Dinheiro Compra Felicidade? Como Definir Objetivos DECENTES de Ano Novo

Será que dinheiro compra felicidade?

Essa é uma pergunta que meu amigo Rafael Seabra gosta de fazer e questionar.

Isso porque dinheiro é uma trava GIGANTE na sociedade.

Todo mundo quer… mas inventa de falar disso na mesa de almoço da família e olha o terror!

Vamos ver se resolvemos isso de uma vez.

E aqui o livro do Rafael Seabra que recomendo que você leia.

Você pode também escutar esse vídeo no Podcast oficial do Empreendedor Digital:

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

Dinheiro Compra Felicidade? Como Definir Objetivos DECENTES de Ano Novo

Opa! Bruno Picinini por aqui, autor e fundador do projeto Férias Sem Fim. No vídeo de hoje eu queria falar um pouco mais sobre um assunto que o meu amigo Rafael Seabra do site QueroFicarRico.com trouxe à tona. O assunto é essa luta entre dinheiro e felicidade. A pergunta que fica é: será que dinheiro pode comprar a felicidade?

Caso você esteja fazendo planos para o ano que vem… Eu queria mostrar como eu encaro essa discussão tão grande. As pessoas veem tanto problema nisso, mas eu sinceramente não vejo. Voltando à pergunta: será que dinheiro compra a felicidade?

Se você já acompanha o projeto Férias Sem Fim (você pode visitar em FeriasSemFim.com), você sabe que eu falo bastante sobre esse assunto – não somente da questão de resultados financeiros, mas também da qualidade de vida e liberdade que a gente tem ao alcançar esses resultados financeiros.

Não é uma questão de quanto ganhamos, mas talvez principalmente de como a gente ganha esse dinheiro. Tem muita gente ganhando uma nota federal com empresas enormes, mas que não consegue aproveitar o dinheiro e muito menos o tempo, que já nem têm com tantas tarefas, reuniões, urgências.

Aí damos um passo para trás para nos perguntarmos: valeu a pena? O que adianta passar 10 anos da vida se matando para olhar para trás e perceber que não era aquilo que queria, que queria ter feito outra coisa, ou que não valeu a pena.

Se você gosta do seu negócio como eu gosto de trabalhar no meu, não tem problema. Mas o fato de eu gostar de trabalhar no meu negócio, não significa que ficarei no meu computador 70 horas por semana – isso é loucura! Hoje em dia, não tem porque fazer dessa maneira. Se você está usando tanto tempo assim, é porque tem algo errado.

Essa questão de “dinheiro versus felicidade”… Eu acho que mais prejudica do que ajuda as pessoas na sociedade. Um zero a mais na conta não vai trazer felicidade – mas com certeza não vai tirar sua felicidade. Estou parafraseando meu amigo Rafael Seabra, porque ele fala muito disso.

O nome do livro dele é o mesmo nome do site, Quero Ficar Rico. Recomendo, já li. Antes de lançar ele me enviou. Nesse livro, ele fala exatamente sobre isso. Pode ser que o dinheiro não vá comprar baldes de felicidade para você – mas também não vai tirar. Você ter mais dinheiro não te fará uma pessoa mais triste. Talvez as coisas ao redor para você ter esse dinheiro te tornem você uma pessoa mais infeliz.

Mas não é uma questão de colocar um ou outro. Muitas vezes veem dessa maneira: “prefiro sacrificar um pouco do que eu ganho para ter mais qualidade de vida, tempo e liberdade.” Mas onde está escrito que você precisa sacrificar qualquer coisa para ter tudo isso?

Não é uma questão de “um ou outro” – é uma questão de “um e o outro”. Eu acho que os dois andam juntos. No meu curso de Produtividade e Performance, eu falo um pouco mais sobre isso. Nas nossas vidas, tudo tem que funcionar junto. Geralmente falamos sobre saúde, finanças, relacionamentos. Se alguma dessas áreas estive sofrendo, isso afetará todo o resto.

Se você está querendo crescer seu negócio e está passando por um divórcio, é difícil separar as coisas. Você vai dormir mal e acordar atordoado – isso vai te afetar. Com a saúde, acontece o mesmo. Tente trabalhar com uma febre de 42 graus – não tem como!

