4 Empreendedores Digitais Contam Como Começaram – E Dicas Para Você Fazer o Mesmo

Bruno Picinini, Samuel Pereira, Henrique Carvalho e Rafael Seabra falam mais dos seus começos. Os primeiros passos nessa coisa chamada internet. Os primeiros erros. Os primeiros acertos. As decepções e as vitórias.

Tudo pra ajudar você com o SEU negócio online.

> Clique AQUI para saber como criar seu negócio 100% online partindo do zero mesmo que você ainda trabalhe em outro emprego ou nunca tenha criado um site na vida!

Você pode ouvir esse episódio também no Podcast Oficial do Empreendedor Digital e através do player abaixo:

» Clique aqui para se inscrever no Podcast pelo Itunes

Como Começar Seu Negócio Online

Bruno Picinini: Então tá, pessoal… Depois de a gente ter passado uma hora inteira aqui, planejando a nossa conversa, estabelecendo os tópicos por ordem de importância do que a gente vai falar, bater um… fazer um bate-papo aqui…

Samuel Pereira: Bater um bate-papo…

Bruno Picinini: Bater um bate-papo… O português bem “dizido” sempre vem bem, né…

Samuel Pereira: ((Risos))

Bruno Picinini: O português bem “dizido” é sempre incrível…

Samuel Pereira: Ótimo.

Bruno Picinini: É que… A gente está aqui agora, em San Diego, na Califórnia, em um

belo dia de sol, depois de a gente ter prestigiado o evento do Traffic Conversion Summit, um evento do Ryan Deiss…

foi bastante legal, hoje a gente até teve uns problemas com… melhor não contar, né?

Convidado: ((Risos))

Bruno Picinini: Com horário…

Samuel Pereira: Com horário.

Bruno Picinini: Vamos dizer que a gente teve um problema com horário… Mas agora a gente está aqui gravando esse vídeo, depois do evento, conversando com o Henrique Carvalho, Bruno Picinini, Samuel Pereira – a gente já vai se apresentar melhor – e Rafael Seabra. Então, aqui a gente vai falar um pouco mais sobre a nossa história, como a gente começou, as nossas dificuldades e, se possível, fazer alguns comentários para ajudar o pessoal…

Henrique: Legal.

Como Começar Um Negócio Na Internet

Bruno Picinini: … Então, o primeiro deles será… Convido o Samuel Pereira a comparecer ao palco…

Samuel Pereira: ((Risos))

Bruno Picinini: … e se apresentar, contar um pouco mais sobre a sua história, para o nosso… para o pessoal conhecer.

Samuel Pereira: Ótimo. Legal, pessoal… Eh… bom, como o Bruno já disse, meu nome é Samuel Pereira, eu comecei na internet há mais ou menos três anos e meio, e eu comecei com um blog de dietas, foi praticamente o primeiro blog que eu comecei, eu e

mais o meu sócio, e a gente – que é o Roberto Dias – e aí, a partir de… Só que a gente levou um tempo para dar certo, eu não sabia o que ia dar certo ou não… eu comecei por influência também do…

Bruno Picinini: Quer dizer que quando tu começou, tu não sabia nada e teve que aprender? Que estranho, né?…

Convidado não identificado: ((Risos))

Samuel Pereira: Eu comecei do começo…

Bruno Picinini: Às vezes o pessoal acha que a gente nasce sabendo…

Samuel Pereira: Eu comecei do começo…

Bruno Picinini: ((Risos)) Começou do começo.

Samuel Pereira: ((Risos)) E quem me influenciou muito no começo foi o Fernando Oliveira, meu amigo… vocês conhecem também? E o Caio Ferreira, o Rômulo Souza, que no começo, assim, me influenciou muito e tudo mais… Quer dizer, eu fui conhecendo eles já tinha começado também, só o Fernando que eu acho que já conhecia, depois o Dionatan também e a gente se uniu lá em BH também, então um grupo legal.

Então, assim, eu tinha muitos sites de dietas, comecei a gerar bastantes visitas para os meus sites, e hoje muitas pessoas acabam que… talvez me conheçam pelo “Segredos da Audiência”, que foi o curso que eu lancei. Esse é meu resumo, para iniciar.

Bruno Picinini: Para iniciar a conversa.

Samuel Pereira: Agora o Rafael Seabra.

Bruno Picinini: Agora convidamos ao palco…

Samuel Pereira: Jogamos a batata para o palco…

Bruno Picinini: Rafael Seabra!

Rafael Seabra: Tá. Eh… Para quem não me conhece, sou Rafael Seabra, eu tenho um blog chamado “Quero Ficar Rico”, e o meu começo foi bem despretensioso, assim. Eu criei um blog para trocar dicas de finanças com alguns amigos meus, colegas de faculdade, e tal… colegas de trabalho… e, de certa forma, ele foi começando a tomar uma proporção maior, até por conta de coisas que eu nem conhecia direito, tipo… o próprio SEO… Então, ele começou a ranquear palavras-chave, começou a trazer resultados orgânicos para o meu site… e ele foi crescendo, crescendo e eu fui apresentado a produtos afiliados.

