em inglês. Se você não sabe inglês, não vai ter como ler. Eu falei o nome dele em inglês e acho que não tem em português. Se alguém souber em português, cite aqui. Vale a pena ler esse livro.

Fechando os parênteses e voltando para o assunto, chegamos ao quarto nível do mercado cético. No quarto nível você começa a introduzir novos mecanismos para conseguir se diferenciar.

Eu explico o passo a passo de como fazer isso na sua mensagem central de vendas que também faz parte da oferta de alta conversão. Se antes era perder 20 quilos, agora é “perder 20 quilos com a goji berry”, com o “extrato de uma semente encontrada na China”.

Se aquilo não funcionou para alguém, agora temos uma nova maneira descoberta por um cientista maluco na China. Essa traz uma nova esperança e é capaz da pessoa pensar.

Mas chegará num ponto em que esse também ficará lotado. As pessoas já não acreditarão em mais nada.

Aí chegamos ao quinto e último nível. A gente volta para a pessoa que mais interessa nesse mundo, que é a pessoa que você quer influenciar.

Fiz todo esse argumento para você entender de onde vem essa lógica. Não quero somente “largar” o que você deve fazer. Eu quero que você entenda a lógica por trás para você conseguir avaliar onde você está no seu mercado e ter melhores ideias.

No quinto passo você volta para seu prospecto que você quer influenciar. Às vezes se começar com o benefício direto, ele vai falar, “Lá vem outro vendedor mentiroso me prometendo algo que eu não quero.”

Aí você tem que entender o que a pessoa está passando na vida dela no ponto de vista emocional. Um dos axiomas de marketing e vendas é que a pessoa compra na emoção e depois justifica com a lógica.

As pessoas acham que tomam todas as decisões logicamente estão se enganando. Existe a teoria dos três cérebros. O primeiro, que é o reptiliano, é basicamente: “Eu corro ou como isso para sobreviver?”

Esse tem muito mais força. Ele é a parte mais interna, que lida com emocional. Tem estudos comprovando isso. A decisão é tomada lá e depois você começa a achar justificativas que mostram porque a decisão que você tomou emocionalmente é a certa.

“Eu gastei 200 mil num carro porque eu vou chegar 2 segundos mais rapidamente. Mas nem posso passar de 100 por hora, se não sou multado.” A gente se justifica através de zilhões de maneiras.

Em vez de simplesmente largar um benefício na cara da pessoa… Numa promoção do passado, nos Estados Unidos… Muita gente prometia muita coisa.

Numa semana o vinho era bom e na outra semana era ruim para sua saúde. Comer gordura é bom, comer gordura é ruim. Café é bom, café e ruim. Em quem mais podemos confiar?

Todo mundo tem estudos de todos os cientistas do universo comprovando que o ponto de vista deles é o certo. Quem devemos seguir para sabermos o que comer?

Isso acontece em todos os mercados. Um cara chamado Clayton Makepeace – que é um copywriter que eu sigo – se deu conta isso. Ele criou uma promoção com esse título exatamente: “Não tem mais ninguém em que podemos confiar?”

Essa era a emoção dominante residente do momento. Isso conectou com muitas pessoas. Não foi um benefício direto no qual as pessoas achavam que ele iria querer vender, como perder 20 quilos em 30 dias.

Foi uma emoção que as pessoas tinham. Elas não sabiam mais em quem confiar. Ele pegou na veia. Dali ele conduziu para o produto dele.

É uma maneira diferente e mais avançada. Se você não conseguir isso, não tem problema. Comece com o benefício básico, tal como “como perder tanto peso”. Isso já dá um bom resultado.

Mas comece a pensar nisso. É assim que você pode conectar com as pessoas de maneira mais profunda. Você não só venderá seu produto, mas criará fuzz. Você começará a ter pessoas que gostam de te acompanhar porque você é uma das poucas que as entendem. Você realmente fala o que elas estão pensando. Vale a pena considerar isso.

Essa era a dica que eu queria te passar hoje. Se você gostou, pode clicar no joinha. Também clique no botão para assinar o canal e receber uma notificação de todos os próximos vídeos que eu postar.

Se você quiser aprender mais sobre esses termos dos quais falei aqui, sobre como criar uma oferta de alta conversão, como achar o ponto certo para fazer sua oferta e tantos outros, eu recomendo que você visite FeriasSemFim.com. Lá tem uma alta online gratuita da qual você pode participar e aprender um pouco mais sobre como criar seu negócio online do zero.

Vou ficando por aqui. Um grande abraço e até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+