Dinheiro vs. Felicidade: O Que Realmente Dá Resultados (E Minha Opinião)

Essa é uma discussão antiga. E chata pra ser sincero.

De um lado uns falam:

“Dinheiro não traz felicidade!”

Aí outros respondem:

“Então me dá o seu e seja feliz!”

HA HA HA… Resposta inteligente e criativa. Que não ajuda em nada. Continuamos na estaca zero.

Nesse vídeo falo um pouco mais como eu acredito que dinheiro e felicidade devem ser vistos. E é assim que tem me dado resultados:

Depois, se quiser aprender mais sobre investimentos, dinheiro e finanças, eu recomendo imensamente essa série de vídeos gratuitos aqui.

Nessa série Henrique Carvalho e Rafael Seabra dão algumas belas dicas sobre o assunto.

Você nem precisa colocar seu e-mail para ver os vídeos! O que – diga-se de passagem – é raro hoje em dia não!?

Então:

Clique AQUI e aprenda tudo e mais um pouco sobre finanças e investimentos

Você pode ouvir esse episódio também no Podcast Oficial do Empreendedor Digital e através do player abaixo:

» Clique aqui para se inscrever no Podcast pelo Itunes

A batalha entre dinheiro e felicidade

Esse é sempre um assunto complicado de se falar, porque têm diversos pensamentos e coisas que as pessoas acreditam sobre o dinheiro. Às vezes, tem muita gente, até… não sei se no português falam também, mas eu sei que inglês costumam falar que dinheiro é a causa de todo mal, e muitas outras coisas… Então, às vezes, até há bastante ressentimento, sobre se uma pessoa tem dinheiro, as pessoas acham que ela, provavelmente, enganou alguém, ou ela teve que fazer alguma coisa meio escondida para conseguir aquilo, e que são poucas pessoas, mesmo, que conseguiram ganhar dinheiro de uma maneira legítima.

Então, esse é um assunto delicado, e eu queria aqui dar a minha opinião, e dizer o que eu acredito, sobre como eu vejo dinheiro, como eu acho que tem que ser visto o dinheiro num negócio online. Não só num negócio online, mas na nossa vida, para que a gente não vá para nenhum dos extremos, são seja nem só aquela ganância de pensar em números, números, números, e também não vá para o outro lado, que vamos ser zen, vamos ficar aqui meditando, enquanto nos roubam as nossas coisas dentro da nossa casa.

Dinheiro não é ruim como pensam

Eu percebo que, às vezes, as pessoas têm mania de ir para estaremos. Ou oito ou oitenta. Ou, “não, não vou fazer nada por dinheiro, vamos fazer tudo para ajudar, distribuir amor, caridade”, e o outro extremo é só ganância e ganância, e mais dígitos, e números, e dinheiro. E eu acho que as duas estão erradas. Acho que a maioria das coisas na vida, tudo que é exagerado, assim, desse jeito, provavelmente resulta em problema.

Ao mesmo tempo em que tem aquela frase, “ah, dinheiro não trás felicidade”. Aí, os outros respondem, “então, me dá o seu dinheiro e seja feliz”. E fica uma discussãozinha meio besta, de “ah, dinheiro não trás felicidade”, essas coias, que eu acho que é mais improdutivo do improdutivo. Não ajuda em nada em nossos negócios.

Então, eu acho que o jeito que eu vejo, que eu acredito, é que dinheiro, não tem que ver, realmente…  acho que dinheiro, um zero a mais ou a menos na conta, depois de um certo ponto, não vai fazer você mais ou menos feliz. Claro, se você não tem absolutamente nada, está muito mal, cheio de dívidas, claro que faz diferença, claro que faz. Isso aí é um dos maiores estresses que a gente pode ter na nossa vida, é estar o tempo inteiro pensando, “putz, será que eu vou conseguir pagar as contar no fim do mês?”. “Será que eu vou ter dinheiro suficiente para colocar meus filhos na faculdade, dar educação para eles?”. “Será que eu vou ter dinheiro para, quando eu estiver caminhando com a minha namorada, com a minha esposa no shopping, e ela olhar algum vestido, eu vou poder comprar para ela, sem isso me machucar?”. E falou aqui como homem, mas vale tanto para homem, quanto para mulher, no caso, se está o marido junto. Enfim, ou querer viajar, para fazer algumas coias.

