Como Escolher o Seu Nicho De Mercado LUCRATIVO De Uma Vez por Todas!

Essa é DISPARADA uma das perguntas mais comuns que recebo.

Pra ajudar você a escolher seu mercado e nicho de atuação, fiz esse vídeo abaixo. Nele explico diversos pontos importantes. Entre eles:

  • Porque “Faça o que você ama!” é pura besteira e porque isso pode estar impedindo você de lucrar com seu negócio na internet;
  • O que é e como funciona o Princípio da Convergência e porque ele vai possibilitar você trabalhar com o que você gosta e ganhar dinheiro com isso;
  • Dicas para analisar e descobrir o que o mercado quer comprar;
  • Como criar produtos que seus clientes JÁ querem e que praticamente se vendem sozinhos;
  • E muito mais!

Descubra como no vídeo abaixo:

Depois de assistir o vídeo você talvez esteja interessado em saber mais. Saber mais dicas como essa, descobrir quais são os 3 grandes mercados ideais pra você ter seu negócio.

De repente descobrir também pequenos macetes para verificar e GARANTIR que seu mercado tem potencial de lucro. Até porque, imagina passar 2 anos e pouco em cima do seu negócio, tentando tudo que é coisa, pra só depois descobrir que o mercado é que não é bom!?

Não gosto nem de pensar…

Se você quer aprender isso e muito mais, então recomendo que você dê uma olhada no link abaixo:

> Clique AQUI para saber como criar seu negócio 100% online partindo do zero mesmo que você ainda trabalhe em outro emprego ou nunca tenha criado um site na vida!

Além disso, você pode ouvir esse episódio também no Podcast Oficial do Empreendedor Digital e através do player abaixo:

» Clique aqui para se inscrever no Podcast pelo Itunes

Seu Nicho de Mercado Altamente Lucratrivo 

Opa, tudo bem? Aqui é Bruno Picinini novamente, mais conhecido como o empreendedor digital, e nas horas vagas, também, como presidente da internet.

Neste vídeo de hoje, eu tenho um assunto mais que importante para falar com você, que é para resolver de uma vez por todas, uma dúvida recorrente, que eu vejo que o pessoal tem, que é sobre como escolher o seu mercado e o seu nicho. E neste vídeo, além de você aprender como fazer isso, definitivamente, de uma vez por todas, você também vai aprender porque que, aquela história de “faça o que você ama”, que a gente tanto vê por aí, é, em muita parte, besteira, e porque isso acaba mais prejudicando do que ajudando as pessoas, quando elas estão tentando criar o seu negócio próprio. Então, é sobre isso que a gente vai falar hoje.

Essa questão, de como escolher seu mercado, seu nicho, ela surgiu, porque… Eu estava, esses dias, analisando um formulário que eu tenho para clientes, que é o que eu pergunto, basicamente… eu até falei no episódio anterior. Eu pergunto: quem é você, o que você precisa, quais as dúvidas que você tem, porque daí, eu consigo fazer vídeos, conteúdos, artigos, podcast, áudios… o que for, mais focado exatamente nessas dúvidas e problemas que você pode ter, para ajudar.

Como escolher o nicho de mercado

E um dos temas mais frequentes que apareceram, é justamente lá no início, que é a escolha do mercado ou nicho. É um problema… não sei se você tem esse problema, se você já tem o seu mercado… Mesmo que você já saiba, digamos, o seu mercado, seu nicho… exatamente com o que você trabalha, eu garanto que ainda assim, esse vídeo vai poder ajuda-lo com algumas outras dúvidas que você possa ter, e até para definir melhor o que exatamente você trabalha.

