Como Criar Um Canal no YouTube de Sucesso em 7 Passos

Algumas pessoas têm me perguntado como fiz pra crescer meu canal do YouTube nos últimos tempos.

Pois bem. Aproveitei e já fiz um vídeo completo sobre o assunto.

Tanto para quem começa agora do zero… como para quem já tem um canal e está com dificuldades em crescê-lo (nesse caso pode pular as 2 primeiras dicas… ou não. As vezes tem dicas extras do que “já sabemos” que também nos ajudam).

Dê uma olhada, veja como se cria uma conta no youtube e qualquer dúvida basta deixar nos comentários abaixo!

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

Como Criar Um Canal no YouTube de Sucesso em 7 Passos

Opa! Bruno Picinini por aqui, autor e fundador do projeto Férias Sem Fim. No vídeo de hoje quero passar para você os 7 passos de como criar o seu canal do YouTube. Não só criar o canal do ponto de vista técnico, mas também como desenvolvê-lo, crescê-lo e até mesmo rentabilizá-lo para ter uma segunda (ou a principal) fonte de renda através de vídeos.

O primeiro passo é obviamente criar seu canal no YouTube. Alguém me perguntou esses dias como criar um canal no YouTube. Eu fui pesquisar para ver se tinha alguma dica para passar e todos vídeos que eu encontrei eram somente da parte técnica – que é o passo mais básico e muito fácil. É só ter uma conta no Gmail.

Se você digitar no Google “criar conta YouTube”, você cairá numa página de ajuda do Google que mostra em quatro passos como criar a conta. Mas já vou falar eles para você aqui. Tudo o que você precisa fazer é ter uma conta do Gmail. Depois, você acessa o YouTube e tenta fazer qualquer atividade que requer uma conta do YouTube. Como por exemplo comentar algum vídeo, criar uma lista de reprodução, assinar um canal ou outras coisas parecidas.

Quando você fizer isso, se você não tem um canal no YouTube, o YouTube perguntará: “Você quer criar uma conta?” Aí você magicamente clica em “sim” e sua conta estará criada. Essa é parte mais fácil. Não quero focar nisso nesse vídeo.

Entre no YouTube, comece a clicar e fuçar que uma hora aparecerá a opção: “Você deseja criar seu canal?” Aí é só criar e configurar: fotos, vídeos e o que mais for. Não tem muita coisa para configurar, é só a foto de perfil e de capa. Depois, é só começar a postar os vídeos em si.

O que interessa mesmo é como desenvolver seu canal. Só porque ele está criado, não significa que as pessoas vão assistir ou chegar até ele. Quero tratar nisso nos 6 passos restantes porque acho que isso que faz mais diferença e é mais interessante.

O segundo passo é escolher seu equipamento para gravar os vídeos. Quando eu comecei, achei que precisava de equipamentos milionários, estúdios com luz, fotos, câmeras com zoom, edição, um editor, um revisor… Na verdade, não precisa. Essa é a grande vantagem do YouTube hoje.

Às vezes, um vídeo muito mais produzido tem um efeito pior do que um vídeo simples (como estou fazendo agora falando diretamente com você). Eu uso meu iPhone. É um iPhone 7 que comprei recentemente. A câmera dele é muito boa. Eu uso um microfone que acopla no iPhone. Eu uso ele para ficar um pouco melhor, mas só o microfone do iPhone ou da maioria dos celulares já é mais do que bom – principalmente se você falar bem perto.

Então, tente gravar vídeos com sua face mais perto do celular porque o áudio é mais importante do que o vídeo em si. Não nos importamos tanto com o vídeo ruim. Mas se o áudio for ruim, isso nos incomoda bastante. Vou colocar na descrição do vídeo alguns microfones e equipamentos que já usei para me ajudar a gravar vídeos.

Mas se estou na rua e quero gravar um vídeo, eu seguro meu celular como num selfie e gravo. No passado, eu tinha que encontrar o lugar perfeito com iluminação e colocar o tripé. Hoje eu me preocupo em passar a mensagem. Muito melhor do que não ter o vídeo é ter ele e ser postado. Pelo menos sua mensagem existe. Se ele ficar melhor ou pior, faz parte. Mas é melhor ter esse vídeo do que não ter um vídeo perfeito que você nuca fez porque as condições de som, luz e tripé não se encaixaram. Faça ele.

Mas não abuse. Tente manter uma certa estabilidade. Quando possível, tente manter o celular ou a câmera num lugar estático, mas foque na sua mensagem. O Whindersson Nunes é o maior canal de YouTube do Brasil. Ele coloca uma GoPro onde ele estiver e começa a falar para a câmera. Ele como pessoa é muito bom. Ele entrega um conteúdo muito bom. O pessoal do Porta dos Fundo faz um outro tipo de vídeo, mais produzido. Ele é mais direto. Então, funciona.