Até então, eu rentabilizava meu site, ele… na verdade era mai para trocar uma ideia sobre finanças, e depois, aí, apareceu a questão do Adsense, então… se colocar alguns banners, eu posso começar a rentabilizar ele, eu achei, “poxa, legal!”. Que antes eu fazia de graça, e ainda assim gostava de fazer, se eu puder ganhar dinheiro, melhor ainda, né? Então, comecei a colocar banners do Adsense, comecei a rentabilizar ele, e apareceram os produtos afiliados…

Então, para quem não sabe, produto afiliado é o que? É eu divulgar o produto de uma outra pessoa, e ganhar uma comissão para cada venda que eu realizar. E aí, eu fui vendo que, assim, além de eu fazer o que eu estava gostando, eu podia ganhar dinheiro com isso daí. Eh… e tive resultados com produtos afiliados, depois criei o meu próprio produto, alguns de vocês já devem conhecer, é o livro digital “Como Investir Dinheiro”,

e… basicamente foi isso daí. Eu comecei totalmente sem pretensão nesse mundo digital, e meu blog cresceu bastante, hoje em dia eu recebo 150 mil visitas para um blog que é um nicho específico da educação financeira, é uma quantidade bem bacana, e estou aqui com vocês, agora…

Samuel Pereira: Legal, eu tenho uma curiosidade. Quando você lançou “Quero Ficar Rico”, você realmente queria, e estava procurando isso, e resolveu criar um blog sobre isso? Qual a ideia, cara?

Rafael Seabra: Cara, a ideia é ficar rico em todos os sentidos, assim… A ideia não é só a parte financeira, mas assim… Primeiro você entender o que é o conceito de riqueza para cada um… Assim, o meu conceito de riqueza, é tipo, eu consegui acumular uma série de ativos ou um tipo de trabalho que me dê um retorno, que eu não precise…que eu tenha prazer no que eu esteja fazendo, e que eu consiga acumular, ele consiga pagar, bancar meu custo de vida, sem eu precisar estar trabalhando, depender cada vez menos do esforço do meu trabalho…

Bruno Picinini: De horas e horas…

Samuel Pereira: … Então, assim… para trabalhar, ele passar a ser uma coisa que eu faça por prazer, e não por necessidade. Se eu pensar desse lado da liberdade financeira, eu, hoje em dia, eu tenho liberdade financeira, porque eu trabalho só o que eu quero, na hora em que eu quero, e consigo ter tudo o que eu preciso.

Samuel Pereira: Legal.

Rafael Seabra: Então, assim, isso é muito bacana.

Samuel Pereira: Bacana.

Rafael Seabra: Então a ideia de o cara ficar rico foi justamente essa.

Samuel Pereira: Bacana.

Bruno Picinini: O endereço do site é “QueroFicarRico.com.br”?

Rafael Seabra: “.Com”. Só “.Com”. Os dois, tanto faz

Bruno Picinini: Ah, tu tem os dois…

Rafael Seabra: “QueroFicarRico.Com”

Samuel Pereira: Eu conheci seu site, cara, um tempo atrás, assim, antes de conhecer você pessoalmente, já conhecia o site…

Bruno Pinicini: Então tá…

Samuel Pereira: Passar a bola agora…

Bruno Picinini: Passamos o bastão para Henrique Carvalho comentar mais sobre a sua experiência!

Como Criar um Site Do Zero

Henrique Carvalho: Bom, hoje em dia, acho que o meu principal blog é o “Viver de Blog”, para quem não conhece… Mas eu não comecei na área de marketing digital, eu comecei na mesma área do Rafa, de investimentos e finanças, e da mesma forma também, acho que foi… sem intenção nenhuma… Estava na faculdade, e aí queria trocar umas ideias com os amigos, e aí os caras perguntavam: “pô, mas me explica mais sobre isso aqui, isso aqui…”, e eu: “ah, cara, estou com um blog”. Aí, direcionava o cara para o blog. O blog erra horroroso, assim, o design era a parada mais arcaica possível…

Samuel Pereira: ((risos)) Nossa Senhora…

Bruno Picinini: O que provavelmente o arcaico dele era bom. ((risos)) Roubou a minha piada! Obrigado, Henrique. Eu estou agora me sentindo bem para apresentar, depois.

Henrique Carvalho: ((Acha graça)) Ih, cara… Só a minha mãe lê meu blog… Só meus amigos da faculdade liam

meu blog, então… Demorou para crescer o negócio…

Samuel Pereira: E hoje é muita gente.