Porque é algo que não é tão simples, assim. Eu, por muito tempo, achava que trabalhar com um mercado, depois a gente vai descobrindo que não é bem assim, tem outras coisas que eu não sabia, outras coisas que a gente vai aprendendo, durante o tempo, simplesmente com a interação com os nosso clientes, com as outras pessoas, com os leitores, com os comentários… Realmente, é uma dúvida muito importante, até porque… às vezes a gente quer ensinar: ah, como conseguir mais tráfego, que eu acho que é o segundo problema, que mais aparece,das pessoas, como conseguir tráfico, como organizar as ideias, para colocar em prática, esse é outro problema que apareceu bastante, que de repente você tem, que é realmente ter aquela clareza, aquela consciência de saber o que é para ser feito hoje, o que é para ser feito amanhã, qual é o próximo passo…

Enfim, diversos desses problemas que aparecem, eu posso ensinar todas as táticas, técnicas, qual é o botão que converte mais, qual é o tipo de vídeo que converte mais, como fazer um vídeo no Youtube, como fazer um podcast, mas se o mercado e o nicho não estiverem certos, se não tiver falando isso para o mercado certo, com os produtos certos, para as pessoas certas, não vai adiantar muito. Por isso que é tão importante a gente definir isso do nosso mercado.

O que eu noto muito por aí, é que a gente vê muitas, e muitas pessoas, simplesmente falando, sem uma explicação melhor, simplesmente falando, “faça o que você ama, que o dinheiro vem atrás. Transforme o que você ama no seu negócio, e tudo vai ficar as mil maravilhas e tudo vai dar certo.” Só que, esse conselho por si só, não é suficiente, e, além de não ser suficiente, ele é até ingênuo, se não explicar melhor para as pessoas exatamente o que fazer com isso.

Porque… o que acontece? Você, provavelmente,  já deve ter visto esse conselho em algum lugar, e só, antes que eu continue explicando, não é que eu esteja recomendando para você não fazer algo que você gosta, alguma coisa assim. Longe disso. O que eu mais quero é que você faça algo que você tenha prazer. Mas essa escolha do que fazer, com o que você ama, você gosta de fazer, tem que ser feita com consciência. Tem que saber o que está fazendo para acertar em cheio, e aí sim, desenvolver um negócio de sucesso.

Nicho de mercado lucrativo

Então, essa ideia de “faça o que você ama, e o dinheiro vem atrás”, ela começa já errado, por um ponto muito, muito forte. Porque, ela coloca na cabeça das pessoas a ideia de que você tem que olhar para você, e o que você gosta, assim, no caso, agora vou falar como eu: o que eu gosto, o que gosto de fazer, o que eu quero falar a respeito, o que eu, eu, eu. Só que isso é um jeito errado de se começar um negócio, online ou não, qualquer negócio.  O que você tem que começar, olhando, antes de qualquer coisa, até antes de seu produto – que muita gente, também…  essa é outra armadilha, as pessoas acham que o produto é a parte mais importante de um negócio, que não é…

Ao invés de você começar olhando para você, no caso, eu olhar para mim mesmo, olhar para o meu produto, o que eu quero fazer, o que você quer fazer primeiro é olhar o seu mercado. E não precisa ser exatamente o seu mercado, “ah, mas eu não sei qual é o meu mercado”. Não. O mercado no geral. As pessoas que estão por aí, o que elas têm, o que elas necessitam, precisam de ajuda, que de repente, você conseguiria colaborar. Se você ficar só olhando para o que você quer fazer, você vai achar um monte de coisa que você adora fazer, mas não tem tanta gente interessada.

Por exemplo, eu gosto de dar como exemplo, nessa história da “faça o que você ama”, eu adoro jogar futebol. Como você deve saber, se você me acompanha mais tempo, sempre falo em futebol. Tem um futebol, aqui, outro lá. Tem outra, eu gosto de viajar também… Só que se eu ficar fazendo isso que eu gosto de fazer, eu… não sou jogador profissional, nem vou ser, nem quero ser.

Eu não vu ficar fazendo o que eu amo, sem antes olhar o que o mercado precisa. Até, esses dias tinha uma amiga minha, ela adquiriu o meu curso, investiu no meu curso – para você ter uma ideia de quanto pode confiar, acho que é um bom indicativo, porque sim, eu indico o meu curso, as minhas coisas, para os meus amigos, família, e todo mundo que tiver interesse em criar um negocio online, não sei se é todo mundo que pode fazer isso com seus próprios cursos, tem algumas coisas não muito boas aí fora.

