Como Superar o Medo de Uma Vez Por Todas!

➝ Clique AQUI e saiba mais sobre a Universidade da Alta Performance

Você pode ouvir esse episódio também no Podcast Oficial do Empreendedor Digital e através do player abaixo:

» Clique aqui para se inscrever no Podcast pelo Itunes

Supere O Medo E Vença Na Sua Vida e Negócios

Medo é algo incrível que acontece na vida da gente. Eu digo incrível, às vezes, não no melhor sentido…

E eu sei que é um dos piores sentimentos que a gente pode ter, se usado do jeito errado, mas, ao mesmo tempo, é o que faz a gente humano. É o que faz a gente – nesse caso aqui, por exemplo, a gente falando de empreendedorismo, principalmente empreendedores digitais – é o que nos move para frente, é o que nos faz garantir de que o que a gente está fazendo é o certo.

Que… Até muita gente tem uma impressão errada. Acham que empreendedor é aquele cara que gosta de risco – que não tem nada, nada mais longe que a verdade. Até o próprio Peter Drucker, que é um dos maiores, digamos “gurus” do marketing em administração mundial, ele fala sobre isso. Que, às vezes, as pessoas têm essa impressão, só que nos empreendedores de sucesso, quem entrevistou, conheceu e até foi coach deles, ele não encontrou essa percepção.

Na verdade, o empreendedor, o que ele menos gosta é riso. Ele faz de tudo para conseguir minimizar o risco. E o medo faz parte disso. Porque a gente tem medo que tudo vá dar errado, que amanhã tudo vai cair por “água abaixo”, que amanhã o mercado vai desabar, que nosso produto vai parar de vender…

É algo, realmente, que a gente tem que lidar. E eu acho que… quanto mais eu, assim… Eu tenho os meus clientes, o pessoal que eu ajudo, de tanto, dos primeiros cursos que eu tenho, como Empreendimentos Digitais Altamente Lucrativos, ou o Marketing Digital com Resultados, com Henrique Carvalho, ou agora, até a Máquina Automática de Vendas, com o Rodrigo Polesso, e varia bastante o tipo de público que aparece, até pelo ticket de cada produto.

Mas uma coisa recorrente, que a gente vê, é que aqueles que já estavam mais preparados para o sucesso… não é que a gente não teve nenhuma influência, mas eles já tinham… tendo a mentalidade, já sabendo lidar com o medo, com esse tipo de coisa, é só a gente dar mais um empurrãozinho que tudo já começa a funcionar.

Então, neste vídeo aqui, eu queria dar algumas, assim, para de repente, se você, por algum motivo… às vezes, até esse medo nem aparece tão claro para a gente.

Eu sei que, por exemplo, quando eu comecei os meus negócios, quando eu comecei a trabalhar como empreendedor digital… Eu sou formado em arquitetura. E eu tinha me formado fazia um mês, eu acho, se eu não me engano… Estava formado há um mês. E aí, eu comecei a conhecer… eu queria, na verdade, usar a internet para expandir os negócios do meu escritório.

Domine Seu Medo

E, enquanto eu estava procurando, eu fui descobrindo todo esse mundo, de marketing e empreendedorismo digital, e acabei me apaixonando pela área. E foi ali, nem um mês depois de formado, que eu decidi largar tudo, largar todos os cinco anos que eu tinha feito de faculdade – eu tinha até feito estágio fora, em Munique, em Sidney – larguei tudo, e decidi tentar começar o meu negócio por conta própria, e na internet, ainda.

Se você tenta falar para qualquer pessoa, fora do nosso mundo, que entende esse mercado de marketing digital, é incrível como as pessoas não têm noção de valores, que a gente trabalha, do que pode ser feito e como pode ser feito… a liberdade que dá. Então, às vezes, a gente acaba ficando meio sozinho no mundo, porque não tem muita gente que consegue entender.