O dinheiro, por si só, eu realmente, acho que não trás felicidade. Ainda mais se é depois de um certo ponto, que você já resolveu, digamos, aqueles problemas principais de alimentação, moradia, todas essas coisas que… não está atolado em dívidas. Depois de um certo ponto, um dígito a mais, ou a menos na conta, não é isso que vai trazer felicidade. Mas ao mesmo tempo, o dígito, o número, o valor lá na sua conta, não é isso que vai trazer a felicidade por si só, ma ao mesmo tempo, resolve muitos problemas que estão no caminho, sim, da felicidade.

Como ser feliz

Porque, se livrando de todos esses problemas de, “pô, será que eu vou ter dinheiro para pagar no fim do mês, as minhas dívidas, as minhas contas?”. “Será que eu vou poder atender isso?”. “E se alguém, por exemplo, meus pais tiverem algum problema, ou alguma doença? A idade vai chegando, vão aparecendo problemas. Será que eu vou ter dinheiro para sustentá-los no hospital, pelo tempo que for?”. Porque, se tem alguma coisa que importa, é isso. Então, para essas coisas, dinheiro, sim, ajuda para caramba na felicidade. Mas depois de um certo ponto, depois de resolvidas essas necessidades mais básicas, que, às vezes, não são nem tão básicas, eu acho que ele começa a fazer menos e menos diferença. Aí, outras coisas começam a entrar em questão, que realmente influenciam muito mais na nossa felicidade.

Eu lembro, até o Jim Carrey, se eu não me engano, ele tem uma situação que eu acho muito boa, que ele fala, assim, “ah, eu queria que todo mundo fosse rico e famoso, para mostrar que essa não é a resposta”. E isso, realmente, eu acho muito emocionante, porque é o que eu realmente acredito.  Como eu falei, agora, aqui. Depois de um certo ponto, um dígito a mais ou a menos não vai fazer muita diferença na sua felicidade, mas até aquele ponto, com certeza tem que pensar em dinheiro, porque resolve muitos problemas que você teria com estresse.

O que eu acredito é que você não tem que ser extremista. Não tem que ser, assim, “ah, vou fazer tudo por qualidade, não vou pensar em dinheiro, faço ou vou fazer o que eu amo”, mas também não ir para o lado da ganância. Sim, pense em realmente ajudar as pessoas, “pô, como é que eu vou fazer para ajudar o meu público, as pessoas que me seguem, com o meu conteúdo, com o meu produto, a minha mensagem sendo um exemplo pras pessoas, de quem eu quero inspirar, para que as pessoas façam mais”, e, ao mesmo tempo, colocar junto com essa parte mais zen, mas, assim, pensando em realmente ajudar, fazer uma diferença nesse muito, colocar um pouco, sim, de marketing, negócios e capitalismo em cima.

A felicidade pelo motivo certo

Colocar e dizer, “pô, isso aqui é o meu trabalho. Eu me dedico não sei quantas horas por dia, por semana, eu mereço uma vida boa” – estou falando eu, como você e eu, como qualquer pessoa que estiver aqui com a gente. “Eu mereço ganhar por isso que eu me dedico, pelo valor que eu agrego no mundo, na sociedade, nas pessoas que me seguem. Eu mereço ser bem pago por isso, eu mereço ter o dinheiro para cuidar da minha família, dos meus amigos, de quem for que eu quiser ajudar, e depois, de um certo ponto, ter uma causa maior, como eu até falei em outro vídeo, ter o nosso horizonte nos guiando, que aí, não é mais tão dinheiro, dinheiro, dígitos, números.”.

Porque, realmente, depois de um certo valor, não vai influenciar muito, tanto, na felicidade, depois que resolver aqueles caminhos que, sim, precisam de dinheiro. É isso que eu acredito, nem oito nem oitenta.  Não ser nem extremista, de ser zen, fazer tudo por amor e caridade, mas também, não ser extremamente ganancioso. Fazer aquilo para ajudar as pessoas, e combinar, “sim, eu quero ganhar”. “Como é que eu consigo lucrar mais com isso que eu estou fazendo?”. “Como é que eu consigo vender mais o meu produto?”. “Como é que eu posso cobrar mais pelo que eu estou fazendo? Pelo trabalho que eu estou oferecendo? Pelo serviço e pela dedicação que eu estou tendo para fazer o que estou fazendo?”.

