Como Ganhar Dinheiro Com o Youtube… Sem Ter Milhões de Seguidores, Nem Postar Vídeo Todo Dia!

Muitos acham que para se ganhar dinheiro no youtube você precisa ser um “Parceiro YouTube” ou algo assim.

Ser um parceiro do Youtube nada mais é que permitir que anúncios apareçam nos seus vídeos e no seu canal. E por que você faria isso?

Porque toda vez que alguém clicar em um desses anúncios você ganha alguns centavos.

Sim… centavos.

Importante manter isso em mente.

Porque se você quer ganhar dinheiro no Youtube… sem precisar ter milhões de seguidores e nem postar vídeo todos os dias… então essa não é a melhor maneira.

No vídeo de hoje mostro as 5 maneiras de se rentabilizar seu canal e ganhar dinheiro com o Youtube.

Sendo ou não seu parceiro.

Assista e deixe seu comentário abaixo!

Você pode também escutar esse vídeo no Podcast oficial do Empreendedor Digital:

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

Como Ganhar Dinheiro Com o Youtube

Opa! Bruno Picinini por aqui. No vídeo de hoje quero falar um pouco mais sobre como ganhar dinheiro no YouTube sem precisar ter milhões de seguidores e sem precisar fazer vídeos todos os dias.

Apresentarei as quatro maneiras através das quais dá para fazer isso. Vou explicar todas elas para que você entenda e tenha as melhores chances possíveis de criar um bom canal no YouTube e ganhar dinheiro com isso.

Sem mais delongas, vamos falar das quatro maneiras de fazer isso. Provavelmente você conhece a primeira dica e vê os ditos YouTubers fazendo isso por aí: criar um canal com o objetivo de ter muitos seguidores e muitos vídeos. Não é que muitos seguidores e muitos vídeos dão dinheiro por si só, mas sim o que acontece com esses seguidores dentro do seu canal.

Há muitos anos atrás, o YouTube foi comprado pela Google. Uma das maneiras que a Google achou para rentabilizar o site foi mostrando anúncios dentro dos vídeos. Grande parte desses YouTubers que têm canais gigantes mostram anúncios em alguma parte do vídeo. Esses anúncios podem até aparecer antes do vídeo (in stream).

Toda vez que alguém clica nesses anúncios, o dono do canal ganha dinheiro. O valor por clique pode variar de alguns poucos centavos chegando até mais dólares. No Brasil, esse valor não é tão alto. Nos Estados Unidos, onde o custo do clique é alto, geralmente se ganha mais por clique.

Até hoje, 95% da renda da Google vem da Adwords – ou seja, aqueles resultados pagos de pesquisas e banners em sites. Às vezes é tão bem feito que nem parece ser um anúncio. Um dos locais onde esses anunciantes conseguem mostrar esses anúncios é no YouTube. Esse é um dos caminhos que você pode fazer. Depois de explicar o caminho número 2, vou explicar porque não recomendo esse primeiro caminho para a grande maioria das pessoas.

A segunda maneira de se ganhar dinheiro com o YouTube é criando um canal com muitos seguidores, com bastante vídeos. Além de mostrar anúncios do Adwords nos vídeos, você pode receber patrocínios também.

Então, vamos supor que você crie um canal no YouTube e faz vídeos sobre viagens. Você mostra suas viagens, dá dicas e faz um monte de conteúdo para atrair seguidores e criar um canal. Algumas empresas podem se interessar por isso. Até eu mesmo poderia querer anunciar meu produto (Férias Sem Fim) nesse canal.

Eu poderia dar um certo valor para que você anuncie meu produto lá. O dono do canal poderia falar em um certo episódio: “O episódio de hoje é trazido pelo Férias Sem Fim, do Bruno Picinini.” Seria um patrocínio que eu fiz para a pessoa. Seria um canal que eu goste, que tem bastante gente e cujo o público estaria interessado no meu produto. Então, eu patrocinaria o canal para anunciar nele.

Essas são duas maneiras de ganhar dinheiro através de um canal grande com muitos seguidores. Com certeza são maneiras viáveis. Existem Youtubers com milhões de seguidores. Mas muitos deles começaram há muito tempo atrás.