Henrique Carvalho: E, aos poucos, assim, eu fui gostando de escrever, pesquisar mais… Conheci também o blog do Rafa, o “Quero Ficar Rico”, e o negócio foi crescendo, crescendo, crescendo… enfim, a gente sempre vai melhorando, melhorando, até… de pouquinho em pouquinho, subindo degrau em degrau, vencendo obstáculos a gente vai chegando lá e, ao longo da conversa aqui, a gente vai passando mais ideias…

Bruno Picinini: Bom, e tanto que hoje o pessoal conhece tu como um dos caras que têm um dos melhores designers, assim, principalmente para otimizado para a conversão, ah… principalmente para a conversão, que é o que mais interessa, afinal… seja não só de vendas, mas para escrever na lista, ou para engajar… tanto os sites dele, como as páginas que a gente fez… hoje têm um conteúdo, para quem não conhece, uma parceria com o “Marketing Digital com Resultados”, as páginas foram designer desse garoto aqui, e ficaram realmente incríveis. Tanto que eu já vi o pessoal roubando os designers… Mas realmente, ele adquiriu uma qualidade, assim, de designer incrível.

Henrique Carvalho: E isso é só um exemplo para, assim, não sou nem um mestre nada, não, mas… Eu comecei muito mal com designer, então… as coisas vão melhorando com o tempo.

Samuel Pereira: É você que faz os seus designers?

Henrique Carvalho: Eh… depende. Nesse caso, foi.

Bruno Picinini: Os infográficos que têm no teu site, tu tem alguém para fazer, né?

Henrique Carvalho: É. Eu tenho alguém para fazer, tenho ((inint)) no site, também…

Samuel Pereira: Legal.

Bruno Picinini: É, mas uma vez, assim, tu tem o olho e investe …

Henrique Carvalho: Sim, acho importante…

Bruno Picinini: Para ter a qualidade, tanto a cara do bobs, infográfico, onde… tem a cara, dá para reconhecer quando é o teu trabalho… pela qualidade.

Samuel Pereira: Agora com vocês, Bruno Picinini. ((risos))

Como Ganhar Dinheiro Na Internet

Bruno Picinini: Não, pois é… Bruno Picinini, o meu site é, para quem não conhece, eu sou autor do “Empreendedor Digital”, “EmpreendedorDigital.Com” para quem quiser visitar, e o que eu, digamos, foco, me especializo, é realmente ajudar o pessoal a ter e criar um negócio online. Então, a gente já está agora aqui em San Diego gravando esse vídeo, ano passado eu estava viajando, viajei o sudeste de Ásia, que era um dos sonhos antigos que eu tinha… foi um dos motivos que eu comecei a trabalhar e querer criar meu negócio online é porque eu queria poder viajar e não ter, digamos, aquela amarra de tempo ou dinheiro. Queria poder estar em algum lugar o tempo que eu quisesse e não me preocupar nem com tempo, nem com dinheiro, “ah, tem que voltar para resolver”.

Então, o negócio online foi… eu vi que era a minha alternativa, comecei a trabalhar para isso e, finalmente, em 2013, ano passado, eu consegui fazer. Mas claro, obviamente, não foi sempre essas mil maravilhas, teve um trabalho até chegar ali… Eu comecei, também, com ((inint)) acho que uns três… quase três anos atrás, foi lá por 2010, alguma coisa assim… e eu comecei com bastante, eu não era nessa área também, comecei com sites de Adsense e afiliados.

E no começo eu não tinha… por exemplo, o Rafael, o Henrique, foram mais na área de finanças, tinham mais interesse… não sei se na área de Adsense tu escolheu, tu tinha algum interesse… mas eu, para mim, quando eu comecei, eu saí dando tiro para todos os lados, “eu vou tentar ver onde é que…” principalmente com Adsense, que foi o primeiro que eu comecei, botava… cheguei a ter quase 100, 150 sites… não, acho que chegou a 100 sites, por ali, via o que dava resultado, aqueles que tinham mais cliques eu comecei… tentava desenvolver para conseguir ainda mais cliques.

Mas, sinceramente, eram sites com conteúdo o pior possível, porque conteúdo pior possível eu ganhava mais cliques, e era de propósito… Só que isso, obviamente, já dava para entender que não era um modelo de negócio…

Samuel Pereira: Sustentável.

Bruno Pinicini: Sustentável. Obvio, o Google alcançou, e aí foi derrubando o site… Aí, eu comecei a trabalhar com bastantes afilhados da Amazon…

Samuel Pereira: Amazon?

Bruno Pininici: É. Bastante tempo eu vendia produtos, principalmente eletrodomésticos, e… no mercado americano.

Samuel Pereira: Ah, então você tinha site em inglês.