E eu estava falando com ela, e ela estava conversando comigo, perguntando, “pô, eu estava pensando em fazer um negócio assim, um produto assado, um produto “x”, e eu, “tá, legal”, e ela também  com essa mesma dificuldade de como escolher o seu mercado, o seu nicho, o que for. Aí, o que eu falei para ela é que junto, não é nem antes, depois, muitas vezes é junto, olhando, assim, com o que você tem interesse em fazer, o que você tem interesse em falar, o que você gostara de realmente trabalhar todo o dia, você tem que olhar quem é o publico que você vai atender. Quem é a pessoa para quem você vai criar aquele produto.

Começar no mercado certo

Então, você tem que combinar esses dois quesitos: o que você tem, mas que publico você vai atender. Se você quiser fazer um exercício interessante, ao invés de agora seguir essa, de “faça o que você ama”, faça diferente. Ao invés de começar por você, comece ao contrário, comece olhando o mercado. Olhe o mercado, assim, eu digo o mercado todo. Qualquer nicho, não faça agora… a gente não vai se limitar por, “eu gosto disso, gosto de assado…eu já passei por isso, ei tenho alguma experiência em “x”, ou o meu hobby é assado…”. Depois a gente volta para isso.

Começa só olhando o mercado. Tudo o que está acontecendo por aí, e comece a ver no que as pessoas têm dificuldade, no que as pessoas têm problemas, no que você poderia ajudá-las. Mesmo que você não saiba, por enquanto, só um exercício, para você começar a entender como olhar primeiro os clientes do mercado.

Aí, você olhando isso – é era isso justamente o que eu estava falando para ela – se você tem um grupo de pessoas que você se identifica, que você trabalha junto… Vamos supor, você é uma mãe solteira, ou um mãe casada, com filhos, mas quer ficar mais tempo em casa, ou é um pai de família, mas quer ficar mais tempo em casa,e  você escolhe que o seu público são, por exemplo, pessoas casadas, de, sei lá, trina, quarenta anos, mais ou menos nessa faixa etária, com dois filhos que simplesmente estão cansados do emprego normal e querem ter mais tempo. No caso, é um pouco o mercado que eu trabalho, também.

Mas esse tipo de pessoa, agora que você escolheu o tipo de pessoa, comece a olhar o que ela precisa. Não vamos nem falar para sair, digamos, do mercado de negócios online. É alguém que trabalha, sei lá, trabalha no seu emprego normal, das 9 às 6, o que for, 8 às 6, não sei os horários da empresa que a pessoa trabalha. E ela quer ter mais tempo, ela sente que falta tempo par ela se dedicar aos esportes, à família, etc.

Seu nicho de mercado lucrativo

Agora, o que você definiu… esse seu, digamos, “avatar”, esse pessoa, o eu você poderia fazer para ajudá-la? Mesmo que você não tenha nenhum conhecimento, isso não interessa agora, depois a gente volta para isso. Pô, se ela tem um emprego normal, ela está reclamando que está sem tempo, então, de repente, ela precisa de algum curso de produtividade para aprender a como render mais em casa. Ou, de repente, ela precisa de alguma ajuda de como fazer refeições mais saudáveis, mais rápidas, porque ela não te tempo de comer, ela está cansada de comer todo dia fora.

E, de repente, tem alguma coisa sobre refeição, que você poderia ajudar. Ou, de repente, a relação dela com os seus filhos, com a família, não está muito legal. Então, de repente, alguma coisa na área de relacionamentos, que poderia ajudá-la. Falar, “pô, se você é uma mãe ou um pai sem tempo, e você não está com uma relação boa com a sua família e quer melhorar, aqui um livro, aqui as três dicas, aqui as sete maneiras de como você pode recuperar e fazer com que o seu filho se abra com você, para você voltar a falar com ele como você gostava.

Entende? Comece a olhar primeiro o mercado e as pessoas, e quanto mais definido, melhor. Por exemplo, se você quiser definir: você é uma mulher e quer realmente só focar em mães com filhos que têm empregos normais e como que elas podem ter tempo e mais qualidade de vida. Ótimo.