E foi exatamente isso que aconteceu comigo. Tanto que, depois que eu larguei, no caso, a minha antiga profissão, até eu começar a contar e falar para as pessoas que eu tinha mudado, o que eu tinha feito – nem eu sabia direito o que eu estava fazendo naquela época – demorou seis meses. Por seis meses, eu mentia – de verdade – para as pessoas que eu estava no meu escritório, que os projetos estavam indo muito bem, que estava aparecendo diversas obras, quando, na verdade, eu já tinha largado tudo.

E muito era por causa desse medo, de realmente… Pô, se você já falou para alguém, assim, quando você está tentando alguma coisa, “ah, eu vou tentar algo novo”, o que mais aparece é crítica, ou pessoas perguntando, “você tem certeza do que você está fazendo?”. Óbvio que a gente não tem certeza, mas eu resolvi arriscar. Eu olhei para aquilo e parecia ser algo que eu podia tentar.

E, conforme foi passando o tempo, e não só o que eu aprendi, conforme os meus negócios foram crescendo… mas, assim, de diversos outros clientes, que eu fui ajudando e, pouco a pouco, dando dicas para ajudar a melhorar os seus negócios, o que eu notei é que medo não é algo que se erradica. Não é algo que gente vai consegui eliminar para sempre, seria até perigoso se você fizesse isso. Porque, daí, você seria um cara “sem noção”, porque você sairia pulando pela janela, porque você não teria medo de morrer, você atravessaria a rua sem olhar…

Então, o medo é necessário, só que você não pode deixar que ele o impeça de agir. Ele não pode fazer isso. Você tem que ter controle sobre ele, e usá-lo como uma força propulsora, “pô, eu tenho medo disso aqui, amanhã eu perder tudo no meu negócio e não poder manter a minha família como eu quero, dar o que eu quero para eles, seja comida, seja abrigo, seja teto, seja educação, seja o que for”.

Então, como é que eu faço para minimizar esse risco, cuidar desse meu medo e garantir que eu não terei esse problema? Então, ele pode ser útil.  E também, a gente fala bastante no… pessoal que estuda mais o desenvolvimento pessoal, filosofia de sucesso, essas coisas, eles falam bastante da… são duas, digamos, áreas de atuação, que tem: a competência e a confiança. Quanto mais confiança você tem, mais você vai… atua, começa a ler, a aprender, a fazer, a testar… Aí você começa a ficar mais competente, aí, quanto mais competente, você começa a ter mais confiança. E com mais confiança, você vai atrás de mais coisas. E assim, você vai e volta.

É como qualquer esporte, qualquer nova habilidade, qualquer novo aprendizado que você tentou, é assim que funciona. Você tem esse circulo de competência e confiança: você é mais competente, aí você tem mais confiança, “pô, acho que eu consigo fazer isso”, aí você quer aprender mais, começa a se tornar mais competente, que dá mais confiança, e assim, vai e volta.

Dúvidas e Medo Fazem Parte do processo

Isso é algo que, pouco a pouco, ajuda muito na hora de lidar com o medo. Porque, se você vai fazer alguma coisa pela primeira vez, é óbvio que você vai estar com medo – claro, dependendo, se você vai pular, por exemplo, de paraquedas, provavelmente você vai ter muito mais medo do que querer atravessar a rua. Mas enfim…. Quanto mais competente você for naquela habilidade, mais confiante você vai ser de que, por mais que você não saiba tudo, você é confiante o suficiente para dizer, “eu sei o suficiente sobre isso. E se algo der errado, eu sei que eu posso corrigir. Eu sei que eu posso fazer alguma coisa para melhorar isso, e corrigir qualquer problema que tiver.”.

Então, tem esse circulo que ajuda, bastante. É algo que é sempre um desafio. Quando você notar, que tiver com medo… é até uma coisa… eu não lembro quem é que falou, onde que eu aprendi, se foi uma citação de alguém… se alguém souber, por favor, coloque aqui nos comentários para eu saber… Mas alguma vez eu li, ou alguém me falou, que toda vez que a gente sente um frio na barriga por alguma coisa nova que a gente vai tentar fazer, muito provavelmente aquela, assim ó, 90, 95% das chances é de que aquela é uma decisão certa. Porque ela está fazendo você sair da sua zona de conforto, e fazer algo diferente. Está fazendo dar um passo.