Bruno Picinini: Sim… a maioria dos meus sites, até os de Adsense eram em inglês.

Samuel Pereira: Interessante.

Bruno Picinini: Porque o clique era mais alto.

Samuel Pereira: Sim. Sim, sim.

Bruno Picinini: Só que claro, aí tem… o clique era mais alto, mas a competição era mais acirrada. Em compensação se consegue um espaço, eu sabia que eu tinha chances do clique maior.

Samuel Pereiraza: Interessante. Interessante.

Bruno Picinini: E aí eu tinha bastantes sites, principalmente em Adsense e Amazon… aí eu já estava ganhando com os dois, relativamente bem, só que não era prazeroso, assim, já… era um conteúdo que eu não estava nem aí para o usuário, era conteúdo… eu tenho que ser o primeiro a admitir, que o conteúdo era um lixo, que era só para conseguir o clique, ou enviava para Amazon ou enviava para o Adsense… e até que a minha conta do Adsense foi banida, obviamente.

Samuel Pereira: ((Risos))

Bruno Picinini: E aí, foi aí que veio o back, falei ,“não, isso aqui está errado”… São aquelas coisas que, não sei se tem essa expressão em português, mas basicamente, é uma… não é uma derrota… é uma derrota temporária, que foi a melhor coisa que me aconteceu, porque daí me colocou no caminho certo para me possibilitar hoje eu estar aqui em San Diego com a presença ilustre dos meus colegas.

Samuel Pereira: Legal. Eu tenho uma coisa que eu gostaria de contar para vocês. Eu acho que muita gente que está assistindo… e eu vejo muitas pessoas e também a lista… acessando meus conteúdos, enfim… que perguntam, “nossa, mas dá para viver mesmo disso? Dá para viver de internet?”. É uma coisa que, às vezes, ainda não parece tão possível, né? Não sei se vocês também têm muita perguntas, também, assim…

E eu, eu também era, quando eu comecei, assim. Eu ficava, “será que possível?”. Aí na época eu conheci alguns amigos, aí começou a tornar mais real. Mas… “pô, o cara ganha dinheiro, o cara trabalha com isso, tem uma empresa com isso, é um negócio, né…”.

Bruno Picinini: Não… é que as pessoas, às vezes, não veem.

Samuel Pereira: E começou a fazer sentido, né… E… E eu lembro uma vez, cara, que uma pessoa da minha família veio e… eu tive uma queda, tudo, né, que nem tu falou que teve, né… Eu tive numa queda com o Google… E aí, poxa, me deixou um pouco abalado, assim, na época, e aí, uma pessoa importante me falou assim, “olha, você tem certeza que isso sustenta uma família?”. Tipo assim, querendo dizer, “isso é um negócio”.

E… hoje, para mim, é até uma grande vitória, não sei, eu diria, uma conquista… por exemplo, na minha empresa hoje a gente tem uma equipe de funcionários, dois funcionários, duas pessoas que trabalham na empresa, que têm recém nascidos, famílias constituídas, que são sustentados pela minha empresa, que eu fundei. E isso, para mim, é forte. Porque eu não tenho uma família ainda, porque ainda não casei, mas… isso me toca muito porque, realmente, além de eu estar trabalhando com a internet, ter um negócio, também estou ajudando outras famílias, sustentando também, né? A gente está trabalhando junto. Eu não, a empresa…

Criando Seu Negócio Na Internet

Bruno Picinini: É que é um negócio, né? Até isso, às vezes, o pessoal da minha família… os tios veem perguntar no almoço, tentam entender o que eu faço exatamente, da para ver que, às vezes, não entendem exatamente como funciona, e aí, uma e duas alguém pergunta, “tá, mas quanto que dá para ganhar com isso?”.

Daí, eu acho estranha a pergunta, porque eu respondo, “quanto que dá para ganhar com uma empresa?”. Não é diferente. As pessoas, por algum motivo, não conseguem fazer a conexão que é um negócio, é uma empresa como qualquer outra. Tu pode ganhar zero como pode ganhar tudo. Só que as pessoas fazer a conexão… parece que, assim, é um negócio que… é um sistema que tu vai lá, e tu tem um limite. Não, é uma empresa, é um negócio como qualquer outro.

Rafael Sabra: O fato de se manter um negócio físico faz com que as pessoas pensem que, “poxa, isso é totalmente diferente”, e, ao final das contas, não é.