Ah, quero focar em pais, homens casados, sem tempo para a família, que sentem até que a vida está evoluindo, mas sentem falta de praticar um esporte, um hobby, alguma coisa que gostavam de fazer, mas com filhos, trabalho e tudo mais, começou a ficar difícil. Pô, então, de repente você pode fazer alguma coisa para ajudar a pessoa a otimizar o tempo dela, a como programar o fim de semana, para ter mais tempo, e realmente conseguir fazer essas atividades por fora…

Mas entende como você está antes, olhando o mercado? As pessoas que você pode vir a atender antes de você? Aí, fica muito mais fácil, porque você começa a entender, e você começa a trabalhar com o Peter Drucker, não sei se você conhece, é um dos maiores gurus de marketing e administração que a gente já teve. Ele tinha essa frase, que ele costumava falar, que o segredo está, não em achar clientes para os seus produtos, que a tal história do “faça o que você ama” acaba fazendo acontecer, porque você cria um produto, e agora, “pô, eu vou achar quem que gostaria… convencer as pessoas de que isso aqui é bom para elas, que elas têm que comprar esse meu produto”. É muito mais fácil você achar produtos para os seus clientes.

Negócio online no nicho certo

Então, se existe alguém que você define, “esse tipo de pessoa vai ser meu cliente… pai, com dois filhos, de 35 a 50 anos, que não têm tempo para ‘x’, acha que a vida está estagnada”, sei lá. Esse é o meu cliente. O que essa pessoa precisa, que de repente, eu, com o meu conhecimento, conseguiria ajudar. E aí, tem as duas vertentes, você pode já entender e saber como ajudar, exatamente, que aí, é a situação ideal, ou você pode até não saber, mas você definindo o seu cliente, você pode começar agora a ir atrás, para realmente criar um produto, criar uma solução par ajudar essa pessoa, que você definiu que é o seu cliente.

Esse é só um exercício para você começar a tentar entender como descobrir o seu mercado e o seu nicho. E até, na questão de nicho e mercado, a gente costuma falar que tem assim, tem nicho e subculturas. Nicho é, geralmente, vocacional, ou ocupacional, por exemplo, são trabalhos… são coisas que você pode fazer, que dão o sustento para você, sua família, sua casa, enfim… coisa que você faz como trabalho.

E tem a parte do outro, que seriam subculturas, que é mais por interesse, laser, atividades… Por exemplo, no meu caso, seria futebol. Eu gosto, “ah, vou comprar roupa de futebol, não sei o que… vou querer viajar, vou querer ver jogo…”, beleza. O outro, por exemplo, é surfar, aí, vai ir atrás de prancha, vai ir atrás dos melhores lugares para viajar para surfar, dos melhores pacotes, etc., etc., etc.

Então, tem nichos e subculturas que você tratar. Aí, depois que você olhar… Até, outro dia, eu estava falando, por exemplo, com o Rodrigo Polesso, ele gosta da ideia, e eu acho que é certa, mesmo, de transformar os hobbies dele em negócios. Então, não é a toa que ele tem a parte de emagrecimento, ele tem agora, também, um curso sobre fotografia… Porque são hobbies dele, e aí, facilita um monte de você tem afinidade e você gosta daquele mercado. Mas isso não é obrigatório. E, de novo, eu não estou dizendo para escolher um mercado que você não tem nenhum interesse. Eu acho que é mais perigoso, cansa mais, você não tem interesse naquilo, então você tem que combinar. Mas aí que está o segredo. Para acertar o seu nicho, seu mercado, o ideal é que você combine, isso que a gente chama do “principio da convergência”, três círculos, que cada um deles tem um fator importante, e que juntando os três, é que você vai achar o seu mercado, o seu nicho.

O primeiro fator deles, é o quanto você gosta daquilo que você quer trabalhar, que daí, é essa questão, que, como eu estou falando desde o inicio desse vídeo, sim, faça o que você ama… não precisa ser exatamente o que você ama… Quanto mais interesse você tiver, vai ficar mais fácil, facilita totalmente a sua vida, com certeza, só que esse é só o primeiro círculo.