Não se prenda ao equipamento. Não é isso que vai definir quão longe e quão rápido você consegue ir. Faça o simples. Use o que você tiver, grave e ponha no ar. Esse é o segundo passo.

O terceiro passo para seu canal é escolher o tema do qual você vai falar. Não crie um canal sobre o universo, política, minha visão do futebol e o que eu comi na semana passada. Seria como um blog sem sentido, sem foco de público, sem nada para ajudar ninguém. Esse eu acho o pior caminho.

Se você quiser fazer algo como Windersson Nunes ou Portas dos Fundos, que são canais de entretenimento num escopo muito maior, não tem problema algum. Mas entenda que, para isso, você precisa ser muito bom no que faz. Os caras do Porta dos Fundos são muito bons no que fazem. O Whindersson Nunes é muito bom no que faz.

Vá no canal dele e veja os primeiros vídeos que ele postou. Ele postou o primeiro vídeo dele há 4 ou 5 anos atrás. Não estou dizendo isso foi a única coisa que o ajudou. Mas, com certeza, o tempo e a consistência ajudam. Ele começou numa época em que pouquíssimas pessoas tinham canais.

Isso aconteceu com o PewDiePie. É o maior canal de YouTube no mundo. Tinha 46 milhões de assinantes na última vez que eu vi. Ele começou há muito tempo atrás fazendo vídeos maiores de 15 a 20 minutos. Poucas pessoas faziam e faziam de 2 ou 3 minutos. Ele começou a se destacar e ao longo dos anos cresceu num nível que hoje alguém dificilmente chegará – assim como será difícil existir alguém com o mesmo grau de alcance que os Beatles tiveram… tinha muito menos “competição” quando eles surgiram.

Não estou dizendo que eles são ruins, sou fã deles. Mas entenda que é um mercado diferente hoje. Eu acho um caminho melhor ao invés de fazer uma coisa tão aberta para todo mundo, escolher algo específico.

Vejo várias blogueiras fazendo sobre maquiagem, roupas e compras. Eu, pessoalmente, falo sobre estilo de vida, viagens, qualidade de vida, liberdade. A maneira com que eu faço tudo isso é através de negócios online. No FériasSemFim.com eu mostro como criei um negócio online do zero e como qualquer um pode fazer o mesmo se seguir os mesmos passos.

Você pode ver que eu tento não desviar muito disso no meu canal. Eu posso falar um pouco sobre mindset, performance, produtividade… Mas no geral é sobre marketing e empreendedorismo online focado em ter uma vida de mais liberdade e qualidade de vida. É bem específico.

Eu não estou interessado em ter milhões de assinantes. É claro que isso seria bom. Mas eu prefiro ter alguns poucos, bem focados, que eu sei que estarão interessados nos meus treinamentos do que ter algo muito aberto e eu não conseguir chamar a atenção de ninguém. Se você tem um canal de tudo para todos, ele será nada para ninguém.

Então defina em seu tema e foque nele com todas as suas forças. Esse foi o terceiro passo.

O quarto passo é escolher o que você pretende fazer com seu canal depois de criado. Você quer só postar vídeos como uma maneira de se expressar? Não tem problema algum. Talvez queremos falar sobre nossas vidas e falar sobre ideias. Mas se você quer rentabilizar isso de alguma maneira para se tornar uma segunda fonte de renda ou sua fonte de renda principal, escolha.

Tem um vídeo aqui no canal que é “Como ganhar dinheiro com o YouTube”. Ele mostra 4 maneiras de como rentabilizar seu canal. Você pode rentabilizar com anúncios. No meu não tem, talvez eu teste coloca-los. Em alguns canais, você verá propagandas do Google antes ou depois. Daí, todas as vezes que eu alguém clicar em um desses anúncios no seu vídeo, você ganha centavos por esses cliques.

Eu não sou muito fã desse modelo, porque você tem que ter muitos assinantes e muitas visualizações para fazer uma grana minimamente decente. Eu não acho que valha a pena hoje em dia focar nesse modelo. Mas, pelo menos, é alguma coisa.

O segundo modelo é ter patrocínios. Se você tiver um canal no YouTube que fala sobre viagens e tem bastante seguidores e visualizações, alguma empresa pode patrocinar seu canal. Talvez você possa citá-los no canal ou falar como usou os serviços deles. Muitas pessoas usam isso no Instagram também, tipo: “Essa viagem está sendo patrocinada por XYZ.” É uma maneira de rentabilizar o canal. O problema é que você depende sempre das outras pessoas.

A terceira maneira é vender produtos de terceiros, como afiliados. Você pode vender produtos de outras pessoas em troca de comissão. Muitas blogueiras fazem isso com maquiagem: “Estou usando a maquiagem X que comprei na loja Y. Está aqui o link abaixo com 10% de desconto. Quando alguém compra com aquele cupom de desconto, a vlogueira ganha uma comissão por isso.