Bruno Picinini: Não é. É só ferramentas…

Rafael Seabra: Essa questão de você separar o online, offline, ele é meramente para você posicionar em relação a, sei lá, um diálogo. Mas, assim, é a mesma coisa. O que existe no online, existe no offline…

Bruno Picinini: Mesma coisa… Marketing é marketing, empresa é empresa… empreendedorismo…

Rafael Seabra: Exato. O que eu costumo dizer é o seguinte, é que, por exemplo, eu adoro comprar, você que está assistindo a gente aí também adora comprar, qualquer um daqui também adora comprar, o Henrique mais do que todo mundo ((risos)) ((…) )… Então a lógica é a seguinte: todo mundo adora comprar. Então, basta você entregar algo que tenha qualidade para aquela pessoa. Então, se alguém me oferece algo que eu esteja precisando, eu vou comprar aquilo dali. Então, você tem um negócio na internet, você tem um negócio físico, você tem que estar baseado nisso daí, você tem que estar sempre preocupado em entregar algo para alguém, que vai ajudar aquela pessoa.

Se entrega algo que ajude de fato aquela pessoa, seja um e-book, um curso em vídeo, um produto físico, qualquer que seja… cara, qualquer coisa, se você entrega algo que vai resolver, a pessoa vai comprar. Então, o foco do seu negócio tem que estar nisso aí, o foco do seu negócio não é ganhar dinheiro, o foco do seu negocio tem que ser entregar algo para resolver o problema de alguém com bastante qualidade.

Então, é isso daí. Isso vai funcionar para a gente, e vai funcionar para qualquer tipo de negócio que você tiver.

Samuel Pereira: Sim.

Henrique Carvalho: E estamos na era da informação, né? Qual lugar melhor que a internet para…

Bruno Picinini: Acho que o nosso negócio todo, se baseia, praticamente… tem algumas diferenças… a maior parte é informação que a gente tem.

Rafael Seabra: A grande vantagem da internet é isso, né, que você consegue escalar… você ganhar escala na internet, eu… não sei se mais fácil é a palavra correta, mas, assim… é mais acessível, então, fica …

Bruno Pinicini: O custo para começar um negócio online com informação é… chega a ser…

Rafael Seabra: Não é que seja praticamente zero, a gente costuma dizer isso, e isso não é tão legal. Na verdade, você tem que investir bastante em você mesmo, e, muitas vezes, não é que não tenha conteúdo de qualidade na internet, tem, gratuito, mas o seguinte, às vezes, o tempo que você perde para buscar o que é bom e o que não é, testar o que é bom e o que não é, às vezes, não vale a pena.

Então, assim, se você adquire já algum curso que já tem um renome no mercado, que já tem aquela qualidade reconhecida, isso facilita bastante. Então, às vezes, não é que dá para você começar do zero, é… é que a questão é que você tem que investir em você, mas os custos para manter o seu negócio são absolutamente baixos. E quando você cria um produto digital, seja um e-book ou seja um curso digital, o que acontece? O custo para escalar ele, isso sim é praticamente zero. A diferença entre eu vender um… um exemplo lá do meu e-book, eu vender três mil, ele é ínfimo. Então, assim, eu não tenho o que gastar mais para cada um que eu vou vender. Então, é nisso daí que o negócio da internet é muito vantajoso. Porque é nisso seu custo fica  praticamente zero. Mas para começar você tem que investir em você cara.

Samuel Pereira: Se você for comprar ainda mais com uma empresa fixa, uma franquia, você tem que investir muito mais dinheiro…

Rafael Seabra: Sim, claro.

Bruno Picinini: Só de aluguel, espaço físico…

Rafael Seabra: É incomparável…

Samuel Pereira: Então… o risco é muito pequeno…

Bruno Picinini: quer acrescentar alguma coisa Henrique? Senão eu tenho já a próxima pergunta, que eu tenho curiosidade…

Bruno Picinini: Só solta os comentários na hora certa, a piadinha… Eu tinha… a pergunta que eu queria fazer, porque… o Samuel… eu falei um pouco como… a minha conta do Adsense foi banida, que eu comecei no caminho que não era certo …

O Samuel também falou que aconteceram as quedas… Aí eu acho que essa parte é importante falar porque, às vezes vírgula, o pessoal acha que a gente está hoje aqui falando, pô, com sucesso o nosso produto aí, viajando… Só que todo mundo teve, talvez, até mais erros que acertos. Aí, não sei, se o Rafael quer… como é que foi assim quando começou … começou já com o “ Quero Ficar Rico”, né ?

Rafael Seabra: Isso , isso.

Bruno Picinini: Foi sempre uma curva reta ascendente, ou teve algumas dificuldades?

Rafael Seabra: Não cara … o meu maior erro, na verdade, com o “Quero Ficar Rico” foi eu ter demorado a investir nesse conhecimento para crescer nesse tipo de mercado . Foi me deixar limitar pelo que eu estava conseguindo naquele momento, não só de financeiro, mas também de reconhecimento, e não ter investido mais para poder escalar ele, para poder crescer ele desde o começo.