O segundo círculo, que também é bem importante, é o quão bom, o quanto você se destaca nisso que você gosta. Porque, tem coisas… Por exemplo, o Henrique Carvalho, ele gosta de jogar futebol, do ViverdeBlog.com, se você não conhece, é um dos melhores sites de marketing digital do Brasil. Ele gosta de mais de jogar futebol, mas ele é horrível, ele é péssimo, ele não é muito bom, então ele, com certeza, não poderia trabalhar com esse nicho de futebol. Então, o segundo círculo, é o quão bom você é.

Nicho Lucrativo para seu negócio

E claro, por mais que, vamos supor, você gosta, você ainda não se considera bom naquilo, um expert naquilo, ainda não acha que pode ajudar as pessoas, não tem problema, é só ir atrás, sentar a bunda na cadeira, estudar, ir atrás, fazer cursos, ouvir áudios, eventos, faze o que for… Todo mundo pode ficar bom – talvez não, assim… não estou falando aqui de ser o Michael Jordan de outras profissões, mas você pode ser muito bom se você dedicar as horas para fazer aquilo. Ao invés de ficar olhando a novela de novo, o ou não sei que, sentar, estudar mesmo, ler livros, ver cursos, tudo o que for.. pesquisar o máximo para ser o melhor que você pode ser naquele assunto.

Até como o T. Harv Eker não sei se você conhece, é um grande autor dos Estados Unidos, ele esteve uma vez num evento, perguntaram para ele qual é a melhor maneira de ser percebido como um expert no seu mercado. Ele falou, “olha, a melhora de ser percebido como um expert no seu mercado, é primeiro ser um expert”, é bem mais fácil. Então, essa é a parte do segundo círculo, o que você gosta, em que você é bom, mesmo que você não seja bom, você pode ser; se você já é, melhor ainda, porque já facilita tudo.

E o terceiro círculo, que eu diria que é o mais importante, que muita gente acaba relevando, esquecendo, principalmente, a gente ouve, “ah, faça o que você ama”, só olha para eu, eu, eu, o que eu gosto, o que eu quero fazer, o terceiro é olhar e pensar o que as pessoas estariam dispostas a pagar, a dar dinheiro por isso. Então, se você conseguir combinar o que você gosta, o que você é bom em fazer, e o que as pessoas estariam dispostas a dar dinheiro, pagar por algum conhecimento seu, alguma solução sua, alguma coisa que você criar para esse mercado, aí sim, você vai ter achado o seu mercado e seu nicho.

Mas você precisa, e até eu diria que o círculo número 3 é o mais obrigatório de todos. Porque você pode ter algo – e isso eu estou falando se você quiser criar um negócio online, para ganhar dinheiro. Se você quer fazer caridade, quer criar um blog por simples e puro interesse, ótimo, não tem problema nenhum, não estou criticando. Mas você tem que ter claro o que você quer fazer com o seu negócio. Se você quer que seja um negócio que vai sustentá-lo, vai sustentar sua família, vai pagar a faculdade dos seus filhos, então você tem que sentar e pensar o que alguém me pagaria para fazer isso? Porque, senão, a gente está falando apenas de brincadeira e hobbies, só de pura diversão. Então, o terceiro círculo é obrigatório para isso. Existem diversos negócios por aí que foram criados simplesmente, porque alguém viu uma oportunidade, e decidiu fazer algo a respeito.

Eu costumo até falar, por exemplo, o Gerdau, que tem as empresas… você deve conhecer as empresas Gerdau, eles fazem um monte de coisas para construção, com aços, parafusos… Enfim, a pergunta é: quando eles começaram, você acha que o seu Gerdau, sei lá quantos anos, quando começou, olhou um prego e pensou, “como eu amo parafusos e pregos! Vou fazer alguma coisa com isso. Eu adoro pregos! Vou ficar falando sobre prego, criar vídeo sobre o meu prego, prego maior, menor, vermelho, azul…” Não! A chance é muito maior, que ele estivesse no mercado, e viu, “o Brasil está crescendo um absurdo, estão precisando disso. Eu posso prover isso. Eu não amo nem pregos, nem parafusos.” Isso de repente, nem passou na cabeça ele, “…mas eu sei que eu sei que eu consigo fazer alguma coisa e entregar para as pessoas”.