A quarta maneira é vender os seus próprios produtos (digitais ou físicos) através do seu canal. Você cria um vídeo com um propósito. Dentro do vídeo, você faz como estou fazendo aqui: “Visite o FeriasSemFim.com para ver mais um treinamento online gratuito. Eu também tenho treinamentos pagos. Caso você se interessar, você pode participar ou não. Você terá conteúdo de graça para desenvolver seu negócio online.”

Essas foram as quatro maneiras e esse foi o quarto passo.

Depois de escolher seu tema e escolher como você vai rentabilizar, o quinto passo é definir seu calendário para ter certeza de como conduzir seu canal. Você postará todos os dias? Duas vezes por dia? Três vezes por dia? Não sei. Cada um terá sua maneira.

O primeiro passo foi criar seu canal. Depois, escolher o equipamento; escolher seu tema; escolher sua maneira de rentabilização e agora vamos definir um calendário. A grande sacada é ter uma coisa constante. Não tem uma regra de frequência… tem que ser o que funcionar para você. Eu faço 1 ou 2 vezes por semana. Não tenho dia definido porque às vezes estou viajando e às vezes não estou.

Se eu fizer todos os dias como algumas pessoas fazem, com certeza eu cresceria em visualização. Dependendo do tema, você terá bastante para falar sobre o assunto. Eu prefiro fazer menos, com vídeos mais focados no que eu quero falar. Então, eu posto 2 vezes por semana e divulgo como for possível. Se você não tiver um calendário, você acabará não fazendo.

O sexto passo é manter a consistência. Você precisa manter a consistência dos vídeos que você posta e também manter a consistência dentro do tema que você definiu. Se você definiu que seu canal é sobre tal tema, tente não ficar pulando de galho em galho.

A última dica é dar tempo ao tempo. Muitas pessoas começam e não veem resultados imediatos. Essas coisas tomam tempo. Você vai criar os primeiros vídeos e ninguém vai ver. Demora para pegar no tranco. Tem uma boa dose de esforço.

Para qualquer coisa na vida (academia, criar um negócio, criar um canal no YouTube) é assim. Os primeiros vídeos não terão muita gente assistindo. Talvez sua tia veja, dê uma curtida e poste no Facebook.

O segredo é continuar nessa consistência que você definiu. Bota parte do sucesso é simplesmente tentar de novo. As pessoas acham que tem um grande segredo que vai fazer tudo funcionar da noite para o dia. “Fiz 5 vídeos e ainda não ganhei meu primeiro milhão de reais no YouTube. Isso não é para mim. Vou desistir.”

Não é assim. Mantenha a calma e continue fazendo. Se você gosta daquele assunto e sabe que tem outras pessoas interessadas, é uma questão de tempo até que elas achem seu canal. Pouco a pouco elas irão compartilhar, gostar e se inscrever. Daí elas vão começar a participar mais do seu canal.

Estou passando essa dica especificamente para o YouTube, mas eu noto que muita gente faz isso. Elas fazem uma coisa 4 vezes e desistem. Não é bem assim. Vá com calma. Continue tentando. Mantenha dia após dia.

O Rocky diz no filme dele que não tem ninguém que nos dará um soco mais forte do que a vida em si. Não é tanto quanto conseguimos bater, mas sim quanto conseguimos aguentar de porrada, levantar e continuar seguindo em frente.

Esses eram os setes passos para criar um canal de sucesso no YouTube – mas não simplesmente criar um canal por criar, pois isso não é difícil.

Caso você tenha alguma dificuldade, poste aqui embaixo nos comentários. Eu testei no laptop antes de gravar esse vídeo e foi bem tranquilo. Só loguei na minha conta do Gmail, fui na minha conta do YouTube, fiz qualquer coisa que precisasse uma conta e ele me ofereceu para criar um canal. A parte difícil é como crescer o canal para que valha a pena como hobby ou para rentabilizar no futuro.

Esse vídeo vai ficando por aqui. Eu recomendo que você visite o site FeriasSemFim.com. Lá eu mostro mais como eu criei esse negócio online do zero como desafio. Eu mostro os tipos de resultados que deram. Mostro também como outros clientes já fizeram isso usando o YouTube ou não. Existem diversas maneiras de fazer isso.

Lá você pode participar desse treinamento online gratuito. Depois, você pode clicar no joinha que estará aqui abaixo. Se você gostou do vídeo, clique no botão para assinar o canal e receber uma notificação dos próximos vídeos que eu postar.

Se tiver alguma dúvida ou comentário é só deixar que depois eu apareço aí para a gente conversar um pouco mais.

Então é isso. Vou ficando por aqui. Um grande abraço e até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+