Então, assim, eu já tinha um bom conhecimento para, sei lá, ter feito o meu próprio produto já com mais tempo, de ter expandido ele, no sentido de ter feito mais parcerias… enfim, de ter me dedicado profissionalmente a ele. Eu demorei a tomar a decisão de me dedicar profissionalmente a ele e exclusivamente a ele, que é o que eu faço hoje em dia.

Bruno Picinini: Aí tu ficou um bom tempo trabalhando por fora até trocar, né?

Rafael Seabra: Não… até… Olha, esse vídeo está sendo gravado aqui em janeiro de 2014… Eu fiquei até outubro de 2013, dividi as minhas atividades com o “Eu Quero Ficar Rico” com o trabalho. Então, assim…

Bruno Picinini: Isso é um ponto que muita gente tem dificuldade, “pô, largo o meu emprego, ou será que continuo trabalhando?”.

Rafael Seabra: Tem muita. E não tem uma fórmula para isso, assim, “quando eu estiver ganhando ‘X’ eu vou largar”, não, você tem que largar quando você estiver se sentindo confortável para poder fazer aquilo. E, é aquele negócio, se você está em dúvida, é porque tem alguma coisa que está lhe bloqueando.

Pode ser até que você não confie tanto na sua qualidade. Então, se você não confia que você vai conseguir entregar esse resultado para você mesmo então, talvez, não seja bom você largar mesmo não. Porque tem gente que faz, “vou largar e começar tudo agora”, cara, não é assim. Eu acho que você não pode largar tudo e começar tudo do zero, você tem que tentar encontrar um meio termo, ver um caminho e estudar, começar a colocar algo em prática, “agora está…”. Pode ser até que você não esteja nem tendo retorno financeiro que vá pagar suas contas ainda, mas assim, do tipo, “agora eu estou começando a enxergar para onde isso vai”…

Como Ganhar Dinheiro Com Sites na Internet

Bruno Picinini: Enxergar o caminho.

Rafael Seabra: Isso. O que não pode é as pessoas olharem e a conversa da gente e falar, “caramba, velho, esses caras estão aí, agora, todos novos, com menos de trinta anos de idade, e estão lá em San Diego, Estados Unidos, tranquilos e… Então, se eles podem, eu posso”. Se a gente pode é claro você pode, é claro que pode, mas a grande questão é: o que é que você está fazendo para poder fazer isso daí? Para poder alcançar esse resultado? Você não pode simplesmente, “vou largar tudo e fazer”, você tem que se preparar para isso daí, e aí tomar sua decisão.

Bruno Picinini: Até… Só um adendo, para falar como pode… como cada um tem o seu caminho, eu fiz exatamente – mas eu sou imbecil, então não siga, siga o Rafael, que ele sabe mais do que está falando – eu fiz exatamente isso. Eu sou formado em arquitetura… depois de um mês eu comecei a olhar e queria montar um negócio, que eu sempre gostei de computador, online… Só que eu achava que ia ser junto com a arquitetura e foi aí que eu comecei.

Comecei a pensar, “como é que é o momento uma coisa de arquitetura para expandir meu escritório, na internet?” E me apaixonei, foi ali, assim… me pegou e eu, “é isso”. Aí, em uma semana, eu decidi que eu ia largar totalmente a arquitetura e me dediquei.

Henrique Carvalho: Bah, cara…

Rafael Seabra: Você tem absoluta confiança, e isso aí vale muito!

Samuel Pereira: Legal.

Bruno Picinini: É eu fui… Aí eu fui, paguei…

Samuel Pereira: Você queimou as pontes.

Bruno Picinini: Queimei as pontes.

Henrique Carvalho: Bom, mas da mesma forma que o Rafael largou o emprego dele e o Bruno se formou, no meu caso, eu tive que largar a faculdade no meio, né, da faculdade. E… eu queria largar desde o primeiro período, mas por que eu não fiz isso?

Porque, naquela época, como o Rafael disse, eu não tinha certeza será que aquilo ia dar certo, não via um caminho. E depois de alguns anos, de lá, lutando na faculdade, vendo que aquilo ali não era um caminho legal, a e sabendo que o caminho online já tinha um retorno, tinha um futuro, eu conseguir ver melhor esse futuro, aí eu decidi queimar a minha ponte. E quando você queima a sua ponte, muita gente vai criticar você. Muita gente vai achar que você é maluco, que você está fazendo algo errado… vai falar contra você, vai tentar te colocar pra baixo. Mas se você sabe o caminho que você quer seguir, e se você consegue visar o que você tem lá na frente, é só questão mesmo de poder.

Samuel Pereira: Sim, interessante. É, eu também, antes de começar mesmo lá no site, eu fazia outros sites, para outras empresas, tinha uma agência que fazia isso, e prestava consultoria também… um pouco de SEO, tudo mais… Chegou uma hora, também, que eu precisei falar, “não. Não compensa mais para mim, não tem mais aquele custo de oportunidade. Eu tenho que focar o meu negócio, eu quero isso, eu tenho que largar isso, abrir mão de muitos clientes e ter um foco…

Bruno Picinini: É… poder fazer.