Você não precisa ser, necessariamente, também, apaixonado pelo seu mercado, pelo seu nicho, por aquilo que aquele assunto… Ajuda, eu acho melhor, se você conseguir, ótimo. Mas não é obrigatório. Você pode, simplesmente, ser apaixonado pela questão de construir um negócio, de ajudar um público, de ajudar algumas pessoas, de ajudar a construção de um país, como ele, com o que você pode oferecer. Você não precisa ser necessariamente apaixonado por aquilo que você está falando. Novamente, se você for, melhor, ajuda. É como eu recomendo, geralmente, que se faça um negócio online que já alguma área do seu interesse, que você já pesquisaria, aí facilita tudo.

Negócio de sucesso online

Mas você entende, que desses 3 círculos, o que você gosta, em que você é bom e o que as pessoas estariam dispostas a pagar, o círculo número 1 e número 2, eles não são obrigatórios para ter um negócio online, falando da questão de ganhar dinheiro. Aí, depois, tem a questão de, “ah, o quanto isso me deixaria realizado profissionalmente, se eu realmente gosto, enfim”. Aí, são outras questões que podem vir com o tempo. Às vezes, a gente começa… Provavelmente, já aconteceu com você, de repente, você começou um novo esporte, uma nova atividade, no início parecia ser meio ruim, meio chato, não sabia direito o que está fazendo, mas depois que começa a pegar o jeito, pegar a manhã, a gente começa a gostar. Porque, daí começa a entender, começa a ficar mais fácil, e começa a apegar gosto, mesmo, pela coisa. Isso pode acontecer, mas você te que tentar.

E até por falar em tentar, eu quero dar um poder, uma mágica para você, para ajudá-lo quando você for escolher o seu mercado, o seu nicho. É o seguinte: não se sinta, em nenhum momento, obrigado a acertar o primeiro mercado, nicho, ou negócio que você for tentar. Não tenha essa obrigação. Na verdade, é até o contrário. Muito provavelmente, você não vai acertar, pelo menos não em cheio. Não estou dizendo que vai dar tudo errado, que você vai perder tudo, você não vai ganhar nada. Mas talvez, vá ser levemente limitado de algumas maneiras, porque você ainda não pegou em cheio quem é o seu mercado, quem são a pessoas que você atende, que tipo de produto elas querem… Isso demora, não é no primeiro produto, geralmente, que você vai acertar em cheio.

Você pode, sim, já ter algum sucesso, já começar a vender algumas coisas, mas depois é que a brincadeira começa a ficar legal. Que aí, você começa a vender, começa a entrar em contato com os seus clientes, como eu acabei de falar aqui, que eu pergunto, faço um formulário, que eu coloco lá dentro do meu curso, para as pessoas me falarem o que precisam, porque assim, eu começo a entender quem você é, o que você precisa, o que eu posso fazer para ajudá-lo ainda mais, como esse vídeo, surgiu disso. Que eu vi que as pessoas, ainda assim, tinham uma dificuldade enorme para escolher o seu mercado e o seu nicho.

Então, agora que você não tem essa obrigação de acertar de primeira, olha a liberdade que você tem para, simplesmente, tentar algo. Se você conseguir combinar o que eu falei dos três círculos, daquilo que você gosta, aquilo em que você é bom, e aquilo que a pessoas dariam dinheiro, ótimo, perfeito! Transformar algum hobby seu, alguma paixão sua, alguma experiência de vida que você teve, que você passou por um divórcio, você perdeu um filho, sei lá – eu estou falando algumas coisas até pensadas… Vamos pensar coisas boas, você aprendeu a surfar, alguma coisa assim, você pode usar isso como base para construir um negócio online.

Mas, se você está com uma dificuldade enorme, “ah, eu não consigo, eu não sei o que vou fazer! Não acho nada que eu gosto, não gosto de nada. Eu gosto de ficar aqui na minha”, então, olhe, simplesmente, para o terceiro circulo, e comece a olhar o que as pessoas pagam, estão pagando e pagariam para ter mais. Olhe o mercado, veja quem são as pessoas que de repente você conseguiria atender.