Naquele tempo, a competição era muito menor. Eu tenho vídeos mais antigos que rankeiam muito mais facilmente do que os vídeos de hoje em dia (por existir menos concorrência naquela época). Os primeiros blogs, por exemplo, se posicionaram rapidamente. Antes, quase não tinha concorrência; hoje já não é a mesma coisa.

Apesar dessas duas primeiras opções serem viáveis, eu não as recomendo. Você precisa, primeiramente, conseguir milhões de seguidores para ter alguma renda decente – e isso não é nada fácil. O seu trabalho tem que ser muito constante. Os vídeos têm que ser publicados 2, 3, 5 vezes ou mais durante a semana. O engajamento tem que ser muito alto. Além disso, você precisa torcer para que o anunciante seja bom o suficiente e tenha um bom valor.

Eu estava pesquisando sobre isso e vi um canal falando que tinha 1 ou 2 milhões de visualizações e não dava nem 2 mil reais de renda. Não estou dizendo que isso seja ruim… Mas conseguir 1 milhão de visualizações para ganhar só isso não vale muita pena. Foi um esforço muito grande para um resultado pequeno.

Nada contra quem quiser fazer um monte de vídeo porque gosta (como hobby). Estou falando de ganhar dinheiro com o YouTube de maneira que isso seja seu trabalho em tempo integral, sustentando seus sonhos e objetivos. Vale a pena olhar outras alternativas ao invés dessa.

Eu, pessoalmente, não gosto. Não tenho saco para ficar fazendo vídeos todos os dias. Não tenho o objetivo de ter milhões de seguidores. Mas é isso que as duas primeiras opções englobam. A maioria das pessoas acham que essas são as únicas opções, mas não são.

A terceira opção é algo que o YouTube está começando a oferecer agora. Você pode criar uma espécie de canal pago. Você teria certos vídeos protegidos no seu canal e só quem for seu assinante teria acesso a esse conteúdo. Vejo isso como uma alternativa mais viável. Isso não precisa de milhões de seguidores e visualizações para dar um bom dinheiro.

Então, essas são as três primeiras opções: anúncios, patrocínios ou ter assinantes pagos no canal. Essas três alternativas envolvem ter muitos seguidores e muitas visualizações para ganhar um dinheiro bom o suficiente como num negócio online no qual você dedica seu tempo integral.

O que eu faço são as duas últimas opções. Ao invés de focar em criar vídeos todos os dias, seu objetivo pode ser não usar o YouTube como fim, mas sim um meio. O fim é criar um negócio online lucrativo no qual você possa dedicar seu tempo integralmente. É assim que eu uso o YouTube.

Eu o uso para gerar tráfego (ele é uma ótima fonte de tráfego). Esse tráfego é enviado para meu site – como farei depois nesse vídeo, já que te convidarei para clicar em um dos links. Lá no meu site eu mostrarei mais uma aula gratuita. Depois, eu faço um convite para você participar de um dos treinamentos que eu ofereço sobre o assunto. É assim que eu ganho dinheiro com o YouTube.

A quarta maneira é criar um canal sobre um nicho específico. Os nichos podem ser vários: aeromodelismo, música eletrônica, jogos, marketing, vendas, perda de peso, finanças, costura, como educar seu cachorro… têm vários nichos pequenos. Você pode subdividir até ser o especialista naquele nicho.

Talvez “ganhar dinheiro” seja um nicho muito grande. Então, “ganhar dinheiro para mulheres” seja melhor. “Ganhar dinheiro para mães com filhos” talvez seja melhor ainda. Você pode dividir seu nicho até que ele fique pequeno suficiente (mas grande o suficiente) para criar um canal. Você não precisa ter milhões de seguidores e visualizações. O necessário é ter poucas pessoas altamente interessadas no que você tem. Então, você poderá fazer uma oferta para essas pessoas.

Esse produto pode ser de outras pessoas. Na internet, chamamos isso de “trabalhar como afiliado”. Afiliados são vendedores por comissão. Não sei porque na internet eles são chamados de “afiliados”. Se alguém souber, por favor, me explique nos comentários.

Então, você pode atrair o público e indicar o produto do Polesso ou do Possebon para perda de peso. Se alguém comprar o produto deles através do seu link, você ganha uma comissão automaticamente. Essa comissão pode chegar até 70% do valor do produto. Essa é a quarta maneira.