Por exemplo, hoje, agora, eu estou gravando aqui esse vídeo, falando esse vídeo – ou quem está ouvindo no podcast, não sei onde é que você está ouvindo ele – e, pô, hoje eu consigo tranquilo, ligar a câmera, falar aqui com você, tranquilo, sem problemas… Sem medo de me expor, contar um pouco mais da minha história… Até tem os vídeos no meu site, meus negócios, que eu falo, histórias até da minha família, bastante pessoais, o que aconteceu… Como que, enfim, como é que eu cheguei aqui. Só que no início – e se você está começando um negócio online, imagino que, talvez, começando há um mês, ou, até, talvez já desenvolvido – você passe por muitas dessas situações, que a gente fica com medo de, “pô, eu vou me expor, as pessoas vão me julgar.. Será que eu apareço bem no vídeo, será que meu cabelo está certo? E a camisa? E a iluminação?”, e as pessoas…

Só que na verdade, muitos, boa parte dessa… de todos esses medos que a gente tem do que as outras pessoas vão achar, é muito mais da nossa cabeça do que é verdade. É que isso até parece mais exagerado e pior, principalmente por causa das redes sociais. Porque parece que está todo mundo, o tempo inteiro se julgando – o que é meio verdade. Acaba criando essa ansiedade gigante, de que as pessoas vão nos julgar. Mas eu vou dar uma dica para você: as pessoas não estão nem aí para o que você faz.

Você pode fazer um monte de coisa, e vai demorar bastante para as pessoas começarem a se preocupar. E se elas começarem a criticar, então é um bom sinal, pelo menos alguma coisa você fez. Porque, você pode ter certeza: a única maneira de não receber crítica, seja positiva ou negativa, é não fazer nada. O medo não pode impedir você de fazer isso, medo de criticas, medo do que pode acontecer. Na verdade, até a gente costuma falar que existem três tipos de medos principais, que são os três medos, geralmente vai cair nesses três tipos de medos – qualquer medo que a gente possa ter, vai estar classificado em um desses três medos – que são, basicamente…

O Medo da Perda – O Caminho É Adiante

O primeiro deles é o medo de perda. De perda de alguma coisa. “Pô se eu fizer…”, por exemplo, como eu saí da arquitetura, “pô, vou largar tudo! Toda minha faculdade, meu diploma, usar agora como apoio para o pé da mesa para escrever, e vou largar fora a minha profissão! E se não der certo? Como é que eu vou me sustentar? Depois de formado tantos anos, eu não vou começar outra faculdade, novamente. Será que, pô, quanta coisa… perder todo aquele tempo…” – bom, na verdade, já teria perdido.

Então, a gente tem muito medo do que a gente pode perder ao mudar. Sair do emprego, “pô, eu estou…”… Até, muita gente, que é meu cliente, outro dia eu estava lendo… Eu tenho um formulário de perguntas e respostas que eu coloco dentro dos meus cursos, e eu pergunto para clientes: “Me diga quem você é! Eu quero saber mais sobre você, porque quanto mais eu souber, mais vou conseguir ajudá-lo.” Até por isso que eu estou fazendo esse vídeo, que não é exatamente sobre como criar um negócio online, mas é algo que eu notei, que muita gente acaba passando.

Por exemplo, muitos dos meus clientes, às vezes têm emprego, e têm medo de, “pô, se eu começar meu negócio online, e começar a me dedicar…” primeiro que a família não apoia nada, todo mundo duvida, “ah, lá vai o coitado, de novo, com mais uma ideia maluca”. Segundo, que a pessoa tem medo de perder o seu emprego, a sua carreira. Eu não lembro quem é, mais tinha alguém que colocou nos formulários… até, desculpa, não esqueci o nome, mas…

Era alguém que estava com uma carreira muito boa, com pouquíssima idade já como gerente de uma multinacional gigante, só que sentia que aquilo não era para ela, e estava pensando em mudar. Só que tinha esse medo, de largar toda essa profissão, assim… lugar que ela conquistou, para tentar alguma coisa novamente. Então, esse medo é real. E a melhor maneira de lidar com ele é tentar evitar ficar pensando no que a gente vai perder, não ficar olhando para trás, olhar para frente, para o que a gente pode ganhar.