Samuel Pereira: … me definir.

Bruno Picinini: Até isso, o Henrique estava falando antes, que muita gente vai criticar… Para ter uma ideia… como eu sabia que isso ia acontecer, quando eu larguei arquitetura e comecei a trabalhar 100% marketing empreendedorismo digital, eu demorei seis meses, que eu não contei para ninguém. Eu contei, na verdade, para dois amigos meus… os meus pais não sabiam, é verdade, eles vieram me perguntar, “ e aí Bruno, como é que está o escritório?”, “ah, não! Está bom! O projeto está bem legal!” Não estava mais fazendo, e eu demorei seis meses para contar, porque eu não queria… porque assim que eu contasse, alguém ia me olhar e perguntar, “mas tu tem certeza?” Claro que eu não tinha nenhuma certeza, eu larguei tudo e resolvi arriscar. E demorei seis meses, só depois de seis meses que eu já estava ganhando alguma coisa, que eu já conseguia ver o caminho, então…

Samuel Pereira: E você acreditava né? Sem acreditar…

Bruno Picinini: Eu acreditava sem ver o caminho – por isso que eu falo que eu sou um imbecil. Eu dei um passo… é que nem… tinha um joguinho antigo, que tu ia dar um passo e tu não via a próxima pedra para pular, e tu tinha que pular na esperança de que aquela “porcaria” ia aparecer, foi mais ou menos assim. Eu não conseguia ver ainda o caminho, mas eu acreditava que eu ia dar um jeito. E aí, quando eu conseguir começar a ver o caminho, aí eu falei para os meus pais, e comecei, aos poucos, a falar para as pessoas que eu tinha largado tudo.

Mas nos primeiros seis meses, eu não falei para ninguém. Eu ficava me segurando, trabalhando sem parar, porque eu não queria alguém me questionando, criticando a minha decisão, porque eu sabia que sempre iria ter, e que aquilo ia só me colocar para baixo. Não é o melhor jeito.

Samuel Pereira: Muito bom.

Bruno Picinini: Mais alguém quer acrescentar mais alguma história… de terror? Ontem à noite, quem sabe, assim … ((risos)) Alguém quer comentar sobre isso?  Essa fica… só que veio para San Diego vai ficar sabendo…

Samuel Pereira: Gente, papo muito bom. Eu acho que a gente poderia ajudar, mesmo, quem está na dúvida, assim, inspirar … Para começar é muito difícil mesmo. Para começar, olha o que a gente já passou …

Bruno Picinini: É difícil saber o que fazer, tem muita informação…

Samuel Pereira: É muita coisa.

Bruno Picinini: … alternativas…

Samuel Pereira: Mas o importante é, se você gosta disso vírgula e você gosta de você vai fazer na internet, você tem certeza disso, vai fundo investe, faz o seu melhor que vai dar certo. Não tem como… acho que não tem como dar errado, tem? Se no trabalho você gostar disso, enfim…

Bruno Picinini: Eu gosto de uma frase, uma vez, eu acho que foi o Tony Robbins que falou, que ele pergunta assim: se uma criança, ela está tentando aprender a caminhar, você acha que ela teria chances de não dar certo? Ela iria continuar até ela aprender a caminhar. E é a mesma coisa, vai cair, vai errar, vai ter problemas, mas uma hora vai começar a aprender a caminhar, a correr depois, a chance que a gente tem, o estilo de vida realmente faz valer tudo a pena. Mas com certeza, não dá para prometer que é fácil, porque não é… que não vai ter problema…

Samuel Pereira: Trabalha muito.

Bruno Picinini: Porque vai ter. Vai ter que trabalhar, vai ter que se esforçar …

Samuel Pereira: Muito.

Bruno Picinini: mas em compensação, o ganho… o pessoal de finanças aí que me ajude, o risco lucro…

Henrique Carvalho: Pode ser retorno sobre investimento…

Bruno Picinini: O retorno sobre investimento…

Samuel Pereira: ROI.