A quinta maneira é parecida com essa. A diferença é que, ao invés de indicar os produtos de outras pessoas, você indica o seu próprio produto. Você pode, então, criar um canal sobre esses nichos que eu dei exemplos. Nos finais dos vídeos, você pode falar: “Se você tem interesse em saber mais sobre aeromodelismo…”

Tenho um cliente que está criando um produto sobre sonhos lúcidos… para saber quando você está sonhando e controlar seus sonhos. Achei interessante. Vou olhar esse produto dele. No caso dele, ele pode dizer: “Se você quer saber como ter sonhos mais lúcidos, você pode visitar meu site para saber mais dicas. Tenho um livro completo mostrando como você pode fazer tudo isso.”

Esse é um caminho mais viável para a maioria das pessoas. Isso é um fato. Hoje existem esses canais gigantes com milhões de seguidores, então é possível. Porém, você precisa ser muito bom no entretenimento e ter que ser disciplinado para construir um conteúdo muitos dias durante a semana. Isso não é fácil.

No meu canal, eu postei um vídeo por semana durante muito tempo. Hoje eu posto dois. Eu bati 2 milhões de visualizações recentemente. Pode ter certeza: ganhei muito mais do que pessoas que têm até 10 milhões de visualizações mas dependem que outras pessoas anunciem nos seus canais (através de Adwords ou patrocínio).

Você tem a opção de tirar os anúncios do YouTube, caso não queira que eles apareçam nos seus vídeos. Eu tirei os anúncios dos meus vídeos. Acho que na lateral do vídeo ainda aparecem anúncios, que não têm como ser removidos. Mas eu foco sempre em convidar a pessoa a olhar o que eu tenho no meu site e participar de outros treinamentos gratuitos.

Caso ela queira avançar o conhecimento dela, eu convido a pessoa para participar da minha comunidade e dos meus treinamentos. Assim que eu rentabilizo e ganho dinheiro com meu canal no YouTube.

Vamos revisar as cinco opções que temos para ganhar dinheiro com o YouTube. A primeira é ganhar com anúncios. A segunda é patrocínios. A terceira é assinantes pagos (não sei se isso já chegou ao Brasil). A quarta é oferecer produtos de terceiros como afiliado para receber comissões. E a quinta é oferecer seus próprios produtos – e esse é o caminho que eu recomendo.

Algumas pessoas acham que é difícil criar um produto. Hoje em dia, não é tão difícil. Você pode criar um infoproduto, como são os produtos dos quais eu falo no Férias Sem Fim. Caso você não conheça, você pode visitar FeriasSemFim.com.

Infoprodutos podem ser ebooks… “Como treinar seu cachorro”, por exemplo. Nessa aula que eu ofereço no site, você pode ver um estudo de caso que eu fiz. Era um desafio no qual eu criei um negócio do zero sobre alimentação para cães. Eu mostro como eu fiz, os resultados que eu tive… enfim, você pode clicar no link e dar uma olhada com calma.

Essas são as cinco dicas. Eu, com certeza, recomendo as duas últimas. Se você está começando, você pode começar com um canal pequeno, num nicho específico, oferecendo produtos de terceiros. Nas outras três alternativas, você precisa ter milhões de seguidores e visualizações para tirar um troco.

Eu, como anunciante, posso ir nesses canais que recebem anúncios e colocar meu anúncio lá. Eu posso usar esse tráfego que o canal construiu para direcioná-lo para meu produto. Não estou roubando o tráfego dele. É assim que o canal ganha dinheiro. Eu posso estar lá como anunciante.

Essas eram as dicas de como ganhar dinheiro com o YouTube. Se você gostou, clique no botão para dar um joinha. Se você tiver no mobile ou no tablet, o botão está aqui em baixo. Também clique no botão para se inscrever no canal e receber uma notificação dos próximos vídeos que eu postar.

Eu também te convido a participar do meu treinamento online gratuito em FeriasSemFim.com. Você pode clicar em um dos links ao redor do vídeo. Lá você poderá aprender como criar um negócio online lucrativo sobre um nicho, hobby, paixão ou experiência sua. Assim, você poderá trabalhar de onde e quando quiser.

Vou ficando por aqui. Um grande abraço. Até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+