Assim, realmente, a gente pode, às vezes, “pô, eu vou perder a minha carreira promissora, a qual me dediquei tantos anos… vou perder meu diploma… vou perder algumas coisas… De repente, vou perder até amizades…”. Isso acontece bastante. Mas não se preocupe, tem até outro vídeo, que eu não lembro onde é que está,que não vem ao caso agora, mas se tiver, eu coloco o link depois, aqui… Que eu falo justamente sobre isso, algumas amizades acabam se perdendo, porque você começa a ver o mundo de outro jeito.

Você começa a ser uma pessoa mais para frente, querer fazer, e não reclamar tanto, e fazer algo para mudar, “se não está certo, o que eu posso fazer para ajudar?” E muita gente não se encaixa nisso. Até amizades, você pode perder. É uma decisão… não vou dizer, assim, que vai ser “preto e branco”, “ah, começou, perdeu amigos”, não! Mas é algo que você tem que estar, de repente, preparado, que pode realmente acontecer. Pense mais no que você pode ganhar, do que no que você pode perder, que é muito mais proveitoso, dá muito mais prazer e fica muito mais fácil lidar.

O Medo Do Processo – Um Passo de Cada Vez

O segundo medo que a gente tem é o medo do processo, de como as coisas funcionam. Porque, se a gente vai começar, por exemplo, “ah, vou criar meu negócio online”. Se você, não sei em que fase você está, agora, você está do seu negócio online – se você já tem um site, se você já tem um produto, se você não tem nada, se você caiu aqui agora. Mas, na fase que for, provavelmente tem coisas que você ainda não sabe. Se você já tem o seu negócio, “ah, tenho que aprender mais sobre facebook ads, adword, Bing, retargeting, vídeo, áudio… e um monte de coisa.

Então, a gente sempre tem alguma coisa para aprender, e as pessoas têm medo desse processo, “pô, mas e se eu não conseguir aprender?”. É uma das maiores dúvidas e problemas que eu vejo, que as pessoas têm, que, nesse formulário eu vi as pessoas reclamando, é que, por mais que eu faça tudo, eu vou tentar melhorar mais ainda, para entregar o mais fácil possível para a pessoa criar um site, com plugins prontos, de clicar e apontar, ainda assim, as pessoas têm dificuldades de criar o seu próprio site. É um problema real.

E é esse medo, desse processo, “pô, e se eu não conseguir? Eu acho que eu tenho uma ideia ótima, mas se eu não conseguir, se eu não conseguir fazer isso? Se eu não conseguir fazer ‘assado’? E se eu não conseguir aprender a tempo?” Então, a gente tem medo desse processo, do que a gente precisa aprender. Só que a melhor maneira de lidar cm isso, é pensar que, o que realmente nos faz feliz – já fizeram um estudo, assim, é um dos melhores sentimentos que uma pessoa, nós como pessoas, a gente pode ter – é o sentimento da evolução: que hoje eu era uma pessoa, hoje eu sou uma pessoa melhor. Amanhã, eu sou melhor ainda. Melhor, melhor, melhor. Não precisam ser saltos gigantes, porque, geralmente, esses saltos gigantes não vão acontecer da noite para o dia, vai ser um processo.

Às vezes, a gente tem mania de ver o evento, que, “ah, um cara ficou milionário da noite para o dia, que acertou a Mega Sena”, ótimo. Não dá para esperar que aconteça com todo mundo. Geralmente, é um processo: hoje você estuda uma hora, amanhã uma hora, depois meia, depois duas… e assim vai. Então, esse processo… e aí, você vê melhorar… você olhar depois para trás e ver o que você evoluiu… Talvez, já deve ter acontecido isso com você, em alguma fase as sua vida. Não digo com seu negócio online, mas com qualquer coisa.

