Regras Da Felicidade: Quais São As Suas?

É possível ser feliz e disso sabemos bem. Temos lá nossos altos e baixos mas sempre buscamos a felicidade diária.

A questão é: Como você define o que foi um bom dia na sua vida?

Às vezes nem sabemos o que pode nos deixar felizes hoje, outras nós colocamos alguns padrões tão altos que é difícil de chegar lá.

Mas com algumas regras simples e mais pé no chão você pode aprender a como ser feliz todos os dias.

Você pode também escutar esse vídeo no Podcast oficial do Empreendedor Digital:

Lembre-se de assinar agora o canal para não perder nenhum vídeo com dicas e sacadas de marketing e empreendedorismo digital.

Regras Da Felicidade: Quais São As Suas?

Opa! Bruno Picinini por aqui. O vídeo de hoje é para te perguntar sobre quais são as suas regras para a felicidade. A sua felicidade, a felicidade da sua família, a felicidade daqueles que te acompanham. De repente seja sua equipe, seus funcionários, seus sócios e todos aqueles ao seu redor.

Por que eu falo isso? Acho que vale a pena prestar atenção nisso. Na hora de determinar as regras que vão determinar nossa felicidade dia após dia, vale a pena a gente cuidar com calma quais são elas.

Muita gente nem se quer tem regras para a bendita felicidade. Como elas saberão se aquele foi ou não um bom dia se não estabeleceu com regras, com precisão… Exatamente porque ela deveria ficar feliz?

O que eu gostaria de sugerir para você é que você não crie uma regra de uma forma que fique quase impossível ter um dia bom, um dia feliz, um dia que vale a pena.

O mais fácil é criar regras que facilitem a sua vida e sua felicidade. Quando eu digo “criar uma regra”, pode ser escrita ou não. Mas eu até sugiro que você a escreva. Ponha essa regra por extenso no papel, no computador, no Evernote. Assim você terá bem claro o que você considera um dia bom.

Quando você não escreve, você fica mais sujeito ao que vier. Isso pode ser bom ou ruim. Você nem saberá como avaliar.

Muita gente cria regras sem querer, sem prestar atenção, sem ter escrito. Se ela não vendeu tanto em um dia, ou se não aconteceu XYZ, aquele não foi um bom dia. “Fiz um monte de coisas hoje, mas não vendeu tanto quanto eu esperava. O lançamento não funcionou. A campanha não deu certo. Meu dia foi uma droga. Não vale a pena. Está tudo errado.”

Aí o dia dessa pessoa será interpretado como um dia ruim, o que não é verdade. Eu sugiro que você estabeleça regras simples para que seu dia valha a pena.

Muitas pessoas têm como regra acordar, sair na rua, ver o céu, estarem vivas, com saúde, disposição para fazer que querem… Esse dia será bom para elas.

Sei que parece simples demais. Ficar nesse extremo de “só preciso disso para a felicidade”, a gente acaba não conseguindo jogar com a nossa missão. Então, tem o jogo de estar feliz no dia a dia, mas ter a ambição de buscar mais.

Para seu dia a dia, eu recomendo que você tenha regras como, “fazer esportes hoje”. Eu faço todos os dias. Pelo menos uma caminha eu dou. Mas geralmente eu corro, vou para academia, jogo bola, faço outro esporte.

Fiz algum esporte? Dediquei tempo a minha família? A minha namorada, aos meus filhos, ao meu cachorro? Avancei nos meus negócios? Avancei pessoalmente? Eu evoluí como pessoa? Por mais que os resultados não tenham aparecido agora, eu evoluí como pessoa? Eu aprendi lições? Eu dei um passo para me tornar uma pessoa melhor… Que eu sei que daqui a 10 anos esses passos acumulados trarão os resultados que eu quero?

Esses são só alguns exemplos. Cada um deve ser as suas regras do que deve significar felicidade. Mas, como eu falei, “não não defina”. Não deixe isso indefinido. Senão você não saberá se o dia valeu a pena. Qualquer coisa que acontecer na sua vida, você achará o dia horrível – o que não é verdade.

Estabeleça isso claramente para lidar com os solavancos que naturalmente acontecerão. Alguns nem chegam a ser solavancos, mas sim testes. Em vez de eles te afetarem tanto, você saberá que isso é parte do seu aprendizado. Em vez de você estabelecer as suas regras baseadas em algo que você nem controla, estabeleça com coisas simples.

No outro vídeo falei sobre como tornar o sucesso inevitável. Contanto que você esteja todos os dias batalhando, fazendo, avançando, cuidando do seu corpo, cuidando da sua cabeça, cuidando da sua espiritualidade, cuidando da sua família… Naturalmente as coisas vão se encaixar.

É quase que um caminho certeiro. Você vai se colocar isso e os resultados virão mais cedo ou mais tarde. Contanto que você estabeleça o que vale a pena para você nessa vida, o que te torna feliz e que isso te faça avançar, é natural que você se empurre por este caminho.

Não quero alongar demais este vídeo. Não quero que ele fique na parte zen, sobrenatural, sem algo prático para a gente fazer. Mas confie em mim. Estabeleça essas regras bem claras.

Não faça regras impossíveis: “Se hoje na academia eu não dobrar o peso que fiz na semana passada, hoje será um dia ruim.” Nunca dará certo.

Estabeleça que suas regras para ser feliz sejam as mais simples, que você conseguirá cumprir. Isso vai te levar a fazer mais. Assim você continuará no caminho certo e isso te levará aos resultados.

Vou fechar para não ficar metafísico ou zen. Estabeleça suas regras. Diga o que define um bom dia. Use coisas simples.

“Hoje eu andei de Ferrari, por isso sou feliz.” Você não andará de Ferrari todos os dias, a não ser quando você comprar sua Ferrari. Mas mesmo quando tiver uma Ferrari, você não irá ao mercado da esquina se ele for uma quadra da sua casa. Então, talvez você não ande todos os dias com ela.

Por isso é importante ter bem claro o que nos torna feliz do ponto de vista pessoal como profissional para nós e para as pessoas perto de nós.

Essa era a dica de hoje. Se você gostou, pode dar um joinha. Deixe um comentário caso queira um vídeo sobre um assunto específico ou com uma pergunta que você tenha. Depois recomendo que você visite FeriasSemFim.com para dar uma olhada numa aula online gratuita que tenho lá para você participar.

Vou ficando por aqui. Um grande abraço e até mais.

Seja generoso - compartilhe:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+