Bruno Picinini: … é realmente, e eu acho que faz tudo valer a pena. Essa é a minha mensagem final…

Samuel Pereira: E poder fazer o que você gosta, né, cara, acho que é o mais

interessante, também…

Bruno Picinini: É…

Rafael Seabra: Eu acho… o gancho é justamente isso daí, né, assim, porque, às vezes, as pessoas vêm… A gente faz, “poxa, eu quero fazer exatamente isso”, mas pensando no estilo que a gente leva e não no trabalho que a gente desenvolve. Então, não adianta só você gosta do estilo que a gente leva, você tem também que gostar do trabalho que é desenvolvido pela gente. Então, você tem que gostar de que? De criar um produto digital, de desenvolver seu negócio através da internet … o principal vírgula é você gosta disso daí. Então, se você gostar de fazer isso e não fazer só porque isso dá dinheiro, se você entrar nessa área, nesse mercado, pensando só em dinheiro, dificilmente você vai conseguir ter sucesso. Você tem que pensar…

Bruno Picinini: Pelo menos a longo prazo, que foi o meu caso. Eu comecei pensando só em dinheiro…

Rafael Seabra: É… você pode até achar algum ((filão)), assim, que você consegue e dá certo e daí você vai encontrar dois problemas: ou ele vai dar errado, porque aquilo é um caminho que não dá certo mesmo … Ou vai ser uma coisa que, por não lhe dar prazer, você vai terminar deixando uma hora ou outra, ou vivendo frustrado com isso daí, como tem muita gente que vive frustrada com o próprio trabalho que tem.

Bruno Picinini: E até com muito dinheiro, às vezes.

Rafael Seabra: Sim, muito dinheiro, claro! Você vê aí as pessoas são… diretores de empresas, que ganharam dezenas de milhares de reais por mês e são frustradas, seja porque não conseguem se dedicar à família, não conseguem se dedicar aos amigos… E aí, tentam compensar isso daí só com questão de grana, com sei lá… o que quer que seja, mas, assim, com muitos bens, carros, apartamentos… mas o cara não faz nem uma viagem que não seja uma viagem de negócios..

Então, assim, eu acho que a grande sacada é você pensar em algo que você gosta, e se o que você gosta tiver no mercado que a gente trabalha, nesse mercado digital, ou puder ser inserido nesse mercado, vá em frente. Se você conseguir fazer o que você gosta, se dedicar a isso daí, é certo que você vai ter sucesso. Então, assim, você tem que se preparar para isso daí, mas vai dar certo. Acho que é essa frase.

Como Criar Um Blog

Bruno Picinini: Henrique, alguma frase de efeito? Ou só… podemos fechar? ((risos)) O Henrique aqui colaborando muito com a nossa …

Henrique Carvalho: Está muito frio.

Bruno Picinini: ((risos)) Está muito frio ((risos)). Vocês estão com frio?

Rafael Seabra: A participação do Henrique foi alá Frank Kern… ou seja, top…

Bruno Picinini: Top. Só largou um comentário na hora certa, porque precisava, e nada mais.

Rafael Seabra: E nada mais, cara…

Bruno Picinini: Então vamos fechar aqui? Agradecemos… Nos agradecemos, ao Rafael Seabra, Samuel Pereira, Bruno Picinini e Henrique Carvalho. Agradecemos você por estar aqui assistindo e compartilhando… não sei onde vai estar nessa página, se tiver algum botão cadastre ((risos)) que hoje você vai cair numa lista nesse canal …

Samuel Pereira: Se inscreva… se você gostou de um curtir mas se você não gostou de um não curtir também virgula mas deu seu feedback, para a gente saber…

Bruno Picinini: … no canal que tiver compartilhe, deixe seu comentário … Mande para as tias, vô, pais…

Rafael Seabra: É… avós, papagaio…

Bruno Picinini: Com certeza, compartilhe.

Samuel Pereira: Não, é sério. Talvez você tenha algum amigo que está precisando também de um incentivo desse, para crescer na internet, para… está precisando, está querendo…

Bruno Pinicini: Claro!

Samuel Pereira: … saber se tem como, ou não, aí…

Bruno Pinicini: A gente sabe como é difícil no começo, a gente sabe, a gente passou por isso, como você ouviu aqui a história, então a gente entende. Então, se você quiser nos ajudar, se inscreva no canal, compartilhe aqui o vídeo, que realmente, para espalhar a mensagem e ajudar ainda mais pessoas. Então fechamos aqui, agora vamos…

Rafael Pereia: Fechou.

Bruno Picinini: Porque, senão, vão morrer de frio, aqui, as pessoas, né, então…  complicado ((risos)). Muito obrigado, mesmo. Um grande abraço.

Samuel Pereira: Gente…

Rafael Seabra: Falou pessoal, até mais.

Bruno Picinini: Até a próxima.

Gostaria de saber mais sobre como ter seu negócio 100% online mesmo que você ainda trabalhe em outro emprego e mesmo que você nunca tenha criado um site na vida??

Então eu recomendo que você dê uma olhada nisso AQUI.

Empreendimentos Digitais Altamente Lucrativos

Esse é o curso oficial aqui do site chamado Empreendimentos Digitais Altamente Lucrativos.

Nele eu mostro, passo a passo, o exato mesmo sistema que eu e centenas de outras pessoas usam para criar seu negócio online.

Saiba mais sobre o EDAL aqui <<

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+