Se você lembrar algum esporte… você tentou aprender a surfar, foi quando aprendeu a jogar bola, jogar tênis… sei lá, alguma coisa que você foi fazer, e no início você tinha uma dificuldade enorme, enorme para fazer, e depois de um tempo, você começou a entender… a gente fala da incompetência… agora nem lembro, tem aqueles tipos de incompetências: incompetência consciente… E aí, no final, você foi saindo da incompetência consciente, até a competência inconsciente – acho que tem uns quatro, ali, que vão – e, pô, depois olhar para trás é realmente um sentimento incrível.

Se você tiver alguma referência, que você pode guardar… Se você olhar uns vídeos meus de quando eu comecei a fazer vídeos, chega a ser engraçado os vídeos que eu fazia… Mas faz parte de um processo, a gente tem que fazer. Eu gosto de dizer que a gente tem cinquenta vídeos horríveis dentro de nós. Depois que você colocar esses cinquenta vídeos para fora, aí o quinquagésimo primeiro vai ser bom.

Então, não adianta, tem que fazer. Não tem que ter medo do processo, tem que ver como um desafio, porque é isso que nos dá energia, isso que nos dá vontade de acordar de manhã cedo e fazer o que tem que ser feito e não aquele marasmo, de “ahm…”, esperando a vida nos jogar alguma coisa, para fazer alguma coisa.

O Medo Do Resultado – Você Consegue

E o terceiro medo que a gente tem… Então, lembrando o primeiro, é medo de perda; depois de processo; e o terceiro que é o maior, assim, mais claro, é o medo do resultado que isso pode dar. Porque ele pode ser bom, ou pode ser ruim. Claro, o negócio online, a gente fala muito aqui: qual que é o resultado bom de se ter um negócio online? Pô, liberdade de tempo, liberdade financeira – a princípio, claro, assim… não vou dizer que você vai sair amanhã criando um site, ganhando milhões…

Mas, pô, não é tão difícil assim, se você fizer com calma, pouco a pouco, e não desistir, principalmente, não desistir, você chega lá. Qualquer um pode chegar lá. De menor em menor nível, mas, assim ó… com certeza eu seu que você assistindo, você pode conseguir.

A gente tem medo – e, claro, tem que ter esse medo, mesmo – se dá tudo errado. Que nem, quando, “pô, larguei a minha profissão antiga. E se der tudo errado, e eu não conseguir ganhar dinheiro, como é que eu vou me sustentar agora?”. É um medo grande, porque é uma pergunta importante.

Daí, tudo bem, agora não tenho filho nem nada, por exemplo, não sei se você tem, mas é algo que eu já tenho que levar em consideração, ou se eu tivesse, levaria mais ainda, porque, daí é um pulo maior e aí não é só o que vai acontecer comigo, mas o que vai acontecer com as pessoas ao redor de mim, que, às vezes, é mais importante do que eu. Eu? Eu durmo em qualquer lugar, eu me viro – estou falando, assim, como se fosse um pensamento. Mas, pô, as pessoas perto de mim, o que eu menos quero que aconteça e ver elas sofrendo por algo que eu fiz errado.

Então, a gente tem esse medo de resultados ruins. Só que isso faz parte… até, outra vez eu estava falando com o próprio Pedro não sei se você conhece, a gente gravou um vídeo no “Afiliados Brasil”, e eu estava falando da questão de, por exemplo, errar. Que é algo que eu sempre lia, lia, lia em livros de empreendedorismo, negócios, finanças e escutava palestras, e as pessoas falando: se acostume a errar. Eu não lembro se era o Michael Jordan, ou quem falava: erre rápido e barato. Quanto mais rápido e barato você errar, mais rápido você vai acha o que funciona.