Tem alguém que você acha que você conseguiria ajudar? “ah, eu me dou muito bem com pessoas que, como eu falei, com pai, com dois filhos, eu estou na mesma situação, eu acho que consigo ajudar esse tipo de pessoa”, ótimo! Comece por ai. Começando com essa pessoa, e começando a olhar para ela, o que ela ama fazer, o que ela precisa, o que ela gostaria, vai começar a surgir dicas de que tipo de produto você pode criar, de que tipo de produto você pode fazer. E, de repente, não vai se algo que você tinha, você achava que tinha, assim, digamos, de cara, assim, obviamente uma paixão enorme por fazer, mas quando você começar a atender aquela pessoa que você definiu que é o seu cliente, você vai começar a pegar gosto.

Mercado lucrativo na internet

E, para você definir que a pessoa é sua cliente, ela não precisa já ter pago para você para ser sua cliente. Já diga, “essa pessoa é minha cliente, o que eu posso fazer para ajudá-la?” É outro caminho. Porque, aí você começa a olhar o que ela precisa, e as chances, e aí, daquilo que eu falei do Peter Drucker, de você achar um produto para os seus clientes, fica muito mais fácil. Porque, se a pessoa está a vinte anos falando, “pô, como eu gostaria que tivesse uma coisa, que fizesse ‘x’. Porque não tem algo para resolver ‘y’? porque isso é sempre assim? Porque eu tenho que fazer isso?” E aí, você chega com um negocinho para ela, e fala, “cara, lembra de tudo aquilo que você falou, que era ruim, era sempre igual? Está aqui o que vai resolver isso.”. Precisa convencer muito? Ela falou do que você precisava. É diferente do que eu falei lá no início. Tem o seu produto, aí, tem que achar as pessoas, pegar pelo pescoço, “cara, você precisa disso aqui. Sua vida vai ser horrível se você não usar.”. Entende? Esse é o caminho melhor.

Eu já vou fechando esse vídeo aqui, espero que você tenha gostado dessas dicas, de como realmente escolher seu mercado, seu nicho… E de novo, só para fazer um resumão aqui: cuidado, muito cuidado com essa história de “faça o que você ama”. Antes de tudo, se você conseguir, como eu falei, combinar os três círculos, que eu chame de “o princípio da convergência”: o que você gosta, em que você é bom e o que as pessoas estão dispostas a pagar, melhor. Mas se você não tem algo assim ainda, comece olhando não pelo que você gosta de fazer, o que você ama fazer, mas o que as outras pessoas amam e gostam de fazer, e ajude-as. Comece por isso.

Por que… eu nem estou falando aqui, tanto de, “ai, mensagem bonitinha, mudar o mundo”, sim, eu acredito nisso. Mas eu estou falando agora, realmente, de você ganhar dinheiro com o seu negócio online. E para fazer isso, a melhor maneira é você começar olhando para o mercado e vendo o que essas pessoas precisam, e de repente, depois tentar encaixar o que você faz. Tem as duas maneiras, você pode começar pelo que você gosta, e se isso não está funcionando, tente começar pelo que as pessoas precisam, e veja se daí surge alguma ideia. De repente, aí vai clarear mais.

Então, mantenha em mente isso, cuidado com o simplesmente “faça o que você ama”, sem realmente pensar no que o mercado precisa, e tente combinar esses três círculos, para transformar os seus interesses, seus hobbies, suas paixões num negócio online.

Gostaria de saber mais sobre como ter seu negócio 100% online mesmo que você ainda trabalhe em outro emprego e mesmo que você nunca tenha criado um site na vida??

Então eu recomendo que você dê uma olhada nisso AQUI.

Esse é o treinamento oficial aqui do site chamado Férias Sem Fim. Nele eu mostro, passo a passo, o exato mesmo sistema que eu e centenas de outras pessoas usam para criar seu negócio online.

Foi ele inclusive que me possibilitou ganhar de R$ 3 a 20 mil reais em apenas 90 dias. Sim, com um negócio novo criado totalmente do zero.

Saiba como isso aconteceu nesse link aqui.

 

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+