É isso que eu acredito, e é assim que eu vejo o dinheiro, digamos uma relação, um triângulo amoroso, ente dinheiro, felicidade e negócios online. É assim que eu gosto de ver, eu acho que o jeito certo é combinar esses dois.

Depois disso, algo que eu noto que acontece bastante, é que as pessoas, principalmente gente que teve bastantes sucessos repentinos, às vezes, não interessa o quanto elas ganham, eu acho incrível, que elas conseguem, com os gastos que elas têm, ir aumentando conforme elas vão ganhando mais. Isso até, uma dica e uma das provas, é quem ganha em loteria, essas coias. E não sei quanto, 99% dos casos, e assim como a margem agora aqui das eleições, que está tendo, das pesquisas das eleições, tem uma margem de erro de 99% para cima, 99% para baixo. Mas 99% das pessoas que ganham na loteria acabam perdendo tudo logo em seguida. Por quê? Porque não têm um controle, não sabem gerenciar o risco, o dinheiro que têm.

Às vezes, a gente pode ensinar, ensinar e ensinar como criar um negócio online, mas se não tiver certo o resto da vida da pessoa, financeiramente, pessoalmente e profissionalmente, não vai adiantar o quanto ela ganhar, porque ela vai conseguir gastar tudo, e talvez em besteiras que ela não precisaria. Eu sempre pensei bastante sobre isso, por influência dos meus pais, dos meus amigos, que sempre me falaram bastante sobre essa questão de lidar com o dinheiro da maneira certa, e eu tenho dois grandes amigos, que me ajudaram muito com isso, eu sempre converso com eles, foi até por aí que eu os conheci, que é o Henrique Carvalho e o Rafael Seabra.

Cuide do seu dinheiro, felicidade e futuro

E, até agora, eles estão com uma série de vídeos, que eles estão ensinando mais alguns desses conceitos, que eles me passaram ao longo do tempo, nas vezes que eu já falei com eles, ou visitando o site deles, e eles têm agora essa série de vídeos que eles falam um pouco mais. No primeiro, eles falaram sobre como poupança não é investimento, nesse segundo eles estão falando sobre investimentos que você tem que evitar. Enfim, mais diversas outras dicas, estratégias, de como realmente…  quando você conseguir, não sei em que posição você se encontra agora, se você ganha R$ 1.000,00, R$ 5.000,00, R$ 10.000,00, R$ 20.000,00, R$ 100.000,00 com os seus negócios, na sua vida, mas, às vezes, não é a questão de quanto ganhar mais, mas sim, saber gerenciar aquilo que a gente está ganhando, aquilo que a gente tem, para dar o melhor resultado, seja investindo, seja… enfim, aplicando onde for.

Se você tem interesse em aprender mais sobre como gerenciar o dinheiro, colocar… e não depender tanto de, “pô, vou ganhar, vou acabar gastando tudo”, realmente trilhar um caminho certo para garantir o futuro, não só seu, mas daquele que dependem de você, a sua família, eu recomendo imensamente que você visite o site deles, vai ter um link aqui, ou aqui no vídeo, ou aqui logo abaixo, aqui nessa pagina, que você está vendo esse vídeo,  tem um link para visitar essa série de vídeos, que eu recomendou que você veja, você até pode clicar, não precisa colocar nenhum e-mail, já vai estar o vídeo abaixo… Porque eu até gosto de recomendar eles, porque, daí, não tem aquela, “ah, lá vem mais um e-mail para eu ter que colocar, e mais gente mandando e-mail”. Não, o vídeo está lá aberto, aí, depois, se eu não me engano, depois tem umas planilhas, se você quiser baixar, aí sim, eles pedem o seu e-mail para mandar para você.

Mas se não, é só clicar no link aqui a baixo, tem uns vídeos bem bacanas que eles fizeram, realmente muito bons, falando um pouco mais sobre essa questão de gerenciamento de dinheiro, riscos e investimentos.

Então, essa é a minha opinião, sobre isso que eu falei, desse triângulo amoroso, que fica aquela linha tênue, entre amor e ódio, que é do dinheiro, felicidade e negócios online, e o que eu recomendo é que você clique não link agora e assita essa série de vídeos deles, essa série gratuita, que o Henrique e o Rafael Seabra fizeram

Eu fico por aqui, um grande abraço e até a próxima.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+