Os melhores marqueteiros do mundo acertavam, assim, ó, de dez, um bom produto. Mesmo os melhores marqueteiros do mundo. Então, às vezes, a gente tem, realmente, que testar, porque muitas vezes, você vai começar com um produto, e vai se dar conta que, “pô, não é exatamente isso aqui que o meu mercado precisa”, e eles vão começar a te dizer. Você errou aquilo, mas foi só um teste. Não chame de um erro, chame de um teste, e tente minimizar o que pode acontecer de errado. É a única maneira de se proteger desse medo dos resultados. Porque é algo que, se você está querendo, digamos criar o seu negócio, ser um empreendedor, fazer acontecer, ter a sua vida, realmente sob seu controle, nas suas mãos, você vai ter que se submeter, a uma hora ou outra, alguma coisa dar errado. Eu já estou avisando você, para não ficar falando que tudo é mil maravilhas, e borboletas voando, e pássaros da paz por aí… porque acontece.

Para você ter uma ideia, das cem pessoas mais ricas do mundo, somente uma, só uma delas não foi à falência. Sabe quem é? O Bill Gates. Só ele. E isso, porque ele estava assim, ele deu… exatamente, caiu no mercado certo, quando estava em muito crescimento… Ele é um cara para lá de inteligente, que muita gente acha que, “ah, ele estava ali na hora certa”, não. Ele lê absurdamente livros de negócios, finanças, então ele sabe o que faz. Todas as outras, noventa e nove pessoas mais ricas do mundo, uma vez, pelo menos, na vida, já foram à falência.

Ser Persistente Faz A Diferença, Não Importa O Resultado

Então, se essas pessoas mais ricas do mundo, que teoricamente mais sabem ganhar dinheiro, fazer dinheiro, criar negócios – não um negócio, mas negócios – que chance a gente tem? E eu não estou dizendo que você vai à falência, nem nada. Mas é algo que eu tenho muito consciente em mim, que eu estou preparado para, se acontecer, mentalmente, eu já me preparo antes, para que, se um dia eu tomar um tombo, não sei quão forte vai ser esse tombo, espero que nunca aconteça, mas a gente está aí, faz parte disso, é um medo meu, com certeza, mas é um medo que eu aprendi a domar, eu vou botar a cabeça para frente, “pô, eu sei que isso aqui é uma parte, vai passar. Aconteceu com tantos outros”. Só que na hora dói, obviamente, não é bem assim. É que nem, ah, quebrar o braço, depois vai melhorar, vai ali, faz cirurgia, põe gelo, gesso, vai melhorar. Mas na hora dói, e para burro. Porque eu já quebrei o braço, jogando bola, por sinal.

Mas esses são os três tipos de medos: de perdas, do processo e dos resultados. E são medos naturais que a gente tem, não só para criar um negócio na internet, não só para isso. Para qualquer coisa que a gente vá fazer, tem muitas coisas que a gente acaba tendo medo: pô, investir numa relação… será que eu me mudo para lá… será que eu troco de cidade, troco de emprego… será que eu faço isso, faço “assado”… será que eu invisto naquele apartamento… Não sei. Os medos aparecem na nossa vida o tempo inteiro. E não é algo que a gente vai conseguir eliminar, não tem como. Mas é algo que a gente tem que usar a nosso favor, porque é isso que nos deixa ativos.

É como pensar assim: na natureza, um animal com medo, é quando a adrenalina sobre… a gente fica mais ligado e aceso do que nunca, para lidar com a situação. Então é assim que a gente tem que usar o medo, a gente tem que usá-lo a nosso favor. Se a gente tem medo de alguma coisa, o que isso quer dizer? O que eu tenho que fazer, de onde é que eu tenho que puxar essa energia, para realmente resolver esse medo, e não deixar que aquilo me pare de seguir os meus sonhos, de fazer aquilo que eu quero, realmente, seja criar meu negócio online, seja mudar de vida, seja mudar de país… não sei, o que você tiver como objetivo para a sua vida.

 

Gostou?

Quer mais informações sobre produtividade e performance?

Então a Universidade da Alta Performance pode ser uma excelente opção!

Clique aqui e saiba mais

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+