Se você tentar conseguir “um ou outro”, você provavelmente acabará sem os dois. Você não conseguirá ter felicidade se não conseguir ajudar sua família, seus pais, seus filhos, a sua comunidade. Você precisa dos dois, um apoiando o outro. Você precisa ter o lado financeiro resolvido para cuidar dessas coisas.

Se você gosta de carro e quer ter uma Ferrari, é um objetivo seu, não tem problema algum. Eu pessoalmente não dou tanta bola para ter o melhor carro. Eu gosto de viajar. A maior parte do meu dinheiro vai aí. No início de janeiro agora estou indo para a América Central. Eu invisto em experiências e isso é o que me satisfaz como pessoa. Posses eu tenho pouquíssimas.

Não estou dizendo que está errado ou certo, cada um tem seu objetivo. Mas cuidado, porque não é isso que vai afetar diretamente sua felicidade. Se você quer ter seu dinheiro para resolver esses grandes objetivos, beleza. Mas quando eu falo de finanças, estou falando de resolver as coisas básicas. Ter comida para colocar na mesa, ter um teto para dormir. Se sua família precisar de ajuda, você pode pagar a conta do hospital, você pode ter um bom plano de saúde.

Nisso o dinheiro ajuda e ajuda muito. Tendo isso resolvido, fica mais fácil mirar nas outras coisas grandes que vão colaborar mais ainda para sua felicidade. Você terá mais tempo e qualidade de vida para sair com as pessoas que você gosta, para fazer esportes, atividades e hobbies. Cuidado para não criar uma profecia autorrealizável logo de cara: “vou sacrificar meus ganhos para ter mais qualidade de vida, liberdade e tempo.”

Chute o que vai acontecer quando você decidir que é isso que acontecerá na sua vida. Isso vai se tornar uma profecia autorrealizável porque você já disse o comando para seu cérebro: “quero uma profissão para sacrificar meus resultados financeiros para ter outros.” Não! Não é “um ou outro”, e sim “um e outro”.

Eu promovo tanto o Férias Sem Fim porque para mim essa foi a resposta. Acho que pode ser a resposta para muita gente. Quero uma solução que combine resultados financeiros com qualidade de vida e com liberdade. Não precisa sacrificar um ou outro.

É por isso que promovo tanto meu treinamento e os vídeos que faço. Acho que é uma discussão bem atual e muita gente vê isso da maneira errada… Começando com a pergunta e respostas erradas.

Acho uma besteira esperar o fim do ano para decidir que vai mudar de vida. O Tony Robbins fala disso – nosso destino pode ser mudado em 1 minuto. É só decidirmos que vamos fazer algo a respeito, não vamos aceitar uma situação.

Quando for definir objetivos e metas para seu próximo mês ou próxima semana… Cuide muito para não ignorar as outras áreas ou achar que precisa sacrificar uma para ter a outra. As coisas têm que andar juntas. Todas elas se sustentam.

Eu sigo muito o Tony Robbins. Ele fala que é como uma roda na vida… Um aro é a finança, outro é a saúde, relacionamentos, espiritualidade… O que for importante para você. Se algum desses aros não estiver com o tamanho certo, a ronda não rodará direito na estrada da vida. Com isso você irá muito mais devagar, além de perder seu carro e a roda.

Essa era a dica que eu queria passar para você hoje. Não é “um ou outro” e sim “um e o outro”. Começando com esse mindset, conseguimos melhores resultados.

Se você gostou do vídeo, pode clicar abaixo para dar um joinha. Também clique para assinar o canal e receber uma notificação dos próximos vídeos que eu postar.

Se você concorda com o que eu falei sobre finanças, resultados e qualidade de vida, eu recomendo que você dê uma olhada no grupo que temos dentro do meu treinamento em FeriasSemFim.com. Lá você pode participar de um treinamento online gratuito.

Depois você pode talvez receber um convite para participar da nossa comunidade. É um grupo de pessoas com ideais parecidos. Combinamos resultados financeiros com qualidade de vida e liberdade.

Vou ficando por aqui. Um grande abraço e